Saúde Financeira

10/02/2016 11:00 - Atualizado em 23/11/2016 03:37

Carro compartilhado é solução para driblar a crise

Ideia promete economia para o bolso e menos impacto ambiental.

POR

Redação

  • +A
  • -A

O aumento do preço dos combustíveis, a superlotação das rodovias e, até mesmo, a tentativa de minimizar a poluição do meio ambiente servem como incentivo para a proposta do carro compartilhado. A ideia ainda está se popularizando no Brasil.

Comprar um automóvel é cada vez mais difícil, fazendo com que muitas pessoas busquem alternativas. Entenda como dividir o veículo com outros usuários pode ser uma saída para economizar.

pessoas num carro compartilhado

A tendência do carro compartilhado

Segundo dados da consultoria Jato Dynamics, o Brasil fechou 2015 ocupando a sétima posição no ranking mundial de venda de veículos. O período, porém, foi de diminuição significativa. No acumulado do ano, a baixa representou mais de 21% no volume de vendas de automóveis no Brasil. A retração do mercado automobilístico vem se mostrando reflexo da recessão econômica do país.

Além disso, o próprio estresse relacionado ao tráfego intenso e às altas taxas de manutenção também acaba desanimando a compra de um carro próprio. Isso dá abertura para um novo segmento. O chamado "carsharing". ou compartilhamento de carros, tem despertado a atenção dos brasileiros.

A Fleety, por exemplo, é a primeira rede de compartilhamento de automóveis da América Latina. Ela é uma plataforma que aproxima pessoas que têm um veículo daquelas que precisam alugar um carro, o que possibilita o consumo inteligente.

O carsharing ajuda a reduzir a quantidade de veículos nas ruas. Dessa maneira, compartilhar também é um dos pilares da mobilidade urbana e uma das soluções que tornam a vida mais inteligente e as cidades, menos caóticas.

Cada carro compartilhado representaria, em média, uma redução entre dez e 15 veículos nas ruas. Além dos benefícios para o meio ambiente, os próprios usuários ganham: os locatários pagam preços mais acessíveis e os proprietários podem utilizar o dinheiro para gastos com consertos e combustível.

O caos das vias brasileiras

E será que isso dá certo no Brasil? Segundo um estudo realizado pela WRI Ross Center for Sustainable Cities, há um crescimento significativo no serviço de carro compartilhado em mercados emergentes. Ainda de acordo com a pesquisa, o número de operadoras mais que dobrou nos últimos três anos.

Ainda assim, mesmo com o crescimento da ideia do carsharing, números indicam que existem cerca de 1,7 bilhão de carros no mundo. Só em São Paulo, são 5,7 milhões. Curitiba já bateu a marca de 1,4 milhão de automóveis e representa a maior frota per capita do país.

Além da ideia do carro compartilhado, o sistema de caronas também vem ganhando destaque no Brasil, como forma de economia. No entanto, o assunto causa polêmica.

Segundo a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), a resolução 4.287 "considera serviço clandestino o transporte remunerado de usuários, realizado por pessoa física ou jurídica, sem autorização ou permissão do poder público competente".

E você, acha válida a sugestão de compartilhar o carro com mais alguém? E as caronas, são uma boa ideia? Deixe sua opinião nos comentários! E aproveite para acompanhar as dicas de saúde e bem-estar do Vivo Mais Saudável.

TAGS
carsharing
carona
compartilhamento de carros
mobilidade urbana

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ