{ang{ nome }ang}

10/07/2014 10:02 - Atualizado em 22/07/2014 19:05

Prolapso da valva mitral


POR

A.D.A.M.

  • +A
  • -A

Definição

O prolapso da valva mitral é um problema cardíaco no qual a valva que separa as câmaras superior e inferior do lado esquerdo do coração não fecha apropriadamente.

Nomes alternativos

Síndrome de Barlow; Valva mitral frouxa; Valva mitral com presença de mixoma; Valva mitral abaulada; Síndrome do clique-sopro sistólico; Síndrome do prolapso do folheto mitral

Causas, incidência e fatores de risco

A valva mitral ajuda o sangue no lado esquerdo do coração a fluir em uma direção. Ela se fecha para evitar que o sangue retorne quando o coração bate (contrai).

Prolapso da valva mitral é o termo usado quando a valva não se fecha apropriadamente. Isso pode ser causado por vários fatores diferentes. Na maioria dos casos é inofensivo, e os pacientes geralmente não sabem que têm o problema. Em torno de 10% da população têm alguma forma menor, insignificante de prolapso da valva mitral, mas isso normalmente não afeta seu estilo de vida.

Em alguns poucos casos, o prolapso pode causar refluxo do sangue. Isso é chamado de regurgitação mitral.

As valvas mitrais que são estruturalmente anormais podem aumentar o risco de infecção bacteriana.

Algumas formas de prolapso da valva mitral parecem ser passadas para as gerações seguintes de uma família (herdadas). O prolapso da valva mitral tem sido associado à doença de Graves.

O prolapso da valva mitral frequentemente afeta mulheres magras que podem ter pequenas deformidades da parede torácica, escoliose ou outros distúrbios.

O prolapso da valva mitral está associado a alguns distúrbios do tecido conjuntivo, especialmente a síndrome de Marfan. Outras condições incluem:

  • Síndrome de Ehlers-Danlos
  • Osteogênese imperfeita
  • Doença renal policística

Sintomas

Vários pacientes com prolapso da valva mitral não têm sintomas. Os sintomas encontrados em pacientes com prolapso da valva mitral são chamados de "síndrome de prolapso da valva mitral" e inclui:

  • Percepção dos batimentos cardíacos (palpitações)
  • Dor no peito (não causada por doença das artérias coronárias ou um ataque cardíaco)
  • Dificuldade para respirar depois de atividade
  • Cansaço
  • Tosse
  • Deficiência respiratória quando se está deitado (ortopneia)

Observação: é possível que não haja sintomas ou que eles possam se desenvolver lentamente.

Sinais e testes

O médico realizará um exame físico e usará um estetoscópio para auscultar o coração e os pulmões. O médico pode sentir um tremor (vibração) no coração e ouvir um sopro cardíaco ("clique mesossistólico"). O sopro fica mais alto quando você se levanta.

A pressão arterial geralmente é normal.

Os seguintes testes podem ser usados para diagnosticar prolapso da valva mitral ou uma valva mitral com vazamento:

  • Ecocardiograma
  • Exame com Doppler de fluxo a cores
  • Cateterização cardíaca
  • Radiografia torácica
  • ECG (eletrocardiograma pode apresentar arritmias como fibrilação atrial)
  • Ressonância magnética do tórax
  • Tomografia computadorizada torácica

Tratamento

Na maior parte do tempo não há (ou há poucos) sintomas, sendo o tratamento desnecessário.

Se você tiver prolapso grave da valva mitral, talvez seja necessário permanecer no hospital. Poderá ser necessária cirurgia para reparar ou substituir a valva se você tiver regurgitação mitral grave ou se os sintomas piorarem. A substituição da valva mitral pode ser essencial se:

  • Você tiver sintomas
  • O ventrículo esquerdo do coração estiver aumentado
  • O funcionamento do coração piorar (fração de ejeção deprimida)

Antigamente, algumas pessoas com prolapso da valva mitral tomavam antibióticos antes de determinados procedimentos dentários ou cirúrgicos para ajudar a prevenir uma infecção chamada endocardite bacteriana (EB). No entanto, a Associação Americana do Coração não recomenda mais antibióticos de rotina antes de procedimentos dentários ou outros procedimentos cirúrgicos para pacientes somente com prolapso da valva mitral, a menos que tenham tido endocardite bacteriana no passado.

Outros medicamentos que poderão ser prescritos quando a regurgitação mitral ou outros problemas cardíacos também estiverem presentes:

  • Drogas antiarrítmicas ajudam a controlar batimentos cardíacos irregulares.
  • Diuréticos ajudam a remover o excesso de líquido dos pulmões.
  • Propranolol é ministrado para palpitações ou dor no peito.
  • Anticoagulantes ajudam a prevenir coágulos de sangue em pessoas que também tenham fibrilação atrial.

Grupos de apoio

Expectativas (prognóstico)

O prolapso da valva mitral não deve afetar seu estilo de vida negativamente. Se o vazamento da valva se agravar, o seu quadro poderá ser semelhante àquele de pessoas que têm regurgitação mitral resultante de qualquer outra causa.

Na maior parte do tempo, a condição é inofensiva e não provoca sintomas. Os sintomas podem ser tratados e controlados com medicamento ou cirurgia. No entanto, alguns batimentos cardíacos irregulares (arritmias) associados ao prolapso da valva mitral podem colocar a vida em risco.

Complicações

  • Endocardite (infecção das valvas)
  • Vazamento grave da valva mitral (regurgitação)
  • Derrame
  • Coágulos em outras áreas
  • Batimento cardíaco irregular (arritmias), inclusive fibrilação atrial

Ligando para o médico

Ligue para seu médico se tiver:

  • Desconforto no tórax, palpitações ou desmaios que pioram
  • Doenças prolongadas com febres

Prevenção

Você geralmente não pode prevenir o prolapso da valva mitral, mas pode evitar determinadas complicações. Avise seus médicos, inclusive seu dentista, se você tiver um histórico de doença cardíaca ou problemas na valva cardíaca.

Coração, seção pelo meioProlapso da válvula mitralCirurgia de válvula cardíaca - série

Referências

American College of Cardiology/American Heart Association. ACC/AHA 2006 guidelines for the management of patients with valvular heart disease. A report of the American College of Cardiology/American Heart Association Task Force on Practice Guidelines (writing committee to revise the 1998 guidelines for the management of patients with valvular heart disease). J Am Coll Cardiol. 2006;48:1-148.

Nishimura RA, Carabello BA, Faxon DP, Freed MD, Lytle BW, O'Gara PT, et al. ACC/AHA 2008 guideline update on valvular heart disease: focused update on infective endocarditis: a report of the American College of Cardiology/American Heart Association Task Force on Practice Guidelines endorsed by the Society of Cardiovascular Anesthesiologists, Society for Cardiovascular Angiography and Interventions, and Society of Thoracic Surgeons. J Am Coll Cardiol. 2008;52:676-685.

Karchmer AW. Infective endocarditis. In: Libby P, Bonow RO, Mann DL, Zipes DP, eds. Braunwald's Heart Disease: A Textbook of Cardiovascular Medicine. 8th ed. St. Louis, Mo: WB Saunders; 2007:chap 63.

comentários

{ang{ nome }ang}