Qualidade de Vida

31/01/2015 09:25 - Atualizado em 06/12/2016 12:32

Solidariedade faz bem a quem recebe e a quem pratica

Solidariedade e gentilezas no dia a dia aumentam a autoestima e afastam ansiedade e depressão.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Quer evitar a depressão e o desânimo? Aproveite o Dia Mundial da Solidariedade, comemorado em 31 de janeiro, e comece a ser solidário.

Muitas pessoas não se arriscam a entrar no universo da solidariedade porque acreditam não ter tempo para isso. Mas, para fazer o bem, é necessário apenas querer. A prática do altruísmo só traz benefícios para a saúde e a autoestima.

solidariedade

Os benefícios da solidariedade

A solidariedade afasta problemas de ansiedade e depressão porque, inevitavelmente, as pessoas se sentem úteis. Ver que sua experiência de vida e suas habilidades podem ajudar outras pessoas nos torna felizes e aumenta nossa autoestima.

Colocar o corpo em movimento também é um dos principais fatores por que a solidariedade faz bem. O simples fato de sair de casa já proporciona uma quebra na rotina. Se você é uma pessoa sedentária, esse ato avisa ao corpo que algo diferente ocorre no organismo e, a médio prazo, muitos problemas de saúde são afastados.

Comece com ações simples. Sinta-se bem praticando pequenas delicadezas no dia a dia. Ceda seu lugar no ônibus para pessoas mais velhas, que tenham alguma deficiência ou mesmo que estejam com muitas sacolas.

Ao entrar em qualquer ambiente - seja no transporte público, no supermercado ou em uma loja -, sorria e mostre consideração pelas pessoas que estão trabalhando. A cordialidade proporciona bem-estar, pois todos ficam mais leves e felizes.

Use suas habilidades a serviço dos outros. Você sabe tricotar, costurar, bordar, cozinhar, ou realizar pequenos trabalhos de marcenaria? Ofereça-se como voluntário em escolas, igrejas, abrigos e lares.

Descubra um universo novo com a solidariedade

Ocupar a mente com novas atividades serve para dar uma sacudida na sua rotina e descobrir novos horizontes. Conhecer gente nova, com histórias extraordinárias, provoca prazer e afasta o desânimo enquanto você exerce a solidariedade.

Se você tiver um tempo disponível, doe-o em prol de uma causa. Escolha aquela com que mais se identifique e procure uma associação séria, com trabalho reconhecido. Visitar idosos, contar histórias para crianças, ajudar pessoas com deficiência nas suas atividades ou mesmo colaborar burocraticamente com uma organização faz diferença na vida de muitos.

Um exemplo são as associações de pessoas com deficiência visual. Embora cada vez mais independentes, elas ainda precisam de ajuda para se integrarem à sociedade, quando faltam recursos de acessibilidade. Leitura de documentos em tinta e a digitalização desses arquivos pode ajudar essas pessoas.

Muitos voluntários acompanham pessoas com deficiência visual em supermercados e em lojas de departamentos. Descrever os produtos disponíveis ajuda essas pessoas a ter autonomia sobre suas próprias compras.

Jamais dê as costas para as pessoas que você ajuda. Alguns voluntários, ao assumirem outros compromissos, simplesmente somem da vida das organizações sem dar satisfação. Se por algum motivo você não pode mais ajudar alguém, converse antes. A regra do "trate os outros como gostaria de ser tratado" vale para todos os casos.

E você, quais atos solidários pratica? Conte para nós! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar por dentro de todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
bem-estar social
voluntariado
altruísmo
empatia

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ