Clínica Geral

24/08/2015 04:30 - Atualizado em 26/11/2016 12:17

Desconforto intestinal? Entenda a retocolite ulcerativa

Diarreia e urgência em evacuar após a refeição são alguns dos sintomas.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A retocolite ulcerativa, também conhecida como colite ulcerativa, é caracterizada pela inflamação que ocorre no intestino grosso. O problema afeta homens e mulheres em diferentes idades e precisa de acompanhamento médico.

A causa é desconhecida, mas fatores genéticos e autoimunes estão relacionados ao seu aparecimento. Essa inflamação atinge a mucosa que reveste o intestino e ocasiona lesões. Esses ferimentos irão determinar a gravidade do quadro de retocolite.

mulher sofre de retocolite ulcerativa

Sintomas e diagnóstico

Enquanto nos homens a doença tem picos entre os 15 e os 35 e dos 60 aos 70 anos de idade, nas mulheres a faixa etária mais acometida permanece entre os 15 e os 35 anos. A doença faz com que o sistema imunológico ataque os tecidos da região intestinal, causando úlceras que precisam de tratamento.

Os sintomas acompanham diarreia com sangue ou muco, desconforto abdominal, dor e cólicas. Especialmente após as refeições, o paciente tem o reflexo de evacuar imediatamente. Em quadros mais graves, o problema pode causar redução de peso e desnutrição, em decorrência da perda de nutrientes pela diarreia.

A forma leve é caracterizada por, no máximo, cinco evacuações por dia. Já na forma moderada, há evacuações líquidas, geralmente acompanhadas de sangue e pus, com frequência de cinco a dez por dia.

Nos casos graves, pacientes tendem a ter incontáveis evacuações por dia, sem períodos de calmaria. Eles também tendem a apresentar dor abdominal, febre, desidratação e anemia.

Segundo a Associação Brasileira de Colite Ulcerativa e Doença de Crohn (ABCD), a retocolite ulcerativa difere da doença de Crohn, também considerada uma doença inflamatória intestinal. A primeira afeta apenas o cólon. Já a segunda pode atingir qualquer área do trato gastrointestinal.

Para diagnosticar o problema, não existe um exame específico. Porém, radiografias com bário, retossigmoidoscopia e colonoscopia são alguns dos testes que identificam a colite.

Como tratar a retocolite ulcerativa

Atualmente, não existe cura para a retocolite ulcerativa. No entanto, após feito o diagnóstico, é possível controlar o problema, oferecendo mais qualidade de vida ao paciente.

Saiba Mais
Câncer colorretal compromete o sistema digestivo
Probióticos ajudam a equilibrar a flora intestinal
Quiabo melhora a saúde dos olhos e do intestino

Os medicamentos mais utilizados no tratamento são sulfassalazina, mesalazina e corticoides. Outras drogas, como azatioprina, 6-mercaptopurina e metronidazol, também estão presentes em alguns casos.

Vale ressaltar que todo e qualquer medicamento só deve ser administrado com orientação médica. A retocolite exige acompanhamento profissional para que não ocorra progressão para complicações mais graves, como hemorragia ou até mesmo câncer intestinal.

Há, também, a necessidade cirúrgica, em alguns casos.

Mesmo sem cura definitiva, pacientes com um a doença controlada podem manter uma vida normal, apesar de precisarem de acompanhamento médico ou até mesmo hospitalização. A maioria dos pacientes consegue se sentir bem e fica, relativamente, livre dos principais desconfortos causados pelo problema.

Uma dieta equilibrada contribui para o controle. Apesar de a alimentação não causar a doença, comidas leves e nutritivas contribuem para um melhor funcionamento do aparelho digestivo, sem irritar o intestino.

Você sente algum desses sintomas? Visite um médico o quanto antes! Não esqueça de nos contar o que você achou deste artigo e de acompanhar outras dicas de saúde aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
diarreia
sangue nas fezes
inflamação intestinal
doença de Crohn

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ