Clínica Geral

17/04/2015 04:07 - Atualizado em 10/12/2016 01:00

Depressão crônica é um tipo mais grave da doença

Identificar a doença e procurar ajuda o quanto antes é fundamental para a recuperação.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Muitas vezes, alguns quadros de depressão são difíceis de serem diagnosticados, pois se confundem com outros casos. As causas são diferentes e os sintomas também variam de acordo com cada doença. A principal característica da depressão crônica é que o paciente consegue se relacionar socialmente, mas sem sentir alegria ou prazer.

A doença é grave e precisa de tratamento para evitar complicações ainda mais sérias. A depressão pode desencadear não só outras doenças, como também diminuir a qualidade de vida dos pacientes. Existem diferentes tipos de depressão e apenas um médico especialista pode identificar um quadro da doença e a melhor forma de recuperação.

depressao cronica

Como identificar a depressão crônica

A depressão crônica é definida como um quadro de tristeza profunda e sentimento de culpa, além da incapacidade de se sentir feliz e de ter prazer, mesmo que aparentemente não haja motivo para isso. Em alguns casos, pode fazer o paciente sofrer de doenças físicas que surgem e desaparecem de forma inexplicável.

Os sinais da doença variam de acordo com cada pessoa. As características principais são humor depressivo, cansaço frequente, choro, medos em geral, pessimismo, insegurança, apatia, dificuldade de concentração, insônia, falta de apetite e perda de peso. A capacidade de sentir prazer ou alegria é praticamente nula.

Existem diversos tipos de depressão, e as maiores diferenças entre as doenças são o motivo da alteração de humor, a intensidade e a duração. A depressão crônica é o tipo mais grave e a causa geralmente é um motivo específico. Não é uma doença genética e se desenvolve a partir de algum acontecimento muito forte, como um choque, luto ou frustração.

Principais tratamentos para depressão crônica

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), os quadros de depressão atingem mais de 350 milhões de pessoas no mundo. Por isso, ao sentir alterações de humor frequentes e por muito tempo, e se isso está interferindo na vida profissional e pessoal, o melhor a fazer é procurar a ajuda de um psiquiatra, um psicólogo ou até mesmo um neurologista.

Apenas um profissional qualificado pode identificar a doença e indicar o melhor tipo de recuperação para cada paciente. Vale lembrar que o diagnóstico precoce e a introdução do tratamento adequado são de extrema importância, pois cerca de 15% a 20% dos pacientes de depressão crônica tentam o suicídio.

Os principais tratamentos são feitos com sessões de terapia e o uso de medicamentos. Manter uma vida ativa e relações afetivas também são pontos importantes, além da prática regular de atividades físicas. Os exercícios ocupam a mente, mantendo a pessoa em movimento e proporcionando bem-estar.

Um dos objetivos dos tratamentos é a recuperação da autoestima, que é quebrada pela depressão. Para isso, é preciso trabalhar com a autoajuda. A motivação interna, acompanhada das sessões de psicanálise e dos antidepressivos, é a melhor forma de conseguir acelerar a recuperação da depressão crônica.

Gostou das dicas de saúde? Então deixe um comentário! E não esqueça que sempre tem novidade aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
depressão
tristeza
pessimismo
sinais da depressão

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ