Clínica Geral

20/08/2014 10:15 - Atualizado em 08/12/2016 08:42

Cobreiro não tem cura, mas pode ser tratado

Herpes-zóster, o popular cobreiro, é uma doença que se origem do vírus responsável pela catapora.

POR

Redação

  • +A
  • -A

O mesmo vírus responsável pela catapora também pode provocar muita dor com outra doença, a herpes-zóster. Popularmente conhecida como cobreiro, ela causa pequenas feridas na pele e não tem cura.

A herpes-zóster


O vírus varicela-zóster não é eliminado do nosso corpo após o fim das coceiras da catapora. Ele fica adormecido em nosso corpo. Para a maioria das pessoas, até o fim da vida. Em pessoas e situações de baixa imunidade, porém, ele manifesta novamente e causa a herpes-zóster.

cobreiro

A doença costuma se manifestar em pessoas em situação de baixa imunidade, a partir dos 50 anos. Quem sofre com alto nível de estresse e pacientes em tratamentos de câncer e Aids são alvos do problema.

Zona de risco

- Pessoas que estão realizando tratamento para algum tipo de câncer.

- Portadores de doenças que afetam o sistema imunológico, como a Aids.

- Quem faz uso contínuo de remédios que também possuem como efeito colateral diminuir a eficácia do sistema imunológico.

- Pessoas com idade avançada, que já não são mais tão imunes a doenças.

Principais sintomas do cobreiro

Uma particularidade bem curiosa dessa doença é que ela costuma atingir apenas um lado do corpo. Ela normalmente fica restrita ao lado direito ou esquerdo. A herpes-zóster surge, na maioria dos casos, na região das costas, mas pode ir se movendo até o peito e, em casos mais delicados, para o rosto.

Existem três frases do cobreiro, que apresentam sintomas distintos:

Fase inicial

Nessa primeira fase, as feridas ainda não surgem.

- Arrepios no nervo afetado pelo vírus.

- Problemas gástricos.

- Dor na região em que foi afetada.

- Coceira e irritação na pele em torno do local.

Fase Ativa

É nesse momento que as feridas começam a surgir e se espalhar pelo corpo.

- As feridas começam a se espalhar. Surgem em um local e vão “caminhando” pelo corpo.

- Uma pequena camada seca começa a surgir nas feridas.

- Dor nas feridas.

Fase crítica

É o momento mais tenso da doença. A maioria das pessoas que apresentam o cobreiro não chegam a manifestar o problema.

- Região do corpo afetada muito sensível a qualquer contato físico.

- Muita dor nas feridas.

Diagnóstico e tratamento do cobreiro


Normalmente o diagnóstico da herpes-zóster é realizado pelo dermatologista, mas profissionais de outras especialidades poderão identificar os sintomas e encaminhar o caso. Hoje ainda não há uma cura para a doença, mas existem medidas de tratamento que aliviam os sintomas e barram o avanço do problema.

- Água gelada, tanto no banho quanto em compressas na região das feridas.

- Remédios para a dor podem ajudar a tolerar um dos sintomas mais incômodos da doença.

- Antivirais podem ser boas opções para amenizar o tempo de duração das feridas.

A herpes-zóster não é a mais comum das doenças, mas pode dar muita dor de cabeça e interferir nas rotinas do dia a dia. Se manifestar algum sintoma, busque uma opinião profissional e inicie o tratamento.

TAGS
pele
doença
catapora

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ