Clínica Geral

11/09/2015 08:42 - Atualizado em 24/11/2016 06:09

Arteriosclerose compromete a saúde do coração

O acúmulo de gordura nas artérias pode causar ataques cardíacos e embolia.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A arteriosclerose é um problema bastante comum, porém perigoso. Caracterizado pelo acúmulo de gordura e de outros elementos na parede das artérias, ela reduz a quantidade do fluxo sanguíneo aos tecidos e órgãos.

Para o início dos primeiros sintomas, é necessário que ocorra uma obstrução significativa - cerca de 75% - do fluxo de sangue. De forma geral, o problema tem um desenvolvimento progressivo e lento, por isso é necessário adotar medidas preventivas desde cedo.

idoso com arteriosclerose

Entenda os perigos da arteriosclerose

As placas, chamadas de ateromas, ocupam a parede da artéria, comprometendo a sua elasticidade. O resultado são artérias enrijecidas, que colaboram para o aumento da pressão arterial e a formação de coágulos.

Os coágulos, chamados de trombos, podem provocar embolias arteriais, quando se soltam das placas. A arteriosclerose pode ocorrer em qualquer região do corpo, porém, quando atinge um órgão vital, as consequências são perigosas. Enquanto no coração ocorre o infarto, no cérebro pode haver embolia e trombose.

O grupo mais acometido pelo problema são os homens com idade entre 50 e 70 anos, geralmente com altas taxas de colesterol e hipertensão, além de um estilo de vida sedentário e hábitos pouco saudáveis.

O diagnóstico da arteriosclerose é feito por meio de um exame físico, acompanhado de palpação nos pulsos arteriais, além de exames de laboratório, ultrassonografia e arteriografia.

Saiba Mais
Má circulação pode causar varizes e trombose
Entenda por que a gordura trans será banida dos Estados Unidos
Sintomas de colesterol alto em crianças não são aparentes

O tratamento da doença envolve a mudança de hábitos, acompanhada de cuidados clínicos. Em alguns casos, a intervenção cirúrgica pode ser necessária.

A prática regular de exercícios é uma das mudanças essenciais no tratamento e, também, uma forma de prevenção da doença. O movimento colabora para que haja um bom fluxo sanguíneo, além de potencializar a queima de gordura.

A alimentação equilibrada é outro ponto importante em relação à arteriosclerose. Um estudo conduzido pela Universidade Wake Forest, nos Estados Unidos, e publicado no Journal of Nutrition revelou que o consumo de verduras reduz consideravelmente o endurecimento das artérias.

arteriosclerose infografico

Doença comum há séculos

Para muita gente, a arteriosclerose era considerada um mal da atualidade. No entanto, um estudo revelou que a enfermidade pode ter sido um problema comum no mundo antigo.

Um grupo de pesquisadores de diferentes partes do globo analisou, por meio de tomografia computadorizada, 137 múmias do Egito Antigo, Peu, Ilhas Aleutas e sudoeste da América.

Nos casos em que as estruturas arteriais ainda existiam, os pesquisadores encontraram sinais da doença em 34% das múmias. Segundo os estudiosos, o fato de terem encontrado o mesmo padrão em exemplares de diferentes partes do mundo sugere que a doença pode ter sido mais comum do que se acreditava.

O que você achou deste artigo? Conte para nós! E lembre-se que uma vida ativa é a chave para envelhecer sem problemas de saúde. Continue ligado nas dicas do Vivo Mais Saudável e conquiste mais bem-estar no seu dia a dia!

TAGS
estilo de vida
colesterol
hipertensão
gordura

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ