{ang{ nome }ang}

10/07/2014 10:02 - Atualizado em 22/07/2014 19:05

Câncer esofágico


POR

A.D.A.M.

  • +A
  • -A

Definição

O câncer esofágico é um tumor maligno do esôfago, o tubo muscular que movimenta o alimento da boca para o estômago.

Consulte também: Esôfago de Barrett

Nomes alternativos

Câncer - esôfago

Causas, incidência e fatores de risco

O câncer esofágico não é muito comum nos Estados Unidos. Ocorre com maior frequência em pessoas com mais de 50 anos.

Existem dois tipos principais de câncer esofágico: carcinoma de células escamosas e adenocarcinoma. Esses dois tipos são diferentes quando observados no microscópio.

O câncer esofágico de células escamosas está associado ao fumo e ao consumo de álcool.

O Esôfago de Barrett, uma complicação da doença do refluxo gastroesofágico (DRGE), aumenta o risco de adenocarcinoma do esôfago. Esse é o tipo mais comum de câncer esofágico. Outros fatores de risco do adenocarcinoma do esôfago incluem:

  • Sexo masculino
  • Obesidade
  • Fumo

Sintomas

  • Movimento no sentido inverso do alimento através do esôfago e possivelmente da boca (regurgitação)
  • Dor no peito não relacionada ao ato de comer
  • Dificuldade para deglutir sólidos ou líquidos
  • Azia
  • Vômito com sangue
  • Perda de peso

Sinais e testes

Os exames usados para ajudar a diagnosticar o câncer esofágico podem incluir:

  • Enema de bário
  • Ressonância magnética do peito ou tomografia computadorizada torácica (geralmente usada para ajudar a determinar o estágio da doença)
  • Ultrassom endoscópico (também pode ser usado para determinar o estágio da doença)
  • Esofagogastroduodenoscopia (EGD) e biópsia
  • Varredura por PET (às vezes útil para determinar o estágio da doença e se a cirurgia é possível)

O exame de fezes pode mostrar pequenas quantidades de sangue nas fezes.

Tratamento

Quando o câncer esofágico ocorre apenas no esôfago e não se espalha, a cirurgia é o tratamento recomendado. O objetivo da cirurgia é remover o câncer.

Consulte:

  • Esofagectomia
  • Esofagectomia - minimamente invasiva

Algumas vezes a quimioterapia, a radiação ou uma combinação das duas pode ser usada em vez da cirurgia, ou para facilitar a realização da cirurgia.

Se o paciente estiver muito doente para fazer uma cirurgia grande ou se o câncer tiver se espalhado para outros órgãos, poderá ser usada a quimio ou a radioterapia para ajudar a reduzir os sintomas. Isso é chamado de tratamento paliativo. Nesses casos, a doença geralmente não é curável.

Outros testes que podem ser feitos para ajudar o paciente a engolir incluem:

  • Dilatação endoscópica do esôfago (às vezes com a colocação de um stent para manter o esôfago dilatado).
  • Terapia fotodinâmica, na qual uma droga especial é injetada no tumor e exposta à luz. A luz ativa o medicamento que ataca o tumor.

Grupos de apoio

Normalmente, os pacientes podem aliviar a tensão da doença participando de um grupo de apoio de pessoas que compartilham experiências e problemas em comum. Veja câncer - grupo de apoio.

Expectativas (prognóstico)

Geralmente, o câncer esofágico não é curável. Se o câncer não tiver se disseminado para fora do esôfago, a cirurgia pode aumentar as chances de sobrevivência.

A radioterapia é usada no lugar da cirurgia em alguns casos em que o câncer não tenha se espalhado para outros órgãos.

Para pacientes com câncer disseminado, a cura geralmente não é possível. O objetivo do tratamento é aliviar os sintomas.

Complicações

  • Dificuldade para deglutir
  • Pneumonia
  • Perda de peso grave resultante de alimentação insuficiente
  • Disseminação do tumor para outras áreas do corpo

Ligando para o médico

Ligue para o seu médico se tiver, sem nenhuma causa conhecida, dificuldade para deglutir, se essa condição não melhorar ou se você apresentar outros sintomas de câncer esofágico.

Prevenção

As orientações a seguir podem ajudar a reduzir o risco de câncer esofágico de células escamosas:

  • Evite fumar
  • Diminua ou elimine bebidas alcoólicas

Pessoas com sintomas de refluxo gastroesofágico grave devem procurar assistência médica.

O exame com EGD e a biópsia em pessoas com esôfago de Barrett pode levar à descoberta precoce e à maior chance de sobrevivência. Indivíduos diagnosticados com esôfago de Barrett devem considerar a possibilidade de ser examinados regularmente para verificar se há câncer esofágico.

Sistema digestivoPrevenção da azia

Referências

Das A. Tumors of the esophagus. In: Feldman M, Friedman LS, Brandt LJ, eds. Sleisenger and Fordtran''s Gastrointestinal and Liver Disease. 9th ed. Philadelphia, Pa: Saunders Elsevier;2010:chap 46.

National Cancer Institute. Esophageal Cancer Treatment PDQ. Atualizado em 20 de julho de 2010.

National Comprehensive Cancer Network, Inc. NCCN Clinical Practice Guidelines in Oncology. Esophageal Cancer. V2. 2010. Acessado em 22 de janeiro de 2011.

comentários

{ang{ nome }ang}