Terapias

26/06/2014 09:00 - Atualizado em 10/11/2016 07:08

Conheça mitos e verdades sobre a hipnose

Praticada por profissionais qualificados, hipnose é uma técnica útil e segura.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Há muitos mitos, medos e dúvidas na cabeça das pessoas quando o assunto é hipnose. Funciona? Tem perigo? Na verdade, essa é uma técnica de indução ao transe que pode ser utilizada de diversas formas e com diferentes benefícios para o indivíduo. Praticada por profissionais devidamente qualificados, pode ser segura, confiável e útil.

O que é a hipnose

A hipnose busca alterar sob comando o estado de consciência. Pode ser aplicada em si mesmo ou em outra pessoa. Um clichê equivocado é que, quando estamos nesse transe hipnótico, estamos inconscientes. A própria origem da palavra hipnose vem de hypnos, que em grego significa sono. Então, com a reorientação do foco do indivíduo, por meio de indução ou auto-indução, reduz-se a frequência cerebral e atinge-se aquele nível de consciência que antecede o sono, conhecido como alfa.

Foto: ShutterstockFoto: Shutterstock

A hipnose tem sido utilizada como tratamento na psiquiatria, usando técnicas de indução de transe – um estado de relaxamento semi-consciente, mas com manutenção do contato sensorial do paciente com o ambiente. Essa indução acontece de maneira gradual, por etapas, através da fadiga sensorial.

A ferramenta utilizada para isso pelo terapeuta é a voz, imposta de forma rítmica, calma e persistente. O que acontece nesse estado de hipnose são alterações da percepção sensorial, como exacerbação da memória (hiperamnésia), da atenção e de funções motoras. Estima-se que todo mundo que possa entender os estímulos da palavra são sensíveis à técnica, pelo menos em nível de necessidades terapêuticas – mas pode haver diferentes graus de sensibilidade

Indicações da hipnose

Nos tratamentos psicológicos e psiquiátricos, a hipnose pode ter muitas indicações específicas. Uma delas é amenizar a dor. Como um dos preceitos éticos dos terapeutas é não mentir, ele sugere que a dor está se transformando progressivamente em uma sensação branda, que pode ser de formigamento ou calor.

Outras indicações são para melhorar questões emocionais como ansiedade, depressão, estresse pós traumático, fobias, angústia e memorização. Ainda pode-se obter bons resultados no tratamento a doenças psicossomáticas, tais como o cólon irritável, úlcera de fundo nervoso e problemas psicodermatológicos; e no combate a impulsos e distúrbios de conduta como obesidade, anorexia e bulimia, no caso das alterações no comportamento alimentar; exacerbação da sexualidade; impulso do jogo e do consumo de drogas.

Cuidados com a hipnose

Embora haja vários mitos sobre o perigo de você entrar em estado hipnótico e nunca mais despertar, fique tranquilo: esse é um método bastante seguro. Mesmo que o terapeuta tenha algum problema enquanto o paciente estiver em transe, não há riscos, pois a pessoa despertaria para o estado consciente com naturalidade após algum tempo. Nunca houve nenhum registro de alguém que não “acordou”.

Mas é importante ter em mente que a sugestibilidade do paciente aumenta, ou seja, o terapeuta precisa seguir alguns requisitos éticos. Para se precaver de pessoas mal intencionadas, procure profissionais filiados a entidades como sociedades nacionais ou internacionais de hipnose médica. 

Outro mito é que a hipnose tem o poder de alterar nossa personalidade e valores morais. Nada disso: com a hipnose, viaja-se para dentro de si mesmo, e não para fora.

Você já se tratou através de hipnose? Você acha que o seu tratamento teve um resultado positivo? Conte-nos sobre a sua experiência.

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ