Qualidade de Vida

01/11/2015 09:00 - Atualizado em 25/11/2016 10:50

Yoga para ser zen! Quatro etapas para você aprender a praticar

O Especial Zen mostra para você todas as etapas para você que deseja conhecer melhor a prática do exercício físico.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Saúde, equilíbrio, paz, quem busca yoga está atrás disso e muito mais. A disciplina espiritual atua no controle das atividades psicofísicas do ser humano de forma a incentivar cada indivíduo a atingir seus objetivos de libertação da mente e do corpo. Ótimo, optei por praticar, e por onde eu começo?

 

1ª Etapa: Reconhecimento da área

Você escolheu o estúdio mais bacana da região, cheio de Budas e entidades hindus. O cheirinho de lavanda e a música ambiente fazem você achar que está viajando de unicórnio para outra dimensão. Totalmente integrado ao ambiente, você pensa “isso vai ser moleza”, e nessa hora o professor se aproxima, se apresenta e diz que o Vinyasa é uma prática que alia o flow à respiração preferencialmente ujjayi, com atenção aos drishtis e à ativação dos bandhas. Caso você se canse, entre em Balásana.

– Oi?!
– Respira que vai dar tudo certo.

Palavras técnicas são trabalhas em todas as áreas, e no yoga não é diferente. O exercício espiritual não é somente respiração, engloba muitas outras coisas, e para você poder entrar nesse mundo é importante saber qual o melhor tipo de yoga para sua vida.

2ª etapa: Tipos de Yoga

Dentre os mais conhecidos estilos de yoga da atualidade podemos apontar:

- Mais populares: Iyengar (Iyengar Yoga), Patabhi Jois (Ashtanga-vinyasa) e Bikram (Bikram-yoga). Em cada um deles, há características de uma prática centrípeta, ou seja, de fora para dentro, com ênfase no corpo e seus movimentos. Por sinal, o Bikram yoga, também conhecido como Hot Yoga, promove uma grande queima calórica e desintoxica o corpo por meio do suor. É que a modalidade é realizada numa sala aquecida, onde são trabalhadas diversas posturas corporais e técnicas de respiração.

- Ligados aos movimentos do corpo como meio de revitalização, teremos os métodos de Yogi Bhajan (Kundalini-yoga), de Paramahamsa Yogananda (Kriya-yoga) e Sahaja-yoga.

- Mais voltados à meditação: Swami Sivananda (Sivananda Yoga), Swami Satyananda (Bihar-yoga) e Brahma-kumaris. Dentre os métodos de meditação, encontramos a meditação com mantras, tendo Bhaktivedanta Swami (Sociedade Internacional para Consciência de Krishna) como o mais importante e Maharshi Mahesh (Meditação Transcendental), o mais popular.

Bhaktivedanta Swami é o legítimo representante do Mantra-yoga na tradição devocional (Bhakti-yoga). Desta tradição devocional, teremos também Krishnamacarya como o mais importante no Hatha-yoga. Ele fez a união entre a prática externa com a profundidade interior através da respiração. Baseado no método desenvolvido por Krishnamacarya, a linhagem mais séria do Hatha-yoga moderno se faz presente no Vinyasa-yoga, e tem Desikacharya e Srinivatsa Swami como os nomes mais importantes.

- Um estilo divertido e saudável é Acro Yoga. Ela lembra a nossa infância através de acrobacias no circo e trabalha a força, a flexibilidade e o equilíbrio; estimula a autoconfiança e a capacidade de concentração, e potencia o companheirismo e a superação de desafios.

 

3ª etapa: Como lidar quando tiver alguma lesão

A colaboradora do Vivo Mais Saudável e instrutora de yoga, Ju Dominguez, já passou por alguns bocados por causa de lesões decorrentes da prática de yoga. Veja como ela avalia a dor:

“Até pouco tempo, todas as minhas atividades físicas envolviam competição: entre colegas ou pior, comigo mesma. A competição foi fator determinante para que muitas das minhas lesões aparecessem porque ela tirava a perspectiva dos meus limites. Não descansei nem quando enchi uma caixa com medalhas. Essa atitude me levou, aos 19 mais ou menos, a um período de overtraining (não recomendo a emoção). A lesões, essas danadas, aparecem para nos alertar que algo não está indo bem. Uma lesão não chega no seu corpo porque Mercúrio está retrógrado, elas se alimentam da nossa falta de conhecimento (ou aceitação) com nossos limites. E a culpa não é das estrelas – é nossa mesmo. Em tempo, vejam bem: não é problema ter um corpo capaz de fazer posturas extremas. O problema é quando você precisa dessas posturas. Mesmo um corpo forte e flexível tem dias de cansaço, de doença, ou simplesmente não acorda disposto a tudo. Quando não ouvimos esses recados e achamos que nosso pé tem que ir para trás da cabeça todo santo dia, é aí que o bicho pega." 

 

4ª etapa: Fechamento

Se repararmos os estilos de yoga que surgem, a maioria torna-se fenômeno e desaparece. O que nos faz compreender que eles não estavam pautados na disciplina e no desapego. Isto é, por mais que tenhamos um leque variado de modelos, técnicas, métodos e estilos de yoga, somente com os dois pilares é que temos o real elo vital presente na prática de yoga. Isto difere do que se convencionou dar o nome yoga à qualquer técnica de atividade física semelhante com algumas posturas do yoga. Dito de outra forma, se você estiver praticando com disciplina e desapego, estará praticando yoga. E o mais importante: esta prática não se restringe à sessão de yoga, mas se aplica em todas as áreas da vida.

 

Vá em frente!

Fique ligado! o Especial Zen está repleto de conteúdos interessantes para deixar você bem informado e poder melhorar sua saúde da melhor forma possível.

Vivo Mais Saudável.

Informação que faz bem. 

TAGS
tipos de yoga
instrutora de yoga
vinyasa yoga
espiritualidade

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ