Clínica Geral

05/09/2014 11:11 - Atualizado em 03/12/2016 01:29

Diagnóstico rápido da apendicite é vital e exige exame minucioso

Descobrir a doença o mais rápido possível é a principal arma contra a apendicite

POR

Redação

  • +A
  • -A

Uma das doenças que mais exige cirurgias de urgência em todo o mundo, a apendicite é a principal responsável por intervenções cirúrgicas na região abdominal. Os médicos são unânimes: o diagnóstico rápido é a principal medida para facilitar o tratamento e evitar complicações que, em casos extremos e sem assistência especializada, podem levar à morte.

A inflamação do apêndice


A apendicite é caracterizada pela inflamação do apêndice intestinal, um órgão de formato semelhante ao dedo de uma luva, com aproximadamente 10 centímetros de comprimento, localizado na transição entre o intestino grosso e o intestino delgado.

apendicite

Sem aparente função específica, o apêndice contém um canal em seu interior, por onde passam fezes em estado semilíquido. A apendicite é causada, na maior parte das vezes, por um pequeno bloco de fezes endurecidas (fecalito) que obstrui o apêndice, provocando sua inflamação.

Sintomas da apendicite são comuns a outras doenças

Embora essa inflamação atinja mais pessoas entre os dez e trinta anos, não existe um padrão específico que determine quem será afetado. Mesmo uma alimentação balanceada, com bastante água e fibras, que garante o bom funcionamento do intestino, não impede que alguém saudável seja acometido pela doença.

O sintoma mais característico da doença é a dor abdominal, que geralmente começa acima do umbigo e progride para a região do baixo abdome, aumentando de intensidade aos poucos.

Em geral, os outros indícios da doença podem variar bastante de caso para caso. Febre, náuseas, vômitos, perda do apetite, diarreia, constipação e certa apatia são alguns dos sintomas que compõem o quadro de apendicite, mas também se assemelham aos sintomas de outras doenças, podendo provocar confusão ou retardar o diagnóstico.

Exame minucioso pode ser fundamental

A grande dificuldade do diagnóstico da apendicite consiste no fato de que, no seu início, os sintomas podem ser vagos, inespecíficos ou, como já referido, comuns a várias outras doenças.

Tomando como base a simples descrição dos sintomas, é possível presumir disfunções na vesícula, infecção urinária, doença de Crohn, gastrite, infecção intestinal e problemas no ovário. Além disso, conforme a localização do apêndice no organismo, a dor pode se manifestar em locais distintos.

Em virtude disso, uma investigação médica minuciosa, acompanhada de exame físico completo, pode ser fundamental para o rápido diagnóstico da doença. Por vezes, existe a necessidade de manter o paciente em observação, a fim de acompanhar a evolução dos sintomas.

Nos raros casos em que a dúvida persiste, podem ser realizados exames complementares, como radiografia de abdome, ultrassonografiaabdominal, exame de urina, toque retal, hemograma completo e até mesmo uma tomografia abdominal computadorizada .

Descobrir cedo é a principal arma contra a apendicite

Os especialistas são unânimes em afirmar que o segredo para evitar que o quadro de apendicite se torne mais grave é o rápido atendimento médico. No entanto, essa solução depende mais do paciente do que do especialista, porque é a atitude de procurar atendimento que fará a diferença.

A recomendação, nesse caso, também se assemelha a outras doenças: quanto antes o médico for procurado, maiores serão as chances de uma cirurgia simples e de uma rápida recuperação.

Viu como tratar casos de apendicite? Se gostou das dicas, deixe um comentário e acompanhe nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
doenças
diagnóstico
infecção
saúde

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ