Terapias

26/06/2015 04:10 - Atualizado em 01/12/2016 10:50

Magnetoterapia foca no alívio das dores e melhora do sono

Realizada com ondas eletromagnéticas, a magnetoterapia ajuda no tratamento da osteoporose.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Também conhecida como terapia magnética, a magnetoterapia é considerada um tratamento natural para dores, que atua também na reposição de energias e na melhora do sono. Apesar de ser disseminada a partir dos anos 90, a técnica já era utilizada anteriormente. Com instrumentos médicos, ela promove o estímulo de campos magnéticos de alta e baixa frequência.

Aplicada em clínicas, hospitais e centros de recuperação, a terapia costuma complementar tratamentos convencionais da Medicina. O objetivo da magnetoterapia é regenerar as células e dar maior equilíbrio orgânico, geralmente desestabilizado por traumatismos, infecções e doenças do sistema imunológico.

magnetoterapia

Indicações da magnetoterapia

Como atua de forma analgésica, a magnetoterapia é muito utilizada para aliviar dores corporais. Ela acelera o processo de cura em tratamentos de lesões e estimula a renovação das células. Além disso, melhora a circulação de oxigênio e nutre os tecidos do organismo. Reduzindo as inflamações, impulsiona a regeneração óssea em casos de osteoporose.

Na maioria dos pacientes, a terapia magnética promove a diminuição do uso de medicamentos, sendo considerado um procedimento não invasivo. Não costuma provocar dor e é aplicada para vários tipos diferentes de patologias, principalmente as que resultam de acidentes e fraturas.

É comum a utilização do método terapêutico para tratar problemas nos sistemas muscular, ósseo, nervoso, circulatório e respiratório. Ele tem ação anti-inflamatória, combatendo edemas e ajudando na reparação de tecidos e do sistema endócrino. Produz efeitos curativos, estéticos e analgésicos, sendo considerada eficaz no controle do estresse.

Como a magnetoterapia funciona

Ao realizar a magnetoterapia, a pessoa faz com que o organismo se defenda sozinho, de modo natural. Assim, a eficácia pode ser maior, já que ocorre alívio quase imediato da dor e aceleração dos processos de cura e de recuperação das doenças. Por meio de ondas que atingem diretamente pontos magnéticos do corpo, o sistema imunológico é estimulado a combater as patologias.

Para realização do procedimento, são utilizados alguns dispositivos. Dois difusores magnéticos são colocados sobre a região do corpo que precisa de tratamento. Primeiramente, se utiliza a baixa frequência para combater a dor. Depois, para aumentar os resultados, se aplicam os difusores em zonas mais amplas, aplicando a alta frequência de ondas magnéticas.

Qualquer pessoa, em qualquer idade, pode realizar a magnetoterapia, inclusive crianças e idosos. Em função da falta de estudos clínicos em gestantes, elas são o único grupo ao qual não se recomenda o procedimento. Por ser natural, ele não produz efeitos colaterais e se mostra útil no tratamento de artrose e outras doenças crônicas, melhorando a qualidade de vida.

É possível fazer a terapia magnética com roupas, sem roupas e até mesmo sobre gessos, no caso de tratamento de fraturas. As ondas eletromagnéticas são capazes de atravessar as camadas de tecido e chegar aos ossos e órgãos lesionados.

A duração do tratamento dependerá da resposta do corpo, que varia de acordo com cada problema. Em geral, uma ou duas sessões diárias durante 15 dias são suficientes para dar resultado. No caso de doenças crônicas, pode ser necessário um pouco mais de tempo. Cada sessão dura, em média, 30 minutos, mas depende da patologia a ser tratada.

Gostou de conhecer a magnetoterapia e suas indicações? Deixe um comentário! E se mantenha por dentro das novidades no Vivo Mais Saudável.

TAGS
terapia
saúde
dores
sono

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ