Clínica Geral

01/06/2015 02:14 - Atualizado em 03/12/2016 12:08

Bypass gástrico: Conheça a cirurgia bariátrica mais comum

As cirurgias bariátricas possuem técnicas diferentes, mas o bypass gástrico é utilizado em 75% dos casos.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Você provavelmente já deve ter ouvido falar das cirurgias bariátricas. Mais conhecidas como redução de estômago, são opção para casos de obesidade mórbida. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCB), o procedimento chamado bypass gástrico é o mais praticado no Brasil.

Cerca de 75% das cirurgias realizadas utilizam o bypass gástrico devido à sua alegada segurança e eficácia, pois o paciente que se submete à cirurgia perde de 40% a 45% do peso inicial. Segundo a SBCB, 60 mil cirurgias foram realizados em 2010 no Brasil, o que representa um aumento de 33% em comparação com 2009.

bypass gastrico

Como o bypass gástrico é realizado

O procedimento é considerado misto pelos especialistas, pois utiliza diferentes processos. É realizado no paciente uma espécie de grampeamento de parte do estômago, o que causa a redução do espaço reservado para os alimentos.

Em seguida, um desvio do intestino inicial é feito, o que aumenta os hormônios que dão saciedade e diminuem a fome. A menor ingestão de alimentos durante as refeições e o aumento da sensação de saciedade são apostas para ocasionar o emagrecimento dos pacientes.

Conforme a SBC, a indicação para cirurgias deve ser influenciada pelo resultado da análise de três aspectos do paciente: o índice de massa corporal (IMC), a idade e o tempo da obesidade e doenças causadas por ela.

Pessoas com IMC acima de 40kg/m², ou entre 35kg/m² e 40kg/m² com presença de doenças causadas pela obesidade, são candidatas ao bypass gástrico. Em alguns casos, indivíduos com IMC entre 30kg/m²  e 35kg/m² que tenham a classificação “grave” por um médico especialista também podem recorrer à cirurgia.

Também é preciso apresentar IMC e doenças em faixa de risco há pelo menos dois anos e ter realizado tratamentos convencionais anteriormente. Pacientes com menos de 16 anos devem ser avaliados por cirurgião e equipe multidisciplinar, além de ter a operação consentida pela família ou responsável legal. Pessoas entre 18 e 65 anos não possuem restrições quanto à idade.

Entretanto, pacientes acima de 65 anos devem passar por avaliação individual para que sejam considerados os riscos cirúrgicos, presença de outras doenças causadas pelo excesso de peso, a expectativa de vida e os possíveis benefícios do emagrecimento.

bypass gastrico

Prós e contras do bypass gástrico

Em 2014, um grupo de pesquisadores do Imperial College London, em Londres, descobriu que a técnica do bypass gástrico provoca a diminuição do desejo de comer por prazer e acabar ingerindo alimentos doces ou ricos em gordura.

A pesquisa analisou como o cérebro responde às alterações do corpo após o procedimento. Os pacientes contaram que, depois da cirurgia, as comidas doces e ricas em gordura passaram a ser menos atrativas, o que ocasionou em ganho de hábitos alimentares mais saudáveis, em comparação aos outros integrantes do grupo de controle do estudo.

O paciente que passa por qualquer tipo de cirurgia bariátrica deve sempre controlar seu peso. De acordo com a SBCB, a cirurgia intermedeia um processo de reeducação alimentar, mas com a condição de que o paciente deve se comprometer a controlar sua dieta ao longo da vida, aliando a alimentação com exercícios físicos regulares.

Ou seja, a cirurgia, por si só, não resolve os problemas relacionados ao ganho de peso. Ainda, há alguns efeitos possíveis da operação, como anemia, perda de cabelo e surgimento de gases. Os pacientes devem ter cuidado com o mal-estar provocado quando é ingerido muito líquido ou alimento de uma vez só.

Entendeu como funciona o bypass gástrico? Deixe um comentário! E continue ligado no Vivo Mais Saudável para conferir mais dicas de saúde.

TAGS
bariátrica
redução de estômago
obesidade
IMC

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ