Qualidade de Vida

13/11/2015 12:45 - Atualizado em 07/09/2016 10:37

Sexta-feira 13 não precisa ser sinônimo de azar

Misticismo e superstições envolvem a data, causando ansiedade e insegurança em muita gente.

POR

Redação

  • +A
  • -A

O último dia útil da semana geralmente é sinônimo de alegria, happy hour e festa. Isso, é claro, quando não se trata de uma sexta-feira 13. Muitos supersticiosos veem a data com certo receito e simplesmente esperam que ela termine logo.

Mas será mesmo que todo mundo fica mais azarado nesse dia? O Vivo Mais Saudável conta a seguir a origem desse mito e explica como driblar a falta de sorte.

homem cruzando os dedos porque é sexta-feira 13

O mito da sexta-feira 13

Existe uma série de crenças envolvendo a origem da temida sexta-feira 13. Entre elas, uma história da mitologia nórdica conta que houve um banquete em Valhala, a morada celestial das divindades, para 12 convidados.

Nessa ocasião, um espírito do mal chegou sem ser convidado e armou uma grande batalha, na qual o deus favorito dos deuses morreu. Desde então, as pessoas começaram a acreditar que convidar 13 pessoas para um jantar era sinal de má sorte.

Outra história envolvendo a sexta-feira 13 surgiu também na Escandinávia, quando Freya, a deusa do amor e da beleza - e que originou o nome "Friday" - , se transformou em uma bruxa. Para se vingar daqueles que haviam se convertido ao Cristianismo, ela passou a se reunir todas as sextas-feiras com o demônio e outras 11 bruxas, totalizando 13 indivíduos concentrados no pensamento do mal.

Saiba Mais
Dê uma força para a sua sorte com estas dicas
Pensamento positivo: Aprenda 4 dicas para dominar o poder da mente
Pensar positivo por 5 minutos alivia até 60% da dor

Além dessas, outras histórias também giram em torno do misticismo da data. Por exemplo, o grupo que ficou conhecido com Clube dos Treze começou suas reuniões em 1881 e tinha como objetivo combater superstições populares. Por isso, em seus encontros, sempre no dia 13, quebravam espelhos, passavam embaixo de escadas e punham à prova outras crendices.

Apesar de o propósito do grupo ser combater e eliminar essas crenças, a sua popularidade acabou lançando uma das superstições mais populares no mundo ocidental: a própria sexta-feira 13.

Não dê chance ao azar

Diversos episódios históricos contribuíram para a má fama da sexta-feira 13, tais como a explosão na nave Apollo 13, no dia 13 de abril de 1970, e a queda do avião da Força Aérea do Uruguai na Cordilheira dos Andes em 13 de outubro de 1972.

Já o decreto do Ato Institucional Nº5 (AI-5) pelo regime militar brasileiro, que dava poderes totais ao presidente, aconteceu na sexta, 13 de dezembro de 1968.

Não é novidade que muitas pessoas ainda evitam investimentos altos ou grandes programações para a data. Estudos apontam que pessoas que se consideram azaradas são aquelas que ficam mais ansiosas em relação às superstições. Logo, muitos episódios temidos por elas acabam ocorrendo não por azar, mas pela ansiedade em si.

Para mudar essa sorte, não é preciso nenhuma atividade paranormal, mas, sim, mais positividade no pensamento. Isso contribui para a autoestima e a qualidade de vida, pois programa o cérebro para ver o lado bom dos acontecimentos do dia.

Que tal desfrutar de uma sexta-feira 13 mais leve? Deixe as superstições de lado e comece a programar o fim de semana! E não deixe de comentar o que você acha dessas superstições e de conferir outras dicas de bem-estar aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
superstição
má sorte
crença popular
ansiedade

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ