{ang{ nome }ang}

10/07/2014 10:02 - Atualizado em 22/07/2014 19:05

Anafilaxia


POR

A.D.A.M.

  • +A
  • -A

Definição

A anafilaxia é um tipo de reação alérgica com risco de vida.

Nomes Alternativos

Reação anafilática, Choque anafilático

Causas, incidência e fatores de risco

A anafilaxia é uma reação alérgica grave que ocorre em todo o corpo devido a uma substância química que se torna um alérgeno. Após a exposição a uma substância, como veneno de picada de abelha, o sistema imunológico da pessoa torna-se sensível a ela.

Quando a pessoa é exposta novamente a este alérgeno, uma reação alérgica pode ocorrer. A anafilaxia acontece rapidamente após a exposição, é grave e envolve todo o corpo.

Tecidos de diferentes partes do corpo liberam histamina e outras substâncias. O que leva as vias respiratórias a apertarem-se, causando outros sintomas.

Alguns medicamentos (morfina, contraste de raios-x, aspirina, entre outros) podem causar uma reação semelhante à anafilaxia (reação anafilactoide) quando as pessoas são expostas a eles pela primeira vez. Estas reações não são as mesmas com as quais o sistema imunológico responde em uma "verdadeira" anafilaxia. Entretanto, os sintomas, o risco de complicações e o tratamento são iguais em ambos os tipos de reações.

A anafilaxia pode ocorrer em resposta a qualquer alérgeno. As causas comuns incluem:

Pólen e outros alérgenos inalados raramente causam anafilaxia. Algumas pessoas têm uma reação anafilática sem causa conhecida.

A anafilaxia representa risco de vida e pode ocorrer em qualquer momento. Os riscos incluem um histórico de qualquer tipo de reação alérgica.

Sintomas

Os sintomas desenvolvem-se rapidamente, com frequência dentro de segundos ou minutos. Podem incluir os seguintes:

Sinais e exames

Os sinais incluem:

  • Ritmo cardíaco anormal (arritmia)
  • Líquido nos pulmões (edema pulmonar)
  • Urticária
  • Baixa pressão sanguínea
  • Confusão mental
  • Pulso acelerado
  • Pele azulada devido à falta de oxigênio ou pálida devido ao choque
  • Inchaço (angioedema) na garganta que pode ser grave o suficiente para bloquear a passagem do ar
  • Inchaço nos olhos ou rosto
  • Fraqueza
  • Sibilos

O médico aguardará o teste de alérgenos que causaram a anafilaxia (se a causa não for óbvia) até o depois do tratamento.

Tratamento

A anafilaxia é uma condição emergencial que requer atendimento médico profissional imediato. Ligue para 192 imediatamente.

Verifique as passagens de ar, a respiração e circulação da pessoa. Um sinal de alerta para inchaço grave da garganta é uma voz rouca ou suspirante, ou sons roucos quando a pessoa respira. Se necessário, comece a respiração artificial e RCP.

  1. Ligue para 192.
  2. Acalme e tranquilize a pessoa.
  3. Se a reação alérgica surgiu de uma picada de abelha, raspe o ferrão da pele da pessoa com algo firme (como uma unha ou cartão de crédito). Não utilize tesouras - espremer o ferrão libera mais veneno.
  4. Se a pessoa possui medicamentos antialérgicos de emergência à mão, ajude a pessoa a tomar ou injetar o medicamento. Evite medicamentos orais se a pessoa estiver com dificuldades para respirar.
  5. Tome algumas medidas para prevenir o choque. Deite a pessoa, levante seus pés cerca de 12 polegadas e cubra-o com um cobertor ou casaco. NÃO coloque a pessoa nesta posição se houver suspeita de lesão na cabeça, pescoço, costas ou pernas ou se causar desconforto.

NÃO:

  • NÃO presuma que doses antialérgicas que a pessoa já tenha recebido a protegerão completamente.
  • NÃO coloque um travesseiro sob a cabeça da pessoa se ela estiver com problemas para respirar. Isto pode bloquear a passagem de ar.
  • NÃO dê nada para a pessoa por via oral se a pessoa estiver com problemas para respirar.

Os paramédicos ou médicos podem inserir um tubo pelo nariz ou boca em direção às vias aéreas (intubação endotraqueal) ou realizar cirurgias de emergência para inserir o tubo diretamente na traqueia (traqueostomia ou cricotireoidotomia).

A pessoa pode receber anti-histamínicos, como difenidramina, e corticosteroides, como prednisona, para reduzir ainda mais os sintomas (após medidas para manutenção da vida e uso de epinefrina).

Grupos de Apoio

Expectativas (prognóstico)

A anafilaxia é um distúrbio grave que pode representar risco de vida sem tratamento imediato. Entretanto, os sintomas normalmente melhoram com a terapia correta, então, é importante agir corretamente.

Complicações

  • Bloqueio da passagem do ar
  • Parada cardíaca (ausência de batimento cardíaco efetivo)
  • Parada respiratória (ausência de respiração)
  • Choque

Consulte seu médico

Ligue para 192 se você desenvolver sintomas graves de anafilaxia. Se você estiver acompanhado, esta pessoa pode levar você para o pronto-socorro mais próximo.

Prevenção

  • Evite substâncias provocadoras como alimentos ou medicamentos que tenham causado uma reação alérgica no passado. Faça perguntas detalhadas sobre ingredientes quando estiver comendo fora de casa. Também examine cuidadosamente rótulos com ingredientes.
  • Se você tiver uma criança que é alérgica a certos alimentos, introduza um novo alimento por vez em pequenas quantidades para que você possa reconhecer uma reação alérgica.
  • Pessoas cientes de terem tido reações alérgicas graves devem usar uma etiqueta com informações médicas.
  • Se você teve um histórico de reações alérgicas graves, tenha sempre medicamentos por perto (como formas mastigáveis de difenidramina ou epinefrina injetável ou um kit para picadas de abelhas) de acordo com as orientações do seu médico.
  • Não use epinefrina injetável em outras pessoas. Podem ter uma condição (como problemas cardíacos) que podem ser negativamente afetadas com este medicamento.

ChoqueReações alérgicasAnafilaxiaUrticáriaAlergias alimentaresPicadas de insetos e alergiaReações alérgicas a medicamentosAnticorpos

Referências

Schwartz LB. Systemic anaphylaxis, food allergy, and insect sting allergy. In: Goldman L, Schafer AI, eds. Cecil Medicine. 24th ed. Philadelphia, Pa: Saunders Elsevier; 2011:chap 261.

Wasserman SI. Approach to the person with allergic or immunologic disease. In: Goldman L, Schafer AI, eds. Cecil Medicine. 24th ed. Philadelphia, Pa: Saunders Elsevier; 2011:chap 257.

comentários

{ang{ nome }ang}