Clínica Geral

21/10/2014 02:05 - Atualizado em 05/12/2016 11:58

Descubra o que pode causar a perda de memória recente

Perda de memória recente pode estar relacionada a fatores como doenças, medicamentos e bebidas alcoolicas.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Talvez você já tenha experimentado uma dessas sensações: ao voltar ao estacionamento do mercado, não lembrou onde havia estacionado o carro; ao abrir a porta da geladeira, não conseguiu lembrar o que tinha ido buscar; ao criar uma nova aba para fazer uma pesquisa na internet, teve dificuldades para lembrar o que iria pesquisar. Apesar de relativamente comum, a perda de memória recente pode ser originada por questões mais complexas, além da falta de concentração que geralmente lhe é atribuída.

perda-de-memoria-recente

5 fatores que podem estar relacionados com a perda de memória recente

1. Consumo de bebidas alcoolicas

Depois da noite de bebedeira, a pessoa não lembra do que aconteceu. Pode não ter acontecido com você, mas provavelmente você já presenciou um caso parecido. Além do álcool, drogas ilícitas também podem contribuir para a perda de memória recente ao afetar a consciência, como a maconha. Outras substâncias são capazes de aumentar a agitação e, com isso, diminuir a atenção do usuário.

2. Estresse elevado

Em boa parte dos casos, o estresse não é um problema isolado: pode causar ou ser causado pela falta de sono e o cansaço. Todos esses fatores podem estar associados à perda de memória. Nesse caso, são tantas coisas com as quais se preocupar que o cérebro simplesmente não dá conta. A boa notícia é que esses problemas são reversíveis, dependendo apenas de uma mudança de hábitos - ou mesmo de emprego.

3. Uso de medicamentos

Se o remédio em questão afetar o sistema nervoso central, existe a possibilidade de que as lembranças sejam afetadas. Além de reduzir a atenção do paciente, a ingestão de medicamentos pode ocasionar a diminuição da consciência e a liberação de neurotoxinas, fatores que podem determinar uma alteração na memória de curto prazo. Estar atento aos efeitos colaterais dos remédios, evitar a automedicação e respeitar as doses prescritas pelo médico são as principais formas de evitar o problema.

4. Doenças

Algumas doenças graves, como a insuficiência cardíaca ou a doença renal crônica, podem originar problemas de memória. Entre outros problemas, as doenças provocam a redução da circulação cerebral e da oxigenação do cérebro, algumas das causas do esquecimento. Depressão, convulsões e epilepsia também podem afetar a memória de curto prazo.

5. Traumas

Quem foi vítima ou testemunhou um evento com potencial traumático, como um crime violento ou um acidente, pode ter sua memória bloqueada ou sentir dificuldade para manter a memória recente em casos específicos.

Exercícios previnem perda de memória recente

A crença de que o cérebro reage como um músculo não é totalmente equivocada. Se ele não for exercitado, há a possibilidade de que perca parte de suas capacidades funcionais, incluindo a memória.

Uma das principais recomendações para evitar a perda de memória recente é manter o cérebro ativo e ocupado por meio de exercícios. Jogos de memória, atividades mnemônicas, xadrez, Sudoku e palavras cruzadas estão entre as práticas de fácil acesso que costumam surtir resultados positivos. Manter-se atualizado por meio de leituras diversas também é uma técnica a ser considerada.

Diagnóstico da perda de memória recente

Se você costuma sofrer com perda de memória recente e não tem um problema diagnosticado, é melhor consultar-se com seu médico. Pode ser sinal de doença, trauma ou até efeito colateral de algum medicamento. Lembre-se: é melhor se prevenir e ir ao médico do que esperar que outros sintomas apareçam.

Curte nossas dicas de saúde? Então deixe um comentário! E não esqueça de acompanhar nossa página no Facebook para receber todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
memória
concentração
saúde

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ