Clínica Geral

04/05/2015 08:39 - Atualizado em 09/12/2016 07:32

Da faringite à apneia: Conheça as causas da garganta seca

Indício de doenças ou apenas incômodo passageiro, a secura na garganta merece cuidados.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Você acordou com aquela coceira no fundo da boca? Não consegue se desfazer da sensação de garganta seca? Existem várias causas para esse incômodo, desde uma noite mal dormida até algumas doenças que afetam a região.

Quando ocorre secura na garganta, as membranas mucosas estão ressecadas em função, principalmente, de você dormir com a boca aberta, sofrer de apneia do sono, respirar pela boca ou estar em ambientes muito secos. Outra causa muito comum é a desidratação, em função da baixa ingestão de água durante o dia.

Conheça outras causas e saiba como acabar com essa sensação.

garganta seca

O que deixa a garganta seca?

Algumas situações pouco prováveis podem deixar a garganta seca, como, por exemplo, o mau hálito, que se desenvolve especialmente em climas de baixa umidade. Além disso, medicamentos anti-histamínicos, tabaco, tosse intensa e alergias costumam ressecar a garganta.

Inflamações na garganta, reações alérgicas, vômitos e náuseas são outras possíveis causas do ressecamento. Situações mais graves, como câncer de esôfago e da própria garganta, como a faringite, levam à dificuldade de engolir ou de respirar pela boca.

A garganta seca pode ser indício também de alguma doença que esteja se desenvolvendo no organismo, funcionando como um sintoma. Nesses casos, geralmente está acompanhada de outros sinais respiratórios, como falta de ar, rouquidão na voz, tosse, formação de pus na boca e dores de garganta.

Pessoas com acidez digestiva - em função de vômitos e refluxo - ou dificuldade de deglutição também são alvos frequentes da secura. Somado a isso, os problemas intestinais podem aparecer acompanhados de dores no corpo, inchaço nas glândulas, visão nebulosa, fraqueza dos músculos, hipotensão e fadiga.

Existem doenças subjacentes, principalmente na região das amígdalas, que levam ao ressecamento da garganta, quando o sistema imunológico não consegue bloquear os germes que entram pela respiração. Nessas situações, podem surgir infecções, abcessos, amigdalite crônica e tumores.

Uma das doenças mais raras que se apresentam pela garganta seca é a síndrome de Sjögren, um problema autoimune que impossibilita a formação de umidade na saliva, ressecando tanto a garganta quanto a boca.

O câncer da glândula salivar também pode se desenvolver, mas está geralmente associado a quadros de tabagismo, histórico familiar e dietas que abusam de gorduras.

Tratando a garganta seca

Busque sempre um médico caso a secura na garganta se manifeste junto com manchas brancas nas amígdalas ou tosse, pois é sinal de infecções que requerem tratamento imediato.

Em casa, beba líquidos com frequência. Às vezes, quando o tempo está quente, até mesmo chupar um cubo de gelo já ajuda a manter a garganta úmida. Você pode, inclusive, congelar chás e sucos em cubos para chupar durante o dia.

Pirulitos e alimentos que derretem podem resolver. Consuma pastilhas próprias para a garganta ou doces e balas duras, que estimulem a salivação e lubrifiquem a área. Até mesmo a goma de mascar pode ser eficiente para combater a garganta seca.

Remédios caseiros também podem tratar a condição. Em um copo de água quente, dissolva mel e suco de limão. Deixe esfriar e beba aos poucos. Se preferir, adicione gelo.

O sal ajuda a aliviar o ressecamento da garganta, então coloque uma colher de chá de sal em um copo de água quente. Espere que a mistura fique morna e use para fazer gargarejos.

Gostou das dicas? Então deixe um comentário! E não esqueça que você sempre encontra novidades de saúde aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
problemas respiratórios
tosse
umidade
beber água

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ