Clínica Geral

01/02/2016 11:00 - Atualizado em 27/11/2016 02:02

Como escolher o remédio para enxaqueca corretamente

Crises frequentes de enxaqueca devem ser investigadas por um neurologista.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Você já perdeu tardes de trabalho por conta de uma dor persistente e difícil de aliviar? Descobrir qual é o remédio para enxaqueca adequado para o seu caso é tarefa do médico neurologista. A automedicação, além de perigosa, pode não ser efetiva no controle dos terríveis espasmos que atrapalham a sua rotina.

Muito mais complexa que uma simples dor de cabeça, a enxaqueca é uma mistura de diversos sintomas que impedem você de manter suas funções normais do dia a dia. Ela também é marcada por náusea, vômitos e sensibilidade ao som e à luz. Confira os detalhes do tratamento para as dores e veja como prevenir essas crises.

mulher quer remédio para enxaqueca

O remédio para enxaqueca ideal

Antes de ir para a farmácia e comprar um remédio para enxaqueca, pense bem. O que você acha de minimizar o sofrimento e descobrir os motivos pelos quais você sente esses espasmos? Essa é a solução mais acertada em todos os casos. Ligue para um neurologista e marque sua consulta. Lembre-se de explicar todos os detalhes das suas crises.

Existem diversas particularidades que devem ser levadas em conta para o diagnóstico da dor. As crises devem ser acompanhadas de perto e descritas minuciosamente pelo paciente. Vale anotar o horário no qual o incômodo começou, quanto tempo os espasmos duraram, o que você estava fazendo momentos antes da dor e, se for mulher, se estava no período menstrual.

Os medicamentos analgésicos, eficientes para controlar as dores, não são adequados para tratar o problema de maneira completa. Eles devem ser substituídos por remédios adequados para a prevenção. Exercícios físicos, terapia, boas horas de sono, controle do estresse, relaxamento, fisioterapia e acupuntura também podem ser atividades indicadas.

Qualquer remédio para enxaqueca incluído em sua rotina deve ser prescrito e controlado pelo seu médico. Esqueça os conselhos de amigos e as receitas naturais. O melhor é contar com o apoio de um profissional que procure tratar a causa, e não apenas mascarar os sintomas. Podem ser recomendados antidepressivos, neuromoduladores e betabloqueadores, por exemplo.

Saiba Mais
Enxaqueca infantil: Saiba quais são as possíveis causas
Apesar dos riscos, automedicação é prática muito comum entre os brasileiros
Dor de cabeça constante pode ser sintoma de várias doenças

Evite a enxaqueca com hábitos saudáveis

Se você sofre com crises de enxaqueca, sabe que algumas atitudes podem ajudar a aliviar e até mesmo prevenir as dores. Indicados por médicos e pacientes que já passaram por esse problema, esses cuidados não são difíceis de colocar em prática. Veja quais são eles:

- Procure levar uma vida menos estressante. A ansiedade e a preocupação podem desencadear crises

- Alimente-se bem, com refeições nutritivas e lanches a cada três horas

- Diminua as bebidas alcoólicas e o café do seu cardápio

- Durma bem. Desligue aparelhos eletrônicos e crie um ambiente adequado para o descanso

- Abandone o cigarro de uma vez por todas. Além da enxaqueca, você diminui o risco de doenças perigosas, como o câncer de pulmão

- Use óculos de sol e evite permanecer em ambientes muito claros.

Tirou suas dúvidas? Deixe um comentário! E aproveite para conferir outras dicas de saúde aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
dor de cabeça
sintomas de enxaqueca
automedicação
neurologia

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ