Terapias

14/07/2014 08:30 - Atualizado em 06/12/2016 11:11

Pastilhas de nicotina realmente ajudam a parar de fumar? Entenda seus efeitos

Absorção das pastilhas de nicotina é até 27% maior em relação à goma de mascar feita da mesma substância.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Uma opção sempre lembrada quando o assunto é parar de fumar são as pastilhas de nicotina. A dúvida é se essa alternativa realmente funciona e o mais importante: quais são os seus efeitos no organismo

Pastilhas de nicotina integram terapia

pastilhas-de-nicotina

Foto: Shutterstock

A terapia de reposição de nicotina (TRN) tem nas pastilhas uma das técnicas previstas, atuando de forma a repor a substância que é responsável pelo vício no cigarro, mas excluindo as outras propriedades tóxicas e que fazem mal à saúde.

Assim, as pastilhas de nicotina evitam as tradicionais crises de abstinência, comuns em quem tenta largar o cigarro. Com a redução das doses de nicotina ocorrendo de forma gradual, há um importante auxílio no processo de parar de fumar.

Compreendem o grupo de medicamentos nicotínicos, além das pastilhas de nicotina, também os adesivos. Ambos são prescritos de maneira que a quantidade da droga seja próxima daquela que era consumida pelo fumante.

Esta dose é reduzida de forma gradual, o que torna esse método mais eficiente e seguro. É importante, contudo, que o fumante tenha a disciplina de largar o tabaco de maneira imediata, sob o risco de sofrer intoxicação.

Apesar de não ser aconselhado o uso das pastilhas de nicotina sem um acompanhamento médico, não se faz necessária a sua prescrição, o que torna fácil adquirir o produto em qualquer farmácia.

Vantagens

Como já comentado, os sinais de abstinência do cigarro não existem no caso de uso das pastilhas de nicotina e isto ocorre porque é conservado o nível de dopamina no cérebro.

Elas se tornam menos nocivas ao organismo porque, diferentemente do cigarro, a reposição do nível de nicotina leva mais tempo para ocorrer. Com isso, outra vantagem do produto é a menor propensão a gerar dependência nos usuários.

Suas propriedades farmacocinéticas são parecidas com as da goma de mascar de nicotina, mas a absorção da nicotina em pastilhas é até 27% maior que a absorção da goma.

Também podem reduzir efeitos adversos comuns ao período em que o fumante tenta eliminar o hábito, como ansiedade, impaciência, agitação e dificuldade de se concentrar.

Efeitos colaterais das pastilhas de nicotina

Apesar das vantagens relatadas, os efeitos colaterais existem, como em qualquer outra forma de reposição da nicotina, variando de acordo com a forma escolhida. Se a terapia for interrompida, os sintomas manifestados serão semelhantes àqueles que ocorrem ao largar o cigarro. Por isto, é recomendável diminuir o uso das pastilhas de nicotina também de forma gradual.

Entre os usuários ou aqueles que pensam em adotar as pastilhas de nicotina, uma das dúvidas comuns é se ela é capaz de causar dependência. A resposta é: sim, é possível, embora seja raro. O ideal é sempre seguir a recomendação médica e permitir que o especialista monitore cada caso.

Apesar de ser um método eficaz na luta contra o cigarro, apresenta alguns fatores desagradáveis, mas que devem ser enfrentados para o sucesso do tratamento. Entre eles, podem ser citados o seu gosto ruim, coceira na língua, náuseas, soluços, queimação e até dor na mandíbula.

A teoria de que elas têm relação com casos de câncer de boca, conforme sugerido por pesquisadores britânicos, ainda carece de dados conclusivos. De qualquer forma, o cigarro se revela ainda mais prejudicial, contendo em sua composição outras substâncias cancerígenas.

E aí, já decidiu parar de fumar ? Gostou do texto ? Então deixe seu recado e compartilhe sua experiência!

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ