Terapias

01/03/2016 12:39 - Atualizado em 10/12/2016 04:30

Meditação budista, zazen, kundalini... Qual é a diferença?

Conheça os benefícios e veja qual técnica tem mais a ver com você.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Muito gente pode achar que sentar em silêncio, fechar os olhos, relaxar os músculos, respirar devagar e meditar seja uma bobagem. Porém, a verdade é que existem diversas técnicas, cada uma delas com seus benefícios para o corpo e para a alma. Conheça um pouco mais sobre a meditação budista, a zazen, a kundalini e a transcendental.

mulher pratica meditação budista

Meditação budista e outros três tipos

Mais tradicional entre as técnicas, a meditação budista consiste em concentra-se na respiração e na repetição de mantras. Sua busca é no foco na vida presente e na procura do desligamento dos desejos humanos. Dentro da doutrina, existem diferentes vertentes, como a escola Theravada, a Vajrayana e a Terra Pura.

A primeira é centrada na plena atenção à respiração, já a segunda foca nos métodos tântricos, a fim de conseguir um processo de iluminação espiritual mais acelerado. A Terra Pura, por sua vez, é a recitação do nome de Buda e a tentativa de sua visualização.

Zazen

Vinda do budismo de tradição japonesa, a zazen, ou zen, é a meditação do não-pensamento. A mente não deve se concentrar em nada. Sua prática leva a maior entendimento, aceitação e compreensão da realidade.

Para praticá-la, você precisa encontrar uma posição confortável e sentar-se com a coluna reta em períodos de até 40 minutos. A técnica também pode ser intercalada com meditação andando, chamada de Kinhin.

Kundalini

A Kundalini é uma técnica de meditação indiana que combina uma série de posturas, gestos e exercícios de respiração. Dividida em quatro estágios, sendo três acompanhados de música, sua prática leva em torno de uma hora.

Os exercícios funcionam como uma espécie de banho energético. Praticantes acreditam que, ao sacudir suavemente o corpo, o dia fica tranquilo e leve. Adeptos do tantrismo acreditam que a kundalini pode ser uma energia sexual poderosa.

Transcendental

A meditação transcendental não está relacionada a religiões ou doutrinas. Sua prática não requer muito esforço, controle mental ou concentração. A principal busca é pelo estado mínimo de excitação da mente.

Para melhorar os resultados, recomenda-se que se crie o hábito de praticá-la duas vezes por dia, de 15 a 20 minutos. Entre os prováveis benefícios da técnica, estão redução do estresse, elevação da disposição e da sensação de bem-estar, maior equilíbrio emocional e autoestima e aumento da produtividade.

Meditação no celular

Se, antes de partir para a meditação budista ou outra técnica, você quiser conhecer um pouco mais de cada modalidade, pode fazer isso sem sair de casa. Há aplicativos disponíveis para smartphone que oferecem um repertório com diversos tipos de meditação.

Alguns desses programas usam a abordagem mindfulness, estilo de meditação mais testado no momento pela medicina moderna, também conhecido como mente plena.

Você já meditou? A prática deu resultado? Deixe um comentário! Se você gostou do artigo, aproveite para compartilhá-lo nas redes sociais! E não se esqueça de acompanhar outras dicas de saúde e bem-estar aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
concentração
respiração
estresse
atenção plena

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ