Clínica Geral

25/07/2014 08:30 - Atualizado em 07/12/2016 05:55

Cistite intersticial é comum em mulheres na meia-idade

Conheça a cistite intersticial, doença que provoca dor pélvica e pode ser tratada com remédios.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A inflamação ou irritação da parede da bexiga é o que caracteriza a cistite intersticial, uma doença crônica que pode deixar cicatrizes no órgão e provocar o espessamento da sua parede, diminuindo a sua capacidade.

O seu diagnóstico pode ser difícil, pois alguns de seus sintomas aparecem em mais doenças. Entre os mais comuns, além da dor na região da bexiga, estão a urgência em urinar e frequência urinária - o paciente pode ir ao banheiro até 100 vezes por dia.

Cistite instersticialTipos de cistite intersticial

Existem dois tipos principais de cistite intersticial - um ulcerativo e outro não ulcerativo. Aproximadamente 10% dos pacientes apresentam, nas paredes da bexiga, uma ulceração típica em estrela, chamada úlcera de Hunner. Também há casos de alterações com áreas hemorrágicas, as glomerulações.

Estima-se que, a cada 10 pessoas com cistite intersticial, 9 são mulheres. Também é mais comum a ocorrência em pessoas por volta dos 40 anos. Em crianças, raramente são registrados casos. Há estatísticas que afirmam que a doença acomete cerca de um milhão de pessoas em todo o mundo, e outras que dizem que a cada 100 mil habitantes haja de 1,2 a 4,5 casos.

Causas da doença

Não existe uma única causa conhecida para a cistite intersticial, mas especulam-se vários fatores que podem dar origem a essa condição.

Entre eles, estão causas psicológicas, uma vez que há muitas mulheres que desenvolvem a doença a partir de quadros de depressão ou distúrbios psiquiátricos. Também há causas vasculares (como problemas primários nos vasos sanguíneos), neuropáticas (como problemas nos nervos que tornam a bexiga muito sensível) e autoimunes (ou seja, alterações no modo como o organismo reconhece seus próprios componentes).

O mais provável é que a cistite não seja uma doença isolada, mas sim um conjunto de enfermidades que culminam nesse quadro.

Sintomas da cistite intersticial

Os sintomas mais comuns são a dor pélvica, desconforto urinário, dor durante relação sexual, urgência em urinar e frequência urinária.

Mas esses sintomas aparecem em uma série de outras doenças, como infecções vaginais, doenças sexualmente transmissíveis, inflamações crônicas da próstatas, infecções urinárias comuns, cálculos urinários e tumores na bexiga, por exemplo.

Por isso, os exames são importantes também para excluir a possibilidade de os sintomas serem causados por essas outras enfermidades. Entre os exames que podem ser solicitados pelo médico estão a biópsia da bexiga, cistoscopia (exame telescópico do órgão), exame de urina tipo 1, cultura de urina, citologia da urina e videourodinâmica (que mostra qual a capacidade da bexiga até você sentir a vontade de urinar).

Como é o tratamento

Para o tratamento da cistite intersticial, pode ser receitada medicação oral (como polissulfato de pentosan), antidepressivos (que reduzem a hiperativação dos nervos da bexiga), gabapentina (usada para tratar a dor de origem nervosa), anti-histamínicos, anti-colinérgicos, aspirina e outros anti-inflamatórios, como o ibuprofeno, fenazopiridina.

Também é recomendada a atenção para o estilo de vida da pessoa, cuidando da dieta (evitando álcool, café e bebidas ácidas ou gaseificadas, por exemplo), parando de fumar e praticando exercícios físicos com regularidade. Em último caso, pode-se recorrer a um tratamento cirúrgico, se não houver resposta aos tratamentos anteriores.

Você já teve essa doença? Ou conhece alguém que já teve? Conte um pouco da sua experiência.

TAGS
inflamação
bexiga

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ