Carla Furtado

ESPECIALIDADE

Comportamento, Saúde e Bem-estar

ONDE ATENDE

Carla Furtado

Apresentação

Carla Furtado é jornalista, palestrante e consultora de comunicação. Como um dos principais nomes do Marketing em Saúde no País, desenvolve projetos para empresas nacionais e internacionais. Dirige o escritório que leva seu nome, Carla Furtado Comunicação, é colunista da versão brasileira do jornal americano “The Huffington Post” e se dedica ao “The Flying Carpet Project” – primeira plataforma brasileira sobre Workation, o estilo de vida que elimina as fronteiras entre trabalho e férias.

O que Trata

Comportamento, Saúde e Bem-Estar.

Formação Acadêmica

Jornalista com especialização em Marketing, Design Estratégico e Master of Business Administration.

Cargos e Títulos

Especialista em Marketing, Design Estratégico e Pós-Graduada em Administração (MBA).

Qualidade de Vida

13/04/2015 06:00 - Atualizado em 04/12/2016 10:14

Vontade incontrolável de viajar pode ser herança genética

Carla Furtado, que trata de comportamento, saúde e bem-estar, traz informações muito interessantes sobre esta 'inquietude' e a busca por novos ares.

POR

Carla Furtado

  • +A
  • -A

O artigo que você lê agora foi inspirado na palavra alemã 'wanderlust'. Não entendeu? Nem imagina como se pronuncia? Tudo bem, a questão aqui é o significado que esta expressão carrega, uma certa agonia para viajar, sentir cheiro de estrada, conhecer novas culturas e admirar outras paisagens... É disso que vamos falar. Se você gostar de viajar, boa viagem!

O alemão possui uma palavra para descrever o desejo incontrolável de viajar, explorar o mundo, desbravar horizontes. 'Wanderlust' (wandern = caminhar, passear, migrar + lust = desejo) deve ter sido a razão pela qual Vasco da Gama, Colombo e Cabral cruzaram oceanos rumo ao desconhecido. Na ficção, quem não se lembra de 'Forrest Gump' atravessando os Estados Unidos numa espécie de maratona pessoal? Possivelmente um caso agudo de 'wanderlust'. 

Gostar de viajar pode ser genético

Para a ciência, a questão pode ser genética. Atende pelo nome de DRD4, um gene relacionado a aspectos bem específicos, entre eles a busca pela novidade. Dos vários estudos envolvendo o Receptor de Dopamina D4 (esse é o nome completo do rapaz!), um evidenciou sua associação aos padrões de migração populacional na pré-história. Comparados aos grupos sedentários, os migratórios apresentavam a mesma variação no DRD4, o chamado DRD4-7r

Cerca de 20% da população mundial carrega o gene da aventura. Talvez isso explique porque algumas pessoas celebram as mudanças. Além da sede por carimbos no passaporte, uma boa pista é a própria árvore genealógica.

Se você, assim como eu, tem ancestrais de diferentes nacionalidades, gente que não podia ver uma mala que logo inventava um destino, renda-se. Afinal, pouca coisa enriquece mais a alma humana que viajar.

Envie esse artigo para os seus amigos que amam viajar ou marque todos eles em comentários!

Vivo Mais Saudável é informação que faz bem!

Veja outras matérias de Bem-estar.

;-)

TAGS
gostar de viajar
dicas de viagem
bem-estar
carla furtado
genética
dopamina
gene da aventura

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ