MEDICINA ALTERNATIVA

10/07/2014 10:02 - Atualizado em 22/07/2014 19:05

Tai Chi

Mais que uma arte marcial, um modo de vida natural e moderado baseado no equilíbrio das forças Yin e Yang.

POR

A.D.A.M.

  • +A
  • -A

O que é tai chi?

Tai chi é um programa de exercícios suaves que faz parte da Medicina Tradicional Chinesa (MTC). Derivado das artes marciais, o tai chi é composto de movimentos lentos e deliberados, meditação e respiração profunda, que melhoram a saúde física e o bem-estar emocional.

Receba mais dicas com o Vivo Bem-estar.

Assim como muitas práticas do Oriente, o tai chi é baseado em ideias espirituais e filosóficas que defendem a necessidade de equilíbrio no corpo, mente e espírito. A ideia central ao tai chi é que o qi (pronuncia-se "chi"), ou energia vital, flui através do corpo. O Qi deve ser capaz de se mover livremente para uma boa saúde. O princípio do yin/yang é importante também. Yin e yang são forças opostas e complementares no universo, da mesma forma como o são a luz e a escuridão. O tai chi deve harmonizar esses opostos. Por fim, o tai chi imita o movimento encontrado na natureza, como os movimentos de animais, unindo assim os seres humanos com o mundo natural.

Qual é a história do tai chi?

Zhang Sanfeng, um artista marcial que viveu na China no fim do século XVI, criou a prática do tai chi. De acordo com a lenda, Sanfeng sonhou com uma serpente e uma garça lutando entre si. Seus movimentos graciosos inspiraram seu estilo não-combativo de artes marciais. Essa forma antiga de movimento tem sido praticada na China por séculos e ainda é uma rotina diária para dezenas de milhares de pessoas que vivem lá, em especial os idosos. O tai chi foi primeiro introduzido nos Estados Unidos no início dos anos 1970, e desde então tem crescido em popularidade.

Como o tai chi funciona?

Existem várias perspectivas sobre como o tai chi funciona. A filosofia oriental acredita que o tai chi desbloqueia o fluxo do qi. Quando o qi flui de forma adequada, o corpo, mente e espírito estão em equilíbrio e a saúde é mantida. Outros acreditam que o tai chi funciona da mesma maneira que outras terapias de mente-corpo, e há diversas evidências de que prestar atenção à conexão entre mente e corpo pode aliviar o estresse, combater doenças e melhorar o bem-estar físico.

O tai chi possui 3 componentes principais, movimento, meditação e respiração profunda.

  • Movimento: Todos os grupos principais de músculos e juntas são necessárias para os movimentos lentos e suaves do tai chi. O tai chi melhora o equilíbrio, agilidade, força, flexibilidade, vigor, tônus muscular e coordenação. Esse exercício de baixo impacto e de suporte de peso fortifica os ossos e pode desacelerar a perda óssea, evitando assim o desenvolvimento da osteoporose.
  • Meditação: Pesquisas mostram que a meditação acalma a mente, melhora a concentração, reduz a ansiedade e diminui a pressão arterial a frequência cardíaca.
  • Respiração profunda: Expirar o ar viciado e as toxinas do pulmão enquanto se inspira a plenitude do ar fresco aumenta a capacidade pulmonar, alonga os músculos envolvidos na respiração e libera a tensão. Também melhora a circulação sanguínea para o cérebro, que aumenta o alerta mental. Ao mesmo tempo, a prática fornece oxigênio fresco e nutrientes ao corpo inteiro.

O que uma sessão de tai chi envolve?

As sessões de tai chi são geralmente em grupo e duram cerca de uma hora. Cada sessão começa com um exercício de aquecimento. O instrutor orienta a classe através de uma série de 20 a 100 movimentos de tai chi que juntos abrangem uma "forma". Uma forma pode levar até 20 minutos para ser completada. Cada forma tem um nome baseado na natureza que descreve sua ação geral, tal como "mover as mãos como nuvens" ou "agarrar a cauda do pássaro". Ao mesmo tempo, pede-se aos estudantes para focarem no ponto logo abaixo de seus umbigos, onde acredita-se que seja o centro de onde flui o qi. O professor encoraja a turma a realizar todos os movimentos de forma lenta e meditativa, e a focar na respiração profunda. Geralmente ao final da aula, há um exercício de desaceleração, relaxamento e meditação.

Quantas sessões eu preciso?

As aulas são geralmente dadas semanalmente. Muitos profissionais recomendam a prática de tai chi por cerca de 15 a 20 minutos diariamente em casa, já que a prática regular é essencial para dominar as formas e alcançar resultados duradouros. Antes de começar o programa de tai chi, você deve consultar seu médico e discutir suas necessidades médicas com o instrutor de tai chi. Os exercícios podem ser modificados dependendo de sua mobilidade, histórico de lesões, dor crônica, inchaço nas juntas (se houver) e medicamentos que possam afetar o equilíbrio.

Quais condições respondem bem ao tai chi?

O tai chi melhora a condição física geral, coordenação e agilidade. Pessoas que praticam o tai chi regularmente tendem a ter boa postura, flexibilidade e uma variedade de movimentos, são mais alertas mentalmente e dormem melhor à noite.

Avalie agora como está a Qualidade do seu Sono.

Tai chi é uma terapia preventiva e complementar para uma grande variedade de doenças. Ele é benéfico especificamente para dor crônica, mal da gota, doença cardíaca, pressão arterial alta, artrite, osteoporose, diabetes, dor de cabeça, fibromialgia, artrite reumatoide, osteoartrite e transtornos do sono. O tai chi também é benéfico para o sistema imunológico e o sistema nervoso central, o que o torna especialmente benéfico para pessoas com doenças crônicas, ansiedade, infecções virais, depressão ou qualquer outra doença relacionada ao estresse. A respiração profunda do tai chi regula o sistema respiratório, ajudando a tratar de doenças respiratórias como asma, bronquite e enfisema. Também estimula o abdômen, o que ajuda a digestão e alivia constipação e condições gastrointestinais. Muitos estudos clínicos indicam que pessoas idosas que praticam o tai chi possuem uma coordenação melhor entre mãos e olhos e são menos propícios a quedas, que são ambos riscos de saúde para pessoas nessa idade.

Existem doenças que não devem ser tratadas com o tai chi?

O tai chi é seguro para todos, independente da idade ou habilidade atlética, e pode ser modificado para a maioria dos problemas de saúde. Pessoas com mobilidade limitada, mesmo aquelas em cadeiras de rodas, podem aprender e usar com sucesso o tai chi. Em um estudo com 256 adultos sedentários entre 70 e 92 anos, o tai chi diminuiu o número de quedas e o medo de cair, comparado com o alongamento. Aqueles que praticaram o tai chi também melhoraram o equilíbrio funcional e o desempenho físico após 6 meses. Contudo, ele não é próprio para substituir os cuidados médicos para uma doença grave. Converse com o seu médico e seu instrutor sobre quaisquer problemas de saúde ou lesões recentes que você possa ter, ou se está grávida.

Existe alguma coisa com a qual devo estar atento?

O tai chi exercita os músculos em áreas do seu corpo que possam ter sido negligenciadas. Portanto, você pode sentir-se dolorido no início. Leva tempo para desenvolver a postura, flexibilidade e agilidade necessárias para o tai chi, então não se deixe desencorajar. Assim como qualquer programa de exercício, a segurança é afetada pelos exercícios apropriados de alongamento e aquecimento, assim como o alinhamento correto. Se você sentir tontura, falta de ar, dores de cabeça ou dor severa, pare de praticar, fale com o seu instrutor imediatamente e consulte seu médico.

Como posso encontrar um profissional de tai chi qualificado?

Para informações sobre como encontrar uma classe de tai chi em sua região, entre em contato com sua academia de ginástica local ou o ACM. Peça para participar de uma aula antes de se inscrever, para que você possa observar o instrutor e o ambiente da classe.

Veja outras dicas no Vivo Bem-estar.

Adler PA, Roberts BL. The use of Tai Chi to improve health in older adults. Orthop Nurs. 2006;25(2):122-6.

Barbat-Artigas S, Filion ME, Dupontgand S, Karelis AD, Aubertin-Leheudre M. Effects of tai chi training in dynapenic and nondynapenic postmenopausal women. Menopause. 2011;18(9):974-9.

Cheung SY, Tsai E, Fung L, Ng J. Physical benefits of Tai Chi Chuan for individuals with lower-limb disabilities. Occup Ther Int. 2007;14(1):1-10.

Field T. Tai Chi research review. Complement Ther Clin Pract. 2011;17(3):141-6.

Fransen M, Nairn L, Winstanley J, Lam P, Edmonds J. Physical activity for osteoarthritis management: a randomized controlled clinical trial evaluating hydrotherapy or Tai Chi classes. Arthritis Rheum. 2007;57(3):407-14.

Greenspan AI, Wolf SL, Kelley ME, O'Grady M. Tai chi and perceived health status in older adults who are transitionally frail: a randomized controlled trial. Phys Ther. 2007;87(5):525-35.

Irwin MR, Olmstead R, Oxman MN. Augmenting immune responses to varicella zoster virus in older adults: a randomized, controlled trial of Tai Chi. J Am Geriatr Soc. 2007;55(4):511-7.

Irwin MR, Olmstead R, Motivala SJ. Improving sleep quality in older adults with moderate sleep complaints: A randomized controlled trial of Ta Chi Chih. Sleep. 2008;31(7):1001-8.

Kuramoto AM. Therapeutic benefits of Tai Chi exercise: research review. WMJ. 2006;105(7):42-6.

Lam P. Tai chi. Diabetes Self Manag. 2004;21(4):7-10, 12, 14.

Lee MS, Pittler MH, Ernst E. Tai chi for rheumatoid arthritis: systematic review. Rheumatology (Oxford). 2007; [Epub ahead of print].

Li Y, Devault CN, Van Oteghen S. Effects of extended tai chi intervention on balance and selected motor functions of the elderly. Am J Chin Med. 2007;35(3):383-91.

Li F, Fisher KJ, Harmer P, Irbe D, Tearse RG, Weimer C. Tai chi and self-rated quality of sleep and daytime sleepiness in older adults: a randomized controlled trial. J Am Geriatr Soc. 2004;52(6):892-900.

Li F, Harmer P, Fisher KJ, et al., Tai Chi and fall reductions in older adults: a randomized controlled trial. J Gerontol A Biol Sci Med Sci. 2005;60(2):187-94.

Liu H, Frank A. Tai chi as a balance improvement exercise for older adults: a systematic review. Geriatr Phys Ther. 2010;33(3):103-9.

Maciaszek J, Osinski W, Szeklicki R, Stemplewski R. Effect of Tai Chi on body balance: randomized controlled trial in men with osteopenia or osteoporosis. Am J Chin Med. 2007;35(1):1-9.

Morris Docker S. Tai Chi and older people in the community: a preliminary study. Complement Ther ClinPract. 2006;12(2):111-8.

Orr R, Tsang T, Lam P, Comino E, Singh MF. Mobility impairment in type 2 diabetes: association with muscle power and effect of Tai Chi intervention. Diabetes Care. 2006;29(9):2120-2.

Rakel D. Rakel Integrative Medicine, 2nd ed. Philadelphia, PA: Saunders Elsevier. 2007; 38.

Richerson S, Rosendale K. Does Tai Chi improve plantar sensory ability? A pilot study. Diabetes Technol Ther. 2007;9(3):276-86.

Shen CL, Williams JS, Chyu MC, et al., Comparison of the effects of tai chi and resistance training on bone metabolism in the elderly: a feasibility study. Am J Chin Med. 2007;35(3):369-81.

Taylor-Piliae RE, Haskell WL, Stotts NA, Froelicher ES. Improvement in balance, strength, and flexibility after 12 weeks of Tai chi exercise in ethnic Chinese adults with cardiovascular disease risk factors. Altern Ther Health Med. 2006;12(2):50-8.

Taylor-Piliae RE, Froelicher ES. Effectiveness of Tai Chi exercise in improving aerobic capacity: a meta-analysis. J Cardiovasc Nurs. 2004;19(1):48-57.

Thornton EW, Sykes KS, Tang WK. Health benefits of Tai Chi exercise: improved balance and blood pressure in middle-aged women. Health Promot Int. 2004;19(1):33-8.

Tsang WW, Hui-Chan CW. Effects of exercise on joint sense and balance in elderly men: Tai Chi versus golf. Med Sci Sports Exerc. 2004;36(4):658-67.

Tsang WW, Hui-Chan CW. Effect of 4- and 8-wk intensive Tai Chi Training on balance control in the elderly. Med Sci Sports Exerc. 2004;36(4):648-57.

Verhagen AP, Immink M, van der Meulen A, Bierma-Zeinstra SM. The efficacy of Tai Chi Chuan in older adults: a systematic review. Fam Pract. 2004;21(1):107-13.

Wang C. Tai Chi improves pain and functional status in adults with rheumatoid arthritis: results of a pilot single-blinded randomized controlled trial. Med Sports Sci. 2008;52:218-29.

Wang C, Collet JP, Lau J. The effect of Tai Chi on health outcomes in patients with chronic conditions: a systematic review.Arch Intern Med. 2004;164(5):493-501.

Wang C. Tai Chi and Rheumatic Disease. Rheumatic Diseases Clinics of North America. 2011;37(1).

Wayne PM, Kiel DP, Krebs DE, et al., The effects of Tai Chi on bone mineral density in postmenopausal women: a systematic review. Arch Phys Med Rehabil. 2007;88(5):673-80.

Wong AM, Chou SW, Huang SC, Lan C, Chen HC, Hong WH, Chen CP, Pei YC. Does different exercise have the same effect of health promotion for the elderly? Comparison of training-specific effect of Tai Chi and swimming on motor control. Arch Gerontol Geriatr. 2011;53(2):e133-7.

Woo J, Hong A, Lau E, Lynn H. A randomised controlled trial of Tai Chi and resistance exercise on bone health, muscle strength and balance in community-living elderly people. Age Ageing. 2007;36(3):262-8.

Yeh GY, Wang C, Wayne PM, Phillips RS. The effect of tai chi exercise on blood pressure: a systematic review. Prev Cardiol. 2008;11(2):82-9.

Yu TY, Pei YC, Lau YC, Chen CK, Hsu HC, Wong AM. Comparison of the effects of swimming and Tai Chi Chuan on body fat composition in elderly people. Chang Gung Med J. 2007;30(2):128-34.

comentários

  • Naturopatia

    Especialidade de saúde com terapias e métodos naturais para o bom funcionamento do organismo e prevenção.

  • Osteopatia

    Técnicas manuais que estimulam as articulações e a capacidade de recuperação do corpo sem medicamentos e cirurgias.

  • Técnicas de Relaxamento

    Métodos que auxiliam o relaxamento muscular, nervoso e mental para equilíbrio e tranquilidade.