Clínica Geral

25/05/2015 10:31 - Atualizado em 02/12/2016 02:21

Cisticercose: Má conservação dos alimentos pode causar infecção

O parasita causador da cisticercose é transmitido pelas fezes de pessoas com teníase.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Não lavar vegetais direito e consumir carne suína ou bovina de procedência incerta são fatores que podem causar doenças devido ao contágio de parasitas. A cisticercose é uma parasitose ocasionada pela ingestão de água ou alimentos contaminados, que provoca o desenvolvimento de cistos em diversas áreas do corpo.

A doença pode causar complicações graves para a saúde, dependendo do local em que o parasita se aloja. Para evitar o problema, é preciso seguir alguns cuidados básicos de higiene pessoal e de armazenamento, preparo e consumo dos alimentos.

cisticercose

Entenda o que é cisticercose

A cisticercose é uma doença causada pelo consumo de água ou de comida contaminada com os ovos do parasita Taenia solium. Os ovos são liberados através das fezes de um indivíduo com teníase, podendo contaminar o solo, a água ou os alimentos que depois serão ingeridos por humanos, porcos ou bois.

Quando uma pessoa ingere os ovos, o parasita se transforma em larvas que se encaminham do trato digestório à corrente sanguínea. Ele se aloja em órgãos como pele, coração, olhos ou cérebro, formando cistos que podem inflamar, inchar e até causar problemas neurológicos.

Quando penetram no sistema nervoso, a doença é identificada como cisticercose cerebral ou neurocisticercose.

Os sintomas variam de acordo com a área afetada. No caso do cérebro, ocorre dor de cabeça, convulsões, confusão mental ou até coma. Quando o parasita se aloja no coração, a pessoa sente palpitações, dificuldade de respirar ou respiração ruidosa. Num músculo, manifesta dor local, inchaço, inflamação e dificuldade nos movimentos.

Quando o parasita se instala na pele em alguma parte do corpo, pode surgir um papo, que geralmente não causa dor e pode ser confundido com um cisto. Ao afetar os olhos, a doença causa problemas de visão ou até mesmo cegueira.

Os tratamentos para combater a cisticercose variam de acordo com a localização dos cistos, com o período de contaminação e com o estado de saúde do paciente. Em geral, são utilizados remédios antiparasitários, podendo também ser indicados anticonvulsivantes - para evitar as convulsões -, corticoides ou cirurgia para a retirada da larva do parasita.

Dicas para evitar a contaminação

Para prevenir a ploliferação e a transmissão da cisticercose, os cuidados básicos são com a conservação e o preparo dos alimentos, evitando a contaminação de frutas, verduras, legumes e carnes. Confira algumas dicas:

- Beba sempre água potável, mineral ou filtrada

- Lave as mãos antes das refeições e após usar o banheiro

- Prepare bem os alimentos, lavando frutas, verduras e legumes com água limpa ou filtrada

- Não adube a terra com fezes humanas ou água de esgoto

- Não consuma alimentos cuja procedência você desconhece

- Não irrigue a horta com água de rio e dê água limpa aos animais

- Consuma carne proveniente de abate inspecionado, o que garante que medidas preventivas foram tomadas em todas as etapas até a chegada ao mercado.

Gostou das dicas? Então deixe um comentário! E continue ligado no Vivo Mais Saudável para acompanhar novidades de saúde.

TAGS
parasita
conservação dos alimentos
infecção
higiene

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ