Clínica Geral

28/08/2015 06:00 - Atualizado em 24/11/2016 06:32

Álcool: Previna-se de excessos e cuide da sua saúde

Câncer, depressão, suicídio e outros problemas podem ser causados pelo consumo excessivo de álcool.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Você bebe aquele cervejinha habitualmente? Ou tem problemas com álcool? No Dia Nacional de Controle do Alcoolismo, o Vivo Mais Saudável explica para você o quanto o álcool em excesso pode ser seu maior inimigo e como pode afetar seu organismo.

Avalie seu consumo de álcool. Faça o teste

 

O consumo de álcool acompanha gerações como um hábito socialmente aceitável, mas exagerar na dose provoca riscos de doenças e aumento no número de acidentes. No entanto, mesmo com campanhas contra o alcoolismo, homens, mulheres e adolescentes ainda não entendem completamente os efeitos, principalmente a longo prazo, do álcool no corpo.

Para a presidente da Associação Brasileira de Estudos do álcool (ABEAD), a psiquiatra Ana Cecília Marques, nos últimos tempos, a ingestão de bebidas alcoólicas por mulheres elevou gradativamente, ultrapassando os homens. “As mulheres participam de happy hour e de festas em empresas, entre outros eventos. Isso é saudável se não for em demasia. Uma informação importante é que o consumo excessivo de álcool aumenta a chance da mulher ter câncer de mama em até 10%.”   

Se as mulheres consomem com mais frequência, a situação dos adolescentes não é muito diferente. Nos últimos anos, o alcoolismo se tornou um grande responsável pelo elevado índice de suicídio entre os jovens, no mundo inteiro. “Meninos e meninas bebem igualmente hoje em dia. A faixa etária mais proeminente é entre os 12 e 14 anos. A depressão também leva ao alcoolismo, e consequentemente aos casos de suicídio. É uma verdadeira cascata de vulnerabilidade”, conta ela.

Você consome bebida alcoolica com frequência? Descubra aqui

Mas como reverter esse quadro?

A psiquiatra Ana Cecília Marques acredita que duas bases são essenciais para o controle do alcoolismo: a relação familiar e campanhas de incentivo. “A família deve participar ativamente da vida de quem sofre com a doença, ela deve se educar sobre o tema. Mas também sinto falta de políticas para mulher, porque ela esconde mais sua relação com as drogas, e tem mais vergonha de seus comportamentos”, enfatiza.

 

Existe fórmula para beber tranquilamente?

Se você acha que beber uma dose diária possa não torná-lo dependente de álcool, pode estar muito enganado. A psiquiatra Ana Cecília Marques não recomenda uma fórmula exata para beber socialmente, mas identifica o processo do álcool no organismo. “Segundo a Organização Mundial de Saúde, não existe uso seguro de drogas, mas uma dose a cada duas horas é o mínimo para a intoxicação. O estudo se leva ao fato de que o fígado leva cerca de uma hora e meia para metabolizar uma dose, podendo ser uma cerveja, uma taça de vinho ou 40ml de destilado."

Saiba Mais
Risco de câncer digestivo aumenta com consumo de álcool
Conheça os efeitos do álcool no organismo

O oncologista clínico Elge Werneck Araújo Júnior, colaborador do Vivo Mais Saudável, comenta sobre os principais efeitos do álcool no cérebro e organismo. Leia e reflita!

Os segredos do álcool

O uso do álcool como estimulante e relaxante (embora tenha grande potencial depressor) é bastante antigo e universalmente aceito. Essa observação é facilmente exemplificada pela enorme variedade de bebidas alcoólicas e seus relatos desde a antiguidade.

Sua ingestão traz consigo, inicialmente, uma sensação de prazer e excitação, com perda de possível inibição, o que sustenta seu consumo em diversas ocasiões. Associado a esse uso, principalmente em altas doses, os mecanismos depressivos (não apenas de humor, mas também de coordenação motora, raciocínio, etc) aparecem como o desfecho mais comum nos usuários crônicos.

Além desses efeitos deletérios, sem esquecer que o etilismo é a principal causa de cirrose hepática em todo o mundo (sem citar ainda relação com diabetes, doenças cardiovasculares), vários estudos não deixam dúvidas em afirmar: o álcool é responsável por vários tipos de câncer. Tumores de cabeça e pescoço [1], tumores de esôfago, estomago, fígado, cólon dentre outros são sabidamente mais incidentes em pacientes portadores de alcoolismo crônico de grande monta. Com o objetivo de avaliar se esses mesmos achados aplicam-se de forma semelhante a homens e mulheres, e buscando entender se doses menores também oferecem os mesmos riscos, é que Yin Cao e colegas [2] analisaram mais de 130.000 pacientes prospectivamente, através de duas coortes americanas. Com um seguimento em torno de 24 a 30 anos, o uso de apenas uma dose diária de bebida alcoólica (< 15g) conferiu às mulheres (não fumantes) um risco aumentado de desenvolvimento de câncer, em especial de mama. Esses mesmos achados não foram observados no homem, onde o uso de ate duas doses diárias – até 30 g - (em homens não fumantes) não alterou o risco de câncer.

Embora não tenha ocorrido diferença de incidência nos homens que consumiram até 30 g/dia de álcool, é importante lembrar que esse estudo excluiu pacientes tabagistas e que, na vida real, a concomitância de tabaco e álcool é muito comum, e essa associação é sinérgica para a iniciação do processo neoplásico. Resumindo: tabagismo e alcoolismo são hábitos que somam-se para produzir o câncer.

Ficou assustado? Pois é. Assusta mais ainda saber que 15 g representa uma lata de cerveja ou uma dose de destilado.

Sabe-se que esse costume faz parte da vida comum de muitos indivíduos mas que, como em tudo, a prudência e o equilíbrio podem evitar que algo prazeroso torne-se um risco. Mantenha hábitos saudáveis, alimente-se bem, não fume e pratique exercícios físicos. Esses mecanismos protetores provavelmente irão se sobrepor aos riscos oferecidos pelo hábito etílico ocasional (repito: ocasional).



[1] Rev Bras Epidemiol. 2015 Jul-Sep;18(3):618-29. doi: 10.1590/1980-5497201500030008. Epub 2015 Sep 1.

[2] BMJ 2015;351:h4238

Gostou das dicas? Deixe seu comentário! E fique ligado no conteúdo dos nossos especialistas no Vivo Mais Saudável

TAGS
como lutar contra o alcoolismo
bebidas alcoolicas

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ