Saúde Financeira

02/11/2015 08:42 - Atualizado em 06/04/2016 12:19

Consumo consciente protege o planeta e o seu bolso

Pense bem antes de comprar e analise se o produto escolhido é necessário.

POR

Redação

  • +A
  • -A

O consumo consciente acontece quando a pessoa aumenta os impactos positivos e reduz os pontos negativos seja na compra, no uso ou no descarte de produtos. A reflexão é essencial para quem deseja economizar dinheiro e ainda dar bons exemplos.

Segundo Gabriela Yamaguchi, gerente de comunicação e campanhas do Instituto Akatu, o consumidor consciente procura ter conhecimento dos impactos individuais, sociais, econômicos e ambientais de suas compras, assumindo um papel protagonista e transformador. “A sua atuação começa ao refletir em cada uma das etapas do consumo”, destaca.

Mais que isso, o consumidor consciente busca disseminar o conceito e as boas práticas entre amigos, família e comunidade, repetindo pequenos gestos e promovendo grandes transformações. Saiba como fazer a sua parte.

carteira simbolizando o consumo consciente

Consumo consciente transforma o planeta

De acordo com Gabriela, a população mundial cresceu 2,2 vezes de 1960 a 2010, tendo o consumo aumentado em seis vezes. “Hoje, o mundo já consome 50% mais de recursos renováveis do que a Terra é capaz de regenerar”, destaca.

Esse número, para a porta-voz do instituto, significa que estamos vivendo em uma sociedade insustentável, injusta e economicamente frágil. “As empresas recorreram a incentivos ao consumo que tornam o consumidor vulnerável a um forte endividamento e a uma alienação em relação à própria vida”, comenta.

No longo prazo, isso significa que, se mantivermos o mesmo modelo de produção e consumo atual, e considerando que toda a humanidade pudesse consumir como a média dos países mais ricos, “precisaríamos dos recursos naturais de cinco planetas para abastecer esse volume de consumo”, alerta Gabriela.

fábrica poluindo gera produtos que vão contra o consumo consciente

Aposte no consumo consciente

O Instituto Akatu desenvolveu as Seis Perguntas do Consumo Consciente, que ajudam a repensar o processo para fazer escolhas melhores. “Comprar depois dessa reflexão ajuda a buscar conhecer os impactos de suas decisões e a perceber o poder transformador dos seus atos, além de tornar o consumo menos automático e menos impulsivo”, comenta a representante.

1. Por que comprar?

Pergunte-se, antes da compra, se você realmente precisa do produto ou se está sendo estimulado por propagandas ou pelo impulso do momento. Comprar sem pensar pode levá-lo a adquirir mais do que você necessita ou até mesmo pode bancar.

2. O que comprar?

Escolha o produto que deseja, analise as opções disponíveis no mercado e escolha as características que realmente atendem às suas necessidades. Fique de olho na qualidade, na durabilidade, na segurança e em outros critérios.

3. Como comprar?

Pergunte-se: "À vista ou a prazo? Conseguirei manter as prestações em dia? Vou comprar perto ou longe de casa? Como buscar e transportar a mercadoria: de carro, ônibus, bicicleta, a pé? Vou usar sacolas plásticas, ecobags, caixas de papelão?". O consumo consciente significa avaliar quais dessas decisões causarão menos impacto ao ambiente e à sociedade.

Saiba Mais
Agrotóxico dos alimentos pode causar câncer
Brinquedos reciclados para divertir a criançada
Aprenda como economizar água sem descuidar do visual

4. De quem comprar?

Considere as características de produção, o cuidado no uso dos recursos naturais, o tratamento e a valorização dos funcionários, a relação com a comunidade e a contribuição para a economia local.

5. Como usar?

É essencial encontrar formas de uso consciente dos produtos e serviços adquiridos, de modo a evitar a troca sucessiva de itens sempre que algo novo surge no mercado ou entra na moda. Seja cuidadoso, use os artigos até o final de sua vida útil e conserte-os, se necessário.

Ainda, desligue aparelhos eletrônicos quando não estiverem em uso e utilize apenas a água necessária nas atividades domésticas, sem desperdício.

6. Como descartar?

Caixas e embalagens podem se transformar em brinquedos para as crianças. Roupas antigas com nova costura, móveis reformados e eletrodomésticos consertados podem ser doados ou trocados. Quando realmente não houver novos usos para o produto, deve-se descartar os resíduos de maneira correta, buscando enviar o que for possível para a reciclagem.

Após todas essas dicas, já deu para perceber se você é um consumidor consciente? Conte para nós! E aproveite para conferir outras dicas de bem-estar aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
economizar dinheiro
recursos naturais
sustentabilidade
compras

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ