Terapias

02/05/2015 05:45 - Atualizado em 15/10/2016 09:23

Conheça a somaterapia e como ela influencia o comportamento

De raízes políticas e sociológicas, a somaterapia promove uma terapia de libertação.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Acabar com a hierarquia social, promover a liberdade como antídoto das neuroses e garantir autoafirmação. Parece um ideal revolucionário? Esses são os princípios da somaterapia, um processo terapêutico feito em grupo, que reúne conhecimentos de sociologia, política, psicologia e filosofia.

Articulando o trabalho corporal e o uso da linguagem verbal, a terapia é de origem brasileira. Baseado em estudos de corpo e emoções feitos por Wilhelm Reich, o terapeuta Roberto Freire desenvolveu um processo que oferece ferramentas para que as pessoas fortaleçam suas lutas e sejam livres. Conheça mais sobre a somaterapia.

somaterapia

A origem da somaterapia

Conhecida também apenas como “soma”, a terapia se desenvolveu no período de regime militar do Brasil, na década de 1960. Em meio ao caos político e social do país, Roberto Freire desenvolveu uma terapia baseada em seus conhecimentos de teatro e nas experiências políticas contra a repressão.

Os princípios utilizados por ele vinham da Gestalt-terapia e da Antipsiquiatria. Com uma visão anarquista do mundo, a somaterapia permitia desbloquear a criatividade, realizando exercícios teatrais, jogos lúdicos e experimentação de sensações. Tudo isso permitia descobrir novos lados do comportamento humano, em suas inúmeras diferenças.

A terapia tem um viés bastante político, que recupera teorias sociais de resistência contra as práticas de poder que destroem a singularidade humana.

Quem busca o método passa a analisar a reação do corpo sobre diferentes situações do dia a dia nas relações sociais. A partir disso, constrói novos olhares para a sociabilidade, aceitando a diferença e respeitando a individualidade de cada um.

Como funcionam as sessões de somaterapia?

Em grupo, é organizada uma espécie de laboratório social, no qual cada integrante compreende um ao outro por meio do convívio. Com um tempo predeterminado de um ano e meio, a somaterapia é composta de quatro sessões mensais que duram, aproximadamente, três horas.

Nas sessões, o terapeuta realiza com o paciente uma série de exercícios corporais, dinâmicas de grupo e estudo crítico do comportamento. São trabalhadas a criatividade, a sensorialidade, a comunicação e a agressividade. Os jogos e brincadeiras, incluindo danças, objetivam trabalhar questões biogenéticas e despertar novas compreensões sobre as atitudes tomadas diariamente.

O posicionamento de terapia libertária da somaterapia prevê o entendimento do ser humano a partir da rotina das pessoas e como elas interagem. Baseada em teoria política, a metodologia terapêutica vê o funcionamento das emoções a partir de estudos de sociologia para combater o autoritarismo social.

Depois do procedimento realizado em grupo, são feitas maratonas de campo, em regiões de campos e florestas. Os participantes entram em contato com a natureza, sobem rios, caminham e descobrem trilhas, participando ativamente de uma integração social. Nessa etapa, é avaliada a autogestão do grupo.

Ao fim dos exercícios em meio à natureza, o processo terapêutico é finalizado em uma conclusão chamada cadeira quente, na qual cada membro, individualmente (inclusive o terapeuta), passa a organizar tudo o que vivenciou no processo grupal. A partir daí, é construída a compreensão autogestiva completa.

Em resumo, o objetivo dessa terapia é construir um espaço de liberdade, buscando autonomia e uma constante evolução pessoal.

Gostou das dicas para melhorar sua qualidade de vida? Então deixe um comentário! E não esqueça que você sempre encontra novidades de bem-estar aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
comportamento
interação
autoconhecimento
liberdade

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ