Clínica Geral

12/05/2015 05:17 - Atualizado em 03/12/2016 05:50

Diarreia contínua causa desidratação e exige prevenção

Diarreia pode indicar infecções virais e bacterianas, mas também doenças graves, como AIDS e câncer.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Causada principalmente por infecções por bactérias ou vírus, a diarreia se caracteriza pela perda de consistência das fezes e aumento das evacuações. Quando o problema que a provoca é tratado rapidamente, não acarreta danos sérios ao organismo. No entanto, se for contínua, pode levar à desidratação.

As crianças e os idosos são os que mais sofrem com esse problema. Isso se explica por terem o organismo e o sistema imunológico mais frágeis, sendo alvos recorrentes de parasitas intestinais, intolerâncias e reações alérgicas.

No entanto, os adultos também podem ter diarreia, principalmente como efeito colateral de medicamentos, uso de laxantes e problemas no tubo digestivo. Veja a seguir como se prevenir desse problema.

diarreia

Como a diarreia se manifesta?

O tratamento da diarreia sempre depende da causa. Os médicos buscam contê-la para evitar a desidratação, que diminui a reserva de água do organismo humano. Quando desidratada, a pessoa fica com a boca seca, os lábios racham e, em casos sérios, a quantidade de urina diminui, ocorrendo confusão mental e até mesmo letargia. Não é para menos, afinal, nosso corpo é composto por 75% de água.

Em um quadro diarreico comum, a pessoa apresenta apenas fezes aguadas. Mais frequente em crianças, ela pode acontecer por infecções bacterianas ou virais. Nos adultos, costuma ser sinal de estresse ou ansiedade, ingestão excessiva de alimentos gordurosos, excesso de cafeína ou efeito colateral de medicamentos.

Quando é infecciosa, a diarreia vem acompanhada de febre, perda de apetite e fadiga. Conhecida por virose, ela pode demorar um pouco para desaparecer, já que o tratamento busca eliminar as bactérias ou vírus que se instalaram no organismo.

A amebíase é um processo de evacuação aquosa que também provoca dor de estômago, febre, prisão de ventre e cansaço físico. Nesse caso, as fezes podem apresentar sangue. Ela é causada por um protozoário que se instala no sistema gastrintestinal através de água ou comida infectada.

Causada pelo protozoário giárdia, a giardíase também provoca evacuação diarreica, com sintomas que vão de dores estomacais a fezes pastosas. O problema se espalha pelo aparelho digestivo por meio de água, alimentos contaminados ou relação sexual na qual há contato com os excrementos.

Problema comum dos intolerantes à lactose, as fezes aguadas podem aparecer porque a pessoa não consegue digerir o açúcar do leite e derivados. Além das evacuações, é possível se desenvolverem sintomas estomacais, como prisão de ventre e gases.

Evitando a diarreia

Cuidados com a alimentação e a ingestão constante de líquidos são essenciais para prevenir a diarreia. Beber de dois a três litros de água por dia é o recomendável, mas o ideal é sempre repor a quantidade que se perde. Ou seja, se você é adepto de exercícios físicos regulares, ou se expõe constantemente ao sol, deve ingerir até o dobro do recomendado.

O soro caseiro (água misturada em sal e açúcar) possibilita a reposição de sódio e potássio, sendo alternativa de prevenção. O álcool deve ser evitado, pois é um potente desidratante. Além disso, aumente a consistência do bolo fecal com alimentos ricos em fibras, como carnes magras, arroz, maçã e banana.

Preste muita atenção se as fezes aguadas não pararem com o tratamento. Elas podem ser a manifestação inicial de doenças, como a úlcera gastrointestinal, AIDS, alguns tipos de câncer e também problemas de má absorção de nutrientes. Procure sempre um médico e siga as suas orientações.

Gostou das dicas de saúde? Então deixe um comentário! E não esqueça que você sempre encontra novidades aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
dor estomacal
desidratação
doenças
prevenção

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ