Carla Furtado

ESPECIALIDADE

Comportamento, Saúde e Bem-estar

ONDE ATENDE

Carla Furtado

Apresentação

Carla Furtado é jornalista, palestrante e consultora de comunicação. Como um dos principais nomes do Marketing em Saúde no País, desenvolve projetos para empresas nacionais e internacionais. Dirige o escritório que leva seu nome, Carla Furtado Comunicação, é colunista da versão brasileira do jornal americano “The Huffington Post” e se dedica ao “The Flying Carpet Project” – primeira plataforma brasileira sobre Workation, o estilo de vida que elimina as fronteiras entre trabalho e férias.

O que Trata

Comportamento, Saúde e Bem-Estar.

Formação Acadêmica

Jornalista com especialização em Marketing, Design Estratégico e Master of Business Administration.

Cargos e Títulos

Especialista em Marketing, Design Estratégico e Pós-Graduada em Administração (MBA).

Qualidade de Vida

30/03/2015 06:00 - Atualizado em 06/10/2016 08:54

Trabalhar viajando é seu sonho? Essa entrevista é pra você

Jornalista e consultora comportamental conta como conseguiu mudar seu estilo de vida sem perder estabilidade profissional e financeira.

POR

Carla Furtado

  • +A
  • -A

Distância entre casa e trabalho, horas no trânsito, gasto com combustível, pouca flexibilidade para compromissos pessoais... Nos grandes centros urbanos, é comum escutar estas e algumas outras reclamações sobre o dia a dia. Hoje, o que já é possível com a era digital, mas ainda pouca gente se deu conta ou considera como possível, é o chamado 'workation'. Você já ouviu falar? A palavra é 'work + vocation' (trabalho + férias), que não deve ser levada tão ao pé da letra, mas que já demonstra uma tendência para a nossa relação com o trabalho no futuro, sendo cada vez mais remota. Carla Furtado, jornalista, empresária e consultora, compartilha conosco a experiência de encarar esta nova forma de lidar com o mercado. Leia a entrevista e compartilhe!

Avalie como está seu Equilíbrio Pessoal e Profissional

1) O que é o 'The Flying Carpet Project' e como ele nasceu?

Ele é uma plataforma com blog, redes sociais e em breve um canal audiovisual, que registra a mudança de estilo de vida de alguém que deixou o modelo convencional de trabalho para adotar o 'workation', que elimina as fronteiras entre trabalho e turismo. Em dezembro de 2014, encerrei um ciclo de 15 anos à frente de empresas de comunicação muito bem-sucedidas. Não me sentia mais feliz. Ao decidir mudar de estilo de vida, pesquisei as novas modalidades de trabalho e achei que essa (workation) cabia perfeitamente nos meus sonhos.

2) Você acha que a mobilidade é uma tendência para o mercado de trabalho dos nossos filhos e netos?

Sem dúvida! A geração Y já desfruta disso. Para eles, é muito natural trabalhar de maneira remota. Nascidos na era digital, estão iniciando carreira na era pós-digital, quando é tão natural estar conectado quanto apertar o interruptor e acender a luz.

3) Quais requisitos você notou como essenciais para que esta flexibilidade na rotina profissional e construção de um novo estilo de vida seja possível? E quais profissões você já viu como boas amigas desse nomadismo?

Há requisitos que dizem respeito ao perfil do indivíduo: é necessário saber trabalhar com planejamento e autonomia, ser extremamente organizado e lidar bem com dinheiro. Tudo isso é possível aprender com um bom trabalho de coaching e com um consultor financeiro. As profissões que já estão explorando a possibilidade são: jornalistas, escritores, consultores, designers e desenvolvedores (TI). Alguns empresários começam a experimentar certo distanciamento do negócio para treinar sucessores. Mas, vale lembrar que até mesmo médicos que emitem laudos (radiologistas e médicos nucleares) podem fazê-lo a distância.

4) Quais equipamentos considerar para se ter uma base de trabalho digital?

  • Laptop (ainda estou avaliando se fora do país terei mais um sobressalente);
  • Tablet (na primeira viagem vou descobrir se ele realmente é necessário);
  • Smartphone (40% dos 'workation-ers' contam com o celular para estarem alcançáveis em maior parte do tempo);
  • Charger (no momento meu objeto de desejo chama-se 'Puku');
  • Protetores de tela e cases para os equipamentos;
  • Câmera fotográfica;
  • Monopod (Sim, eu assumo: faço selfies!);
  • Fones;
  • GoPro;
  • Skype instalado;
  • Nuvem devidamente abastecida com todos os arquivos de trabalho.

5) O que você recomenda aos profissionais que desejam ter uma primeira experiência de 'workation = work + vocation' (trabalho + férias)?

Em primeiro lugar, avalie se seu trabalho realmente possibilita isso, se seus clientes estão seguros com a sua ausência física. No 'workation' você depende diretamente de seus ganhos profissionais para viajar. Faça um período de adaptação ainda no Brasil, em sua própria cidade, verifique se trabalha bem sozinho. Estando ok, inicie o planejamento da primeira viagem e preferencialmente, faça uma temporada mais curta para avaliar o resultado.

Viajar sozinho tem vantagens: Confira dicas para se aventurar

6) Você fala inglês, espanhol e francês, fluência em mais de um idioma é fundamental?

Não, de maneira alguma. No caso do 'workation', você trabalha no seu próprio idioma. Pode inclusive aproveitar a viagem para estudar outra língua.

Entenda qual o momento certo para a criança aprender outro idioma

Se você gostou deste artigo, deixe seu comentário e compartilhe nossa informação que faz bem!

O conteúdo de todos os especialistas que colaboram com o portal você também acompanha pelo Google + do Vivo Mais Saudável. Ah! E não deixa de curtir nossa página no facebook.

TAGS
trabalhar viajando
bem-estar no trabalho
vida pessoal e profissional
workation
viajar mais

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ