Qualidade de Vida

02/04/2015 12:00 - Atualizado em 09/12/2016 04:24

Síndrome de Peter Pan: Conheça os adultos que não querem crescer

Sem aceitar as mudanças da adolescência, adultos com a síndrome continuam vivendo a infância.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Segundo informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os jovens saem cada vez mais tarde de casa. Quase 25% dos brasileiros entre 25 e 30 anos residem com os pais. Mas será que eles têm a síndrome de Peter Pan, o personagem que vivia na Terra do Nunca para jamais crescer e se tornar adulto? É possível, mas existem mais fatores envolvidos.

O nome da síndrome foi dado por Dan Kiley, um psiquiatra dos Estados Unidos que tratou um adulto com sonho de permanecer criança. O transtorno não é uma doença, mas sim um problema que, em casos sérios, pode desenvolver quadros depressivos e dificuldades de relacionamento.

Descubra por que os adultos com síndrome de Peter Pan não querem crescer e entenda como o transtorno acontece.

sindrome de peter pan

Terra do Nunca: Onde vive a mente do adulto-criança?

Bonecas, ursos de pelúcia, carrinhos e jogos lúdicos na prateleira de um homem de 40 anos. Ele brinca com todos e se diverte assim. Essa situação é característica das pessoas com a síndrome de Peter Pan.

Você já ouviu falar no rancho Terra do Nunca? Era uma propriedade de Michael Jackson, na Califórnia, na qual o rei do pop criou um parque temático só para ele brincar. O cantor costumava dizer sempre que era como Peter Pan e que vivia na sua própria Terra do Nunca.

A ciência explica essa situação afirmando que ela acontece quando a pessoa pula a adolescência, passando da infância diretamente para a fase adulta. Outra possibilidade é ter experimentado um caso traumático quando criança, que impede o desenvolvimento sadio.

Um dos maiores problemas da síndrome de Peter Pan é a falta de noção de tempo e de morte. As pessoas com esse transtorno não conseguem executar corretamente tarefas que exijam prazos, além de perderem a noção de passagem das horas.

É comum, também, que elas não percebam a morte e acreditem que, de alguma forma, não podem morrer, como o próprio personagem fictício.

Consequências da síndrome de Peter Pan

Os principais medos de quem tem a síndrome de Peter Pan estão relacionados com compromissos e responsabilidades da vida adulta.

O indivíduo pode ter amigos, relações interpessoais e manter uma vida estável, No entanto, costuma se sentir muito sozinho e preferem a vida imaginária à real. Esse fato pode provocar dificuldade em estabelecer empregos e viver um relacionamento amoroso.

Pessoas que são diagnosticadas com a síndrome geralmente dependem dos pais ou de algum responsável. Também podem desenvolver distúrbios sexuais e, até mesmo, impotência. Não dão valor ao sexo, portanto não sofrem com isso. A principal forma de felicidade para eles é manter o pensamento voltado aos hábitos infantis e à diversão.

Apesar de contraditório, o adulto que passa por esse transtorno vive no período da adolescência. Por isso, o tratamento principal é a psicoterapia, que auxilia a pessoa a compreender o mundo real da maneira menos dolorosa possível.

Como constroem ilusões e planetas imaginários, aqueles que têm a síndrome de Peter Pan podem sofrer de depressão profunda ao descobrir que a Terra do Nunca, de fato, não existe. Muitas vezes, a pessoa não percebe que passa pelo problema, então é importante que familiares e amigos estejam atentos aos sinais para dar início ao tratamento.

Você conhece alguém assim? Conte para nós! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para conferir dicas de bem-estar e ficar por dentro de todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
relacionamentos
comportamento
vida adulta
traumas de infância

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ