Clínica Geral

25/11/2014 02:21 - Atualizado em 06/12/2016 10:18

Descubra se retirar amígdalas pode reduzir dores na garganta

Retirar amígdalas é procedimento indicado quando elas deixam de cumprir função protetora.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Quem sofre de dores na garganta de forma reiterada costuma buscar todas as alternativas possíveis para eliminar o problema. Uma possibilidade frequentemente cogitada é a cirurgia para retirar amígdalas.

Mas até que ponto esse procedimento é efetivo? Há como garantir que as dores não voltarão? Embora não seja definitiva, a resposta tende a ser desfavorável a quem quer combater as dores.

retirar-amigdalas

Decisão de retirar amígdalas exige análise 

É fácil reconhecer as amígdalas: duas estruturas redondas localizadas no fundo da cavidade bucal, uma de cada lado da garganta, visíveis em um espelho quando abrimos a boca - veja ilustração abaixo.

Tecnicamente falando, as amígdalas consistem em um acúmulo de tecido linfático, capaz de intervir na luta contra enfermidades que possam acometer o organismo, principalmente no início da vida.

No entanto, elas também podem causar doenças crônicas, deixando de funcionar como um mecanismo de proteção. Nesse caso, a cirurgia para retirar amígdalas pode ser indicada. Em geral, o procedimento é recomendado em uma das três situações:

1. Quando as amígdalas, por serem muito grandes, interferem na respiração, dando origem à respiração bucal, aos roncos e à agitação durante o sono. Se houver dificuldades para engolir ou infecções repetidas no ouvido (otite), a cirurgia também pode ser recomendada.

2. Quando há infecções recorrentes na garganta (várias infecções repetidas em um ano). Por exemplo: se uma criança apresentar de 3 a 5 ocorrências de amigdalite anuais, a cirurgia pode ser a solução.

3. Quando a amigdalite é responsável por convulsão febril.

Nem toda dor de garganta é amigdalite

Quando uma amígdalite ocorre, as amígdalas incham, interferindo na transição dos alimentos para o aparelho digestivo e impedindo o fluxo natural das secreções. Em alguns casos, essa pode ser a causa de sinusites.

Quando infectadas, as amígdalas emitem uma substância que pode escorrer pela laringe e pela traqueia, alojando-se nos pulmões e aumentando o risco de pneumonias. Em geral, o problema é causado por processos infecciosos de origem viral, bacteriana ou mista.

As amígdalites são, de fato, uma causa comum de dores de garganta. No entanto, as infecções também podem acometer a faringe. Por isso, a cirurgia para retirar amígdalas não significa, necessariamente, que as dores de garganta desaparecerão. É comum que pessoas que operam as amígdalas passem a ter crises de faringites: a infecção só muda de local.

amigdalas

Como evitar dores na garganta

A dor de garganta é uma reação relativamente comum do organismo, não estando associada, na maioria das vezes, a condições graves. Em geral, o problema é eliminado sem tratamento médico, com o uso de anti-inflamatórios. A cirurgia para retirar amígdalas, portanto, é indicada apenas em casos extremos. Alguns procedimentos simples podem ajudar a evitar e a combater as dores. Fique atento:

- Evite o cigarro.

- Beba bastante água para mantar as amígdalas hidratadas.

- Mantenha o ambiente limpo, arejado e umidificado, principalmente quando há ar condicionado, pois o ressecamento das mucosas diminui a resistência das amígdalas.

- Faça gargarejos com água morna e sal, em caso de infecção ou irritação nas amígdalas. Alimentos gelados também contribuem para diminuir a irritação.

Nossas dicas lhe ajudaram a descobrir quando retirar amígdalas? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
amígdalas
doenças respiratórias
saúde
garganta

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ