Terapias

26/12/2014 05:23 - Atualizado em 03/12/2016 03:37

Depressão bipolar: Conheça os sintomas e tratamento

Depressão bipolar pode levar a estados extremos de euforia e tristeza.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Em um momento, o estado é de extrema euforia. No dia seguinte, a tristeza é extrema e profunda. Essa pode ser a rotina de quem sofre com a depressão bipolar, uma doença de sintomas pouco específicos que atinge mais pessoas do que a gente imagina.

Tipos de depressão bipolar

A depressão bipolar pode ser divida em três diferentes tipos, que se caracterizam pela frequência dos surtos que o paciente sofre. Cada tipo dessa doença está relacionado com a intensidade com que ela se manifesta nas pessoas que sofrem com ela. Essas subdivisões só podem ser diagnosticadas por algum profissional qualificado e formado para tal área da psiquiatria.

Depressao bipolar

O primeiro dos casos é aquele em que a pessoa apresenta pelo menos um episódio maníaco e alguns períodos de depressão profunda. Esse tipo de depressão bipolar, antigamente, era chamado de depressão maníaca, pela união da doença com o episódio compulsivo e histérico apresentado pelo paciente. Esses episódios devem ser relatados ao psiquiatra que atenderá o paciente.

No segundo caso, encaixam-se os pacientes que nunca apresentaram episódios maníacos completos, mas, em compensação, apresentam episódio frequentes com níveis elevados de energia e impulsividade, não tão intenso quanto o da mania, mas também preocupantes. Eles também se alternam com longos períodos de depressão profunda.

O terceiro caso é o início da depressão bipolar. É uma forma leve, chamada de ciclotimia e envolve oscilações pequenas de humor. O problema é que a doença é evolutiva, ou seja, ela pode piorar com o tempo se não for tratada. Pessoas que estão nesse estágio alternam entre hipomania e depressão. Como a hipomania é quase imperceptível, muitos médicos diagnosticam apenas depressão no paciente.

A depressão bipolar pode ser causada por problemas biológicos, já que alguns exames demonstram uma diferença física no cérebro de quem possui a doença. O desequilíbrio nos neurotransmissores e em alguns hormônios também pode influenciar no despertar dessa doença. O ambiente onde vive e a hereditariedade também são considerados causas do problema.

Tratamento da depressão bipolar

O tratamento inicia com o acompanhamento médico. Um profissional de psiquiatria deve analisar o caso do paciente, conforme os diagnósticos do depressivo e das pessoas que convivem com ele. Após a detecção da doença, é preciso ver em qual grau ela se encaixa e quais as medidas que devem ser tomadas para conter os surtos e dar ao paciente condições de vida normal.

Quando o paciente se torna agressivo e pode levar perigo às pessoas que convivem com ele durante os surtos, um período de hospitalização em um centro de reabilitação psiquiátrica pode ser bastante produtivo. O uso diário de medicamentos que possam conter a oscilação de humor também é adotado no início. O acompanhamento psicológico deve seguir pelo resto da vida.

Gostou da matéria? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
depressão
saúde
bipolaridade

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ