Qualidade de Vida

02/01/2015 07:22 - Atualizado em 03/12/2016 10:28

Superação: A história de quem lidou com a morte e seguiu em frente

Conheça a vida de superação de uma mãe que, com um filho de 11 meses, perdeu o marido em uma tragédia.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Renata Mondelo estava em um táxi, a caminho do trabalho, quando recebeu uma ligação que anunciava a maior tragédia da sua vida e dava início a uma luta de superação. Marco Mendes, o marido de Renata e pai de Thiago, com 11 meses na época, estava no vôo da Air France que caiu no mar em junho de 2009. A empresária teve de encontrar caminhos para reconstruir a sua vida.

superacao

História de superação começou ao receber a notícia

A primeira pessoa a dar a notícia para Renata foi o irmão dela, que ligou em busca da confirmação sobre a presença do cunhado naquele vôo. No meio da ligação, uma outra chamada entrou em espera e ela preferiu desligar a ligação com o irmão, acreditando que pudesse ser uma ligação do marido. Na linha estava um amigo de Marco, que o encontraria em Paris , noticiando a morte do brasileiro.

Sobre a sensação de receber a notícia, a empresária diz que são muitas as ideias que vêm à mente. “Os últimos momentos no dia anterior, o último beijo, o último abraço, o último olhar, a última conversa, a última mensagem”, relembra. Todas essas lembranças são uma forma de assimilar que aquilo não voltará e iniciar o processo de superação.

Ela diz ainda que fez a si mesma uma série de perguntas, sobre como seria o seu futuro e o da família que restou. “E o meu filho? E nossos planos? Por que ele? Por que eu? Por que nós? Como será o nosso futuro? Em que lugar ficará o nosso passado? Meu filho crescerá sem um pai? Mas… por quê? Essas e outras perguntas ficaram rondando a minha cabeça”, conta a empresária.

Mas a real compreensão dos fatos demora a chegar. Para Renata, restava ainda uma esperança de que tudo aquilo pudesse ser um pesadelo muito ruim e que, a qualquer momento, ela acordaria. Havia uma esperança de que ela conseguiria voltar no tempo e impedir que Marco entrasse na aeronave. “É difícil entender. Mais difícil ainda é acreditar”, confessa.

superacao

Superação: A volta por cima

Foi no filho ainda pequeno que Renata encontrou as forças para iniciar a superação. “Olhar para aquele bebê tão dependente de cuidados e amor foi a minha grande força. Estabeleci o desafio pessoal de ser a melhor mãe/pai que pudesse ser, para que ele não criasse espaços de mágoa ou revolta dentro dentro do seu coração e da sua mente”, diz Renata, que é empresária de comunicação.

Outro caminho que ajudou Renata no processo de superação foi a entrada para a Associação de Parente das Vítimas do Vôo que matou Marco. “Conhecer outras dores, ter apoio de quem estava vivendo a mesma situação, poder ajudar e ser ajudada em âmbito plural. Não existe dor maior ou menor. O importante era confortar, ainda que minimamente, nossas dores”, alega.

Thiago, o filho do casal, hoje tem 6 anos e faz acompanhamento psicológico para completar o próprio processo de superação, por ter crescido sem a presença física do pai. Para Renata, superar a perda do marido mudou a sua forma de ver a vida, ressignificando momentos e pessoas, dando mais valor à felicidade de cada momento e aprendendo a conviver diariamente com uma dor que nunca morre.

air france

O acidente

O vôo da Air France partiu do aeroporto do Rio de Janeiro às 19 horas de um domingo, dia 31 de maio de 2009.

O destino era o Aeroporto Charles de Gaulle, em Paris. No meio da rota, a cabine perdeu a ligação com os controladores de tráfego aéreo.

Dias depois, destroços da aeronave foram encontrados. Ela havia caído no Oceano Atlântico e todos os passageiros e tripulantes estavam mortos.

Que tal se inspirar nessa história de superação para mudar a sua vida para melhor? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
motivação
vida pessoal
tragédia
recomeço

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ