Clínica Geral

13/12/2014 04:34 - Atualizado em 06/12/2016 12:22

Conheça a onicomicose, uma doença comum no verão

Manchas brancas e inflamações dos dedos são alguns dos problemas causados pela onicomicose.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A onicomicose, apesar do nome um pouco diferente, é uma doença bem comum no verão. Ela é a famosa infecção nas unhas, causada por fungos que se "alimentam" da substância que forma essas estruturas.

onicomicose

Essa infecção pode passar para as unhas a partir do solo, quando se tem o costume de andar descalço ou da areia da praia, mas também animais, outras pessoas ou alicates e tesouras contaminados podem transmitir a doença.

Geralmente, as unhas mais afetadas são as dos pés. Isso acontece porque elas ficam por mais tempo fechadas em tênis e sapatos, ambiente úmido, escuro e aquecido que favorece o crescimento dos fungos. Além disso, como elas crescem mais devagar em comparação com as unhas das mãos, a eliminação da onicomicose é mais difícil.

Formas de onicomicose

A onicomicose tem diversas maneiras de se manifestar.  Confira abaixo alguns dos tipos mais comuns:  

Descolamento: a parte “livre” da unha descola da pele dos dedos, em geral começando pelos cantos, e fica com um aspecto oco. Essa é a forma mais comum de manifestação da onicomicose.

Espessamento: as unhas ficam mais espessas e endurecidas, passando a ser mais grossas. Esta é uma forma dolorosa de ornicomicose, acompanhada de um aspecto pontiagudo das unhas, que podem ficar parecidas com uma garra de pássaro.

Leuconíquia: nesse caso, surgem manchas brancas irregulares na superfície das unhas.

Destruição: as unhas se tornam extremamente frágeis, ficando quebradiças e se deformando, com quebras principalmente nas partes inferiores da superfície.

Paroníquia: também conhecida como unheiro, é uma inflamação do contorno das unhas, que fica dolorido, inchado e avermelhado. Isso altera a formação da unha, fazendo com que ela fique ondulada, além de outras alterações em seu comprimento. 

Prevenção:

A maneira mais eficiente de se proteger de uma onicomicose é a higiene.  Separamos alguns cuidados que podem manter você livre desse incômodo:

Evite andar descalço, sobre tudo em ambientes úmidos como vestiários e saunas, com atenção especial à areia da praia.

Não manuseie terra de jardins, hortas ou mesmo vasos de plantas sem luvas.

Não compartilhe material de manicure como alicates e espátulas. Leve seu próprio kit ao salão ou certifique-se de que os objetos foram corretamente esterilizados.

Evite calçados fechados nos dias mais quentes. Se não for possível, procure alternar entre os pares para que eles possam “respirar” antes de serem usados novamente.

Dê preferência as meias de algodão.

Como tratar uma onicomicose:

Em geral, o tratamento utiliza medicamentos de uso local, em cremes, soluções ou esmaltes antifúngicos. Alguns casos podem necessitar tratamento via oral, sob a forma de comprimidos, quando a infecção já está mais avançada.

O tipo de tratamento a ser adotado varia de acordo com a extensão da onicomicoseonicomicose e, por isso, deve ser definido e acompanhado por um médico dermatologista.  Medicamentos indicados por outras pessoas devem ser evitados, pois podem mascarar sintomas importantes para o diagnóstico correto da doença, o que dificulta e atrasa o processo de cura.

Os resultados podem demorar um pouco a aparecer, pois dependem do ritmo de crescimento da unha. As unhas dos pés, por exemplo, chegam a levar até um ano para se renovar totalmente, período pelo qual deve durar o tratamento.

Gostou das dicas? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.
TAGS
pele
unhas
saúde

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ