Clínica Geral

09/04/2016 10:00 - Atualizado em 06/12/2016 01:07

A alegria pode fazer mal? Estudo diz que sim

Sentimento prazeroso seria capaz de ocasionar dores no peito e falta de ar.

POR

Redação

  • +A
  • -A

"Rir é o melhor remédio": a frase funciona como um mantra para os otimistas de plantão. No entanto, um estudo suíço pode comprovar que a alegria, na verdade, também é capaz de provocar doenças relacionadas ao coração.

De acordo com pesquisadores do Hospital Universitário de Zurique, dores no peito e falta de ar nem sempre são causadas pelo estresse emocional despertado por momentos de raiva, tensão e pesar. Elas também podem ser fruto da felicidade. As conclusões foram divulgadas na publicação científica “European Heart Journal”. Entenda o caso.

mulher fala da alegria no celular

Alegria em excesso pode afetar o coração

Segundo a pesquisa suíça, pelo menos um em cada 20 casos da cardiomiopatia de Takotsubo, uma alteração no ventrículo esquerdo do coração ligada ao estresse, é causado pela alegria em excesso.

O estudo do hospital analisou 1.750 pacientes. Os médicos descobriram que alguns deles apresentaram problemas cardíacos causados por uma série de ocasiões felizes, desde a vitória do seu time do coração até uma festa de aniversário.

A descoberta ajuda a desmitificar quem sofre da referida doença, geralmente conhecida como “síndrome do coração partido”. Para uma das realizadoras da pesquisa, os resultados sugerem que a tristeza e a alegria compartilham o mesmo caminho emocional que leva à patologia.

Na maioria dos casos analisados, mulheres que passaram pela menopausa eram as pacientes em que os momentos de felicidade eram atribuídos como causa da cardiomiopatia de Takotsubo.

Risoterapia: A alegria transforma

Se por um lado a alegria em excesso pode representar um problema cardíaco específico, existe quem defenda que a risoterapia pode aumentar as defesas do sistema imunológico. Combater o estresse, a depressão e até acidentes vasculares cerebrais seriam outros benefícios.

O tema foi, inclusive, parar nas telas de Hollywood com o filme Dr. Hunter “Patch” Adams - traduzido no Brasil como "Patch Adams: o amor é contagioso". O longa retrata a vida de um jovem médico que aplica o humor e o riso como forma de promover a saúde e o bem-estar de seus pacientes.

No livro “A terapia do riso”, o homeopata explica como a alegria e as risadas ajudam na resposta aos tratamentos e auxiliam os mecanismos naturais de autocura. Segundo o médico, quanto maior a intensidade do riso, maior será a produção dos neurotransmissores importantes para a saúde, como as endorfinas e as serotoninas, que são antidepressivas.

Quando se ri, o corpo todo vibra, produzindo relaxamento e dando uma sensação de bem-estar. Essa vibração ativa o cérebro, que passa a produzir substâncias químicas que protegem o organismo contra os males já citados.

Você concorda que a alegria em excesso pode fazer mal? Deixe um comentário! Aproveite para compartilhar o artigo nas redes sociais e veja o que seus amigos acham! E não se esqueça de conferir outras dicas de saúde e bem-estar aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
riosterapia
cardiomiopatia de Takotsubo
cardiologia
bem-estar

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ