MEDICINA ALTERNATIVA

10/07/2014 10:02 - Atualizado em 22/07/2014 19:05

Espiritualidade

Conceito além do intelecto e das religiões que traz mais uma dimensão do estado de saúde do indivíduo.

POR

A.D.A.M.

  • +A
  • -A

O que é espiritualidade?

A espiritualidade tem sido definida de várias maneiras. Elas incluem: uma crença em uma força operando no universo que é maior que nós próprios, um senso de interconexão com todas as criaturas vivas, uma consciência do propósito e significado da vida e o desenvolvimento de valores pessoais e absolutos. É a maneira de você encontrar significado, esperança, conforto e paz interior em sua vida. Embora a espiritualidade seja frequentemente associada com a vida religiosa, muitos acreditam que uma espiritualidade pessoal pode ser desenvolvida fora da religião. Atos de compaixão e abnegação, altruísmo e a experiência de paz interior são característicos da espiritualidade. Muitos americanos estão se tornando interessados no papel da espiritualidade em sua saúde e em sua assistência médica. Isso pode ser por causa do descontentamento com a natureza impessoal de nosso sistema médico atual e a compreensão de que a ciência médica nem sempre tem as respostas para todas as perguntas sobre saúde e bem-estar.

Conheça o Vivo Espiritualidade e renove sua paz espiritual diariamente.

Qual é a história da espiritualidade e da assistência médica?

Na maioria das tradições de cura e através de gerações de curandeiros nos primórdios da medicina Ocidental, preocupações com o corpo e o espírito estiveram entrelaçados. Mas com a chegada da revolução científica e do iluminismo, essas considerações foram eliminadas do sistema médico. Hoje, contudo, um número maior de estudos revela que a espiritualidade pode desempenhar um papel maior no processo de cura do que a comunidade médica antecipou.

Como a espiritualidade influencia a saúde?

Práticas espirituais tendem a melhorar as habilidades de enfrentamento e o suporte social, alimentar sentimentos de otimismo e esperança, promover um comportamento saudável, reduzir sentimentos de depressão e ansiedade, e encorajar uma sensação de relaxamento. Ao aliviar sentimentos de estresse e promover sentimentos saudáveis, a espiritualidade pode influenciar positivamente os sistemas imunológicos, cardiovascular (coração e vasos sanguíneos), hormonal e nervoso. Um exemplo de religião que promove estilos de vida saudáveis são os adventistas do sétimo dia. Aqueles que seguem essa religião, uma população particularmente saudável, são instruídos por sua Igreja a não consumir álcool, comer porco ou fumar tabaco. Em um estudo de dez anos dos adventistas do sétimo dia na Holanda, pesquisadores descobriram que os homens adventistas viviam de 8 a 9 anos mais que a média nacional, e mulheres adventistas viviam de 3 a 6 anos mais. Respectivamente para homens e mulheres, a chance de morrer por causa de uma doença cardíaca era de 60 e 66% menor que a média nacional.

Descubra agora como está seu nível de Estresse e Ansiedade.

Mais uma vez, os benefícios da religião e da espiritualidade não decorrem somente de estilos de vida mais saudáveis. Muitos pesquisadores descobriram que certas crenças, atitudes e práticas associadas com ser uma pessoa espiritual influenciam a saúde. Em um estudo recente em pessoas com o vírus da imunodeficiência humana (HIV), por exemplo, aqueles que tinham fé em Deus, compaixão com os outros, uma sensação de paz interior e eram religiosos, tinham melhores chances de sobreviver por um longo período de tempo com a síndrome da imunodeficiência adquirida (AIDS) que aqueles que não possuíam tais fé e práticas. Qualidades como fé, esperança, perdão, uso de suporte social e oração parecem ter efeitos notáveis sobre a saúde e a cura.

  • Fé: As crenças mais profundas de uma pessoa influenciam sua saúde. Alguns pesquisadores acreditam que a fé aumenta a resistência do corpo ao estresse. Em um estudo clínico de 1988 de mulheres que estavam passando por biópsia da mama, as que tinham os menores níveis de hormônio do estresse eram mulheres que usavam sua fé e oração para lidar com o estresse.
  • Esperança: Sem esperança, uma atitude positiva que a pessoa assume em frente a dificuldades, muitas pessoas se tornaram deprimidas e propensas a doenças. Em um estudo clínico de 35 anos com graduados da Harvard, pesquisadores descobriram que os graduados que expressavam esperança e otimismo viviam por mais tempo e contraíam menos doenças durante suas vidas.
  • Perdão: O perdão, uma prática que é encorajada por muitas tradições espirituais e religiosas, é uma libertação da hostilidade e do ressentimento de traumas passados. Em 1997, um estudo da Universidade de Stanford descobriu que estudantes que foram ensinados a perdoar alguém que lhes havia machucado eram significativamente menos nervosos, mais esperançosos e melhor capazes para lidar com emoções que aqueles que não foram ensinados a perdoar. Outra pesquisa com 1.400 adultos descobriu que a disposição a perdoar a si próprio e aos outros e o sentimento de que se é perdoado por Deus, tem efeitos benéficos sobre a saúde. Alguns pesquisadores sugerem que emoções como raiva e ressentimento causam o acúmulo de hormônios do estresse no sangue, e que o perdão reduz esse acúmulo.
  • Amor e Suporte Social: Descobriu-se que ter uma rede próxima de família e amigos que prestam ajuda e suporte emocional oferece proteção contra muitas doenças. Pesquisadores acreditam que as pessoas que experimentam amor e suporte tendem a resistir contra comportamentos insalubres e sentirem-se menos estressadas. Em um estudo clínico de uma comunidade íntima de italianos americanos na Pensilvânia, pesquisadores descobriram que a taxa de morte por doenças cardíacas era metade da média dos Estados Unidos. Pesquisadores concluíram que uma rede de suporte social forte ajudava a proteger essa população contra doenças cardíacas.
  • Oração: O ato de se colocar na presença de ou de converter-se a uma força maior tem sido usada como meio de cura em todas as culturas ao longo do tempo. Hoje, muitos americanos acreditam que a oração é uma parte importante do cotidiano. Em uma pesquisa de 1996, metade dos médicos informaram acreditar que a oração ajudava os pacientes, e 67% disseram que oravam pelos pacientes. Pesquisadores também estão estudando oração de intercessão (pedindo a uma força maior que intervenha em nome de outra pessoa, conhecida ou não, pela pessoa que está orando; também chamado de oração à distância ou cura á distância). Embora seja particularmente difícil estudar os efeitos da oração á distância, pesquisas atuais em unidades de cuidados coronários (unidades de terapia intensiva em hospitais dedicados a pessoas com doenças cardíacas graves, como aquelas que acabaram de sofrer um ataque cardíaco) sugere que há benefícios. Comparado àquelas por quem não receberam oração, os pacientes pelos quais houve oração mostraram uma melhora maior durante suas doenças, menos complicações e até menos mortes.

Quais doenças e condições respondem bem à espiritualidade?

Programas com uma componente espiritual forte, como os Alcoólicos Anônimos (AA), mostram que as disciplinas espirituais podem ser especialmente eficazes contra o vício em drogas e álcool. A prática recorrente de oração e meditação está fortemente associada com a recuperação e abstinência das drogas.

Resultados de diversos estudos indicam que as pessoas com forte crenças religiosas e espirituais se curam mais rápido de cirurgias e são menos ansiosas e deprimidas, têm uma pressão arterial menor e enfrentam melhor doenças crônicas como artrite, diabetes, doença cardíaca, câncer e lesão da medula espinhal.

Um estudo clínico na Universidade de Duke descobriu que pessoas que frequentam cultos religiosos tendem a ter uma função imunológica melhor. Em um outro estudo clínico com 232 adultos submetidos à cirurgia do coração, aqueles que eram religiosos tinham 3 vezes menos chance de morrer dentro de 6 meses após a cirurgia, em comparação com aqueles que não eram. Nenhuma das 37 pessoas nesse estudo que se descreveram como religiosas morreram. Obviamente, os estudos não são abrangentes, e muitas pessoas encontram auxílio em recursos espirituais para várias condições.

A espiritualidade pode ter um impacto negativo sobre a saúde?

Alguns especialistas advertem que crenças religiosas podem ser nocivas quando encorajam a culpa excessiva, medo e autoestima reduzida. Do mesmo modo, os médicos devem evitar defender práticas espirituais em particular, isso pode ser inapropriado, intrusivo, induzir a um sentimento de culpa ou até mesmo prejudicar se a implicação for de que a doença seja resultado de fé insuficiente. É importante também ressaltar que a espiritualidade não garante saúde. Finalmente, existe o risco de que as pessoas substituam o cuidado médico por oração, ou que a prática espiritual atrase o recebimento de um tratamento médico necessário.

Como posso receber aconselhamento espiritual quando estiver em um hospital?

Muitos hospitais têm acesso a conselheiros de organizações religiosas. Se você deseja aconselhamento espiritual ou alguém com quem orar, peça ao seu médico que lhe encaminhe a um conselheiro.

Qual o futuro da espiritualidade na prática medicinal?

Muitas escolas médicas nos Estados Unidos têm incluído ensinamentos espirituais em seus currículos. Contudo, o papel, se há um papel, que um médico deve desempenhar na assistência ou orientação de pacientes em assuntos espirituais continua controverso. Além disso, dado que parece haver uma crença crescente na conexão entre espiritualidade e saúde, cientistas nesse campo sentem que as pesquisas devem começar a focar-se na avaliação da validade dessa ligação, um melhor entendimento do porquê da existência dessa conexão e como ela funciona. Há também uma pesquisa interessante surgindo que avalia o impacto da religião e da espiritualidade (tanto da criança quanto dos pais) na saúde das crianças e adolescentes.

Receba mensagens diárias com o Vivo Espiritualidade.

Benson H, Dusek JA, Sherwood JB, et al., Study of the Therapeutic Effects of Intercessory Prayer (STEP) in cardiac bypass patients: a multicenter randomized trial of uncertainty and certainty of receiving intercessory prayer. Am Heart J. 2006;151(4):934-42.

Bormann JE, Smith TL, Becker S, et al., Efficacy of frequent mantram repetition on stress, quality of life, and spiritual well-being in veterans: a pilot study. J Holist Nurs. 2005;23(4):395-414.

Breitbart W. Spirituality and meaning in supportive care: spirituality- and meaning-centered group psychotherapy interventions in advanced cancer. Support Care Cancer. 2002;10(4):272-280.

Cannon AJ, Darrington DL, Reed EC, Loberiza FR. Spirituality, patient''''s worry, and follow-up health-care utilization among cancer survivors. J Support Oncol. 2011;9(4):141-8.

Davies B, Brenner P, Orloff S, Sumner L, Worden W. Addressing spirituality in pediatric hospice and palliative care. J Palliat Care. 2002;18(1):59-67.

Desai PP, Ng JB, Bryant SG. Care of children and families in the CICU: A focus on their developmental, psychosocial, and spiritual needs. Crit Care Nurs Q. 2002;25(3):88-97.

Efficace F, Marrone R. Spiritual issues and quality of life assessment in cancer care. Death Stud. 2002;26(9):743-756.

Gaudia G. About intercessory prayer: the scientific study of miracles. MedGenMed. 2007;9(1):56.

Guerrero GP, Zago MM, Sawada NO, Pinto MH. Relationship between spirituality and cancer: patient''''s perspective. Rev Bras Enferm. 2011;64(1):53-9.

Ikedo F, Gangahar DM, Quader MA, Smith LM. The effects of prayer, relaxation technique during general anesthesia on recovery outcomes following cardiac surgery. Complement Ther Clin Pract. 2007;13(2):85-94.

Ironson G, Solomon GF, Balbin, et al. The Ironson-Woods Spirituality/Religiousness Index is associated with long survival, health behaviors, less distress, and low cortisol in people with HIV/AIDS. AnnBehav Med. 2002;24(1):34-48.

Jonas WB. The middle way: realistic randomized controlled trials for the evaluation of spiritual healing. J Comp Alt Med. 2001;7:5-7.

Lane JD, Seskevich JE, Pieper CF. Brief meditation training can improve perceived stress and negative mood. Altern Ther Health Med. 2007;13(1):38-44.

Larimore WL, Parker M, Crowther M. Should clinicians incorporate positive spirituality into their practices? What does the evidence say? Ann Behav Med.2002;24(1):69-73.

Lawler-Row KA, Elliott J. The role of religious activity and spirituality in the health and well-being of older adults. J Health Psychol. 2009;14(1):43-52.

Longo DA, Peterson SM. The role of spiritualiy in psychosocial rehabilitation. Psychiatr Rehabil J. 2002;25(4):333-340.

McCaffrey AM, Eisenberg DM, Legedza AT, Davis RB, Phillips RS. Prayer for health concerns: results of a national survey on prevalence and patterns of use. Arch Intern Med. 2004;164(8):858-62.

McSherry W, Ross L. Dilemmas of spiritual assessment: considerations for nursing practice. J Adv Nurs.2002;38(5):479-488.

McVay MR. Medicine and spirituality: a simple path to restore compassion in medicine. SDJ Med. 2002;55(11):487-491.

Mofidi M, DeVellis RF, DeVellis BM, Blazer DG, Painter AT, Jordan JM. The relationship between spirituality and depressive symptoms: testing psychosocial mechanisms. J Nerv Ment Dis. 2007;195(8):681-8.

Neff JA, Shorkey CT, Windsor LC. Contrasting faith-based and traditional substance abuse treatment programs. J Subst Abuse Treat. 2006;30(1):49-61.

Nelson CJ, Rosenfeld BJ, Breitbart W, Galietta M. Spirituality, religion, and depression in the terminally ill. Psychosomatics. 2002;43(3):213-220.

Newlin K, Knafl K, Melkus GD. African-American spirituality: a concept analysis. ANS Adv Nurs Sci. 2002;25(2):57-70.

O''''Hara DP. Is there a role for prayer and spirituality in health care? Med Clin North Am. 2002 ;86(1):33-46, vi.

Palmer RF, Katerndahl D, Morgan-Kidd J. A randomized trial of the effects of remote intercessory prayer: interactions with personal beliefs on problem-specific outcomes and functional status. J Altern Complement Me d. 2004;10(3):438-48.

Rakel, D. Rakel Integrative Medicine, 2nd ed. Philadelphia, PA: Saunders Elsevier, Inc. 2007;82.

Sloan RP, Bagiella E. Claims about religious involvement and health outcomes. Ann Behav Med. 2002;24(1):14-21.

Sloan RP, Ramakrishnan R. Science, medicine, and intercessory prayer. Perspect Biol Med. 2006;49(4):504-14.

Sulmasy DP. Spirituality, religion, and clinical care. Chest. 2009;135(6):1634-42.

Tanyi RA, Werner JS. Spirituality in African American and Caucasian women with end-stage renal disease on hemodialysis treatment. Health Care Women Int. 2007;28(2):141-54.

Thoresen CE, Harris AH. Spirituality and health: what''''s the evidence and what''''s needed? Ann Behav Med. 2002;24(1):3-13.

Toneatto T, Nguyen L. Does mindfulness meditation improve anxiety and mood symptoms? A review of the controlled research.Can J Psychiatry. 2007;52(4):260-6.

Turner DD. Just another drug? A philosophical assessment of randomised controlled studies on intercessory prayer.J Med Ethics. 2006;32(8):487-90.

Zemore SE. Helping as healing among recovering alcoholics. South Med J. 2007;100(4):447-50.

comentários

  • Naturopatia

    Especialidade de saúde com terapias e métodos naturais para o bom funcionamento do organismo e prevenção.

  • Osteopatia

    Técnicas manuais que estimulam as articulações e a capacidade de recuperação do corpo sem medicamentos e cirurgias.

  • Técnicas de Relaxamento

    Métodos que auxiliam o relaxamento muscular, nervoso e mental para equilíbrio e tranquilidade.