Clínica Geral

14/10/2015 05:45 - Atualizado em 07/11/2016 09:54

Aumenta a procura por medicamentos controlados em São Paulo

Os chamados remédios tarja preta devem ser usados com cuidado e sempre com prescrição médica.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Um levantamento feito na cidade de São Paulo mostrou que o consumo e o número de usuários de medicamentos controlados têm aumentado cada vez mais. Os principais remédios procurados pelos pacientes são antidepressivos, ansiolíticos e antipsicóticos, fazendo um alerta para a rede de saúde pública.

Esses fármacos podem trazer riscos graves para a saúde, quando consumidos de forma errada ou sem prescrição médica. Além disso, só o uso dos medicamentos não é indicado para pacientes com transtornos psiquiátricos, devendo sempre haver psicoterapia para um tratamento eficiente.

mão com medicamentos controlados

Consumo de medicamentos controlados

Em quatro anos, o número de usuários de medicamentos controlados na rede municipal de São Paulo cresceu 47%, passando de 592,8 mil pessoas em 2010 para 874,4 mil em 2014.

São 281,6 mil novos consumidores que recorrem às farmácias da prefeitura atrás de ansiolíticos - que ajudam a reduzir a ansiedade -, antipsicóticos - que tratam transtornos que causam alucinações, como a esquizofrenia - e principalmente antidepressivos.

Acredita-se que vários motivos contribuam para o aumento do consumo de medicamentos controlados, como o crescimento do estresse e da violência nas grandes cidades, a diminuição do preconceito em relação aos transtornos psiquiátricos e ainda a facilidade de acesso a esses remédios.

Devido aos números crescentes, a Prefeitura de São Paulo elaborou estratégias para estimular o uso racional dessas drogas. Entre elas estão ações de convivência pela cidade, com grupos de atividades corporais e integrativas, para incentivar a prática de exercícios físicos e o convívio entre as pessoas.

Além disso, também vai ser lançado um protocolo para sensibilizar os profissionais da saúde mental quanto à prescrição mais consciente.

Cuidados para o consumo desses remédios

Os medicamentos controlados são aqueles com tarja preta, indicando que podem apresentar efeitos colaterais e reações adversas graves nos pacientes. Por isso, a sua venda só pode ser feita mediante a apresentação de receita médica especial na cor azul.

Esses remédios possuem ação sedativa ou com impacto no sistema nervoso central, agindo imediatamente e com forte efeito. São receitados para pessoas com doenças de um grau de risco maior, ou que já estejam num estágio avançado.

Saiba Mais
Estresse no trânsito: Veja como manter a calma
Crises de ansiedade: Saiba como lidar com o problema
Depressão crônica é um tipo mais grave da doença

Além da avaliação e da prescrição médica, para consumir medicamentos de tarja preta também é preciso seguir corretamente as indicações de uso. Esses fármacos possuem um alto valor viciante, podendo causar dependência química, além de provocar outros efeitos graves, como taquicardia, problemas cardíacos e até mesmo a morte.

Outro fator muito importante é que, para tratar transtornos psiquiátricos, não basta apenas o uso dos medicamentos. Aliar os remédios à psicoterapia é fundamental para o tratamento efetivo e seguro das doenças. Por isso, a rede pública deve se preocupar também em ampliar a oferta de outros serviços para os pacientes, além do acesso aos medicamentos.

O que você achou do artigo? Deixe um comentário! E aproveite para conferir as dicas de saúde do Vivo Mais Saudável.

TAGS
tarja preta
depressão
ansiolíticos
antidepressivos

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ