Qualidade de Vida

10/07/2015 03:47 - Atualizado em 07/12/2016 07:03

Ser pai de menino gera intensa cumplicidade

Pai e filho podem ter personalidades diferentes e também experimentar momentos de conflito.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Quem pensa que ser pai de menino é mais fácil, pode ter que rever esse conceito. Por mais que vivam no mesmo universo, pai e filho nem sempre pensam da mesma forma e seus tempos são diferentes. O filho homem tende a ser mais inquieto e até mesmo mais bruto no tocar e no agir, se tornando, muitas vezes, mais difícil de controlar.

Mas não há como negar que a ligação entre pai e filho é intensa, de cumplicidade e amizade. Pois é um enorme prazer a um pai ensinar seu filho a jogar futebol, brincar de carrinho, andar de bicicleta e dirigir um carro. O homem passa a transformar a própria vida para cuidar de uma nova, buscando se tornar o melhor exemplo possível.

ser pai de menino

O que esperar ao ser pai de menino

Mesmo que o pai entenda o que está passando pela cabeça do filho, ser pai de menino também tem seus desafios. O universo é o mesmo, e o adulto já passou por todas aquelas descobertas e desafios, mas o tempo é outro e, principalmente, a personalidade também.

Por mais que o pai saiba como é ser um menino em desenvolvimento, ele precisa levar em consideração que seu filho é uma pessoa diferente e que cada um responde a determinadas situações de um jeito. Nem sempre pai e filho vão pensar igual, e o pai deve respeitar isso.

Durante a infância e a adolescência, a personalidade e o caráter estão em construção. Nessa fase, o papel paterno é guiar o garoto pelo melhor caminho dentro daquilo que ele quer. Ser pai de menino consiste em mostrar o certo e como chegar lá, mas sempre ouvindo as vontades do filho, sem julgar ou decidir por ele.

Os meninos também costumam ser mais temperamentais e o comportamento “rebelde sem causa” pode aparecer mais facilmente. Por isso, contrariar e discutir não são atitudes que ajudam a resolver o problema, mas sim criam mágoa e mais brigas. O diálogo é a melhor opção para lidar com isso, desenvolvendo uma relação de confiança e cumplicidade desde cedo.

Mais do que ensinar, ser pai de menino é aprender - principalmente aprender a ouvir e ser mais paciente. Participar das atividades do filho e dividir as suas com ele faz com que os dois se aproximem, mostrando para o garoto que ele pode compartilhar suas experiências abertamente também.

Ser pai de menino é ter um melhor amigo para sempre

Ser pai de menino é ter um motivo a mais para fazer o certo todos os dias. Na verdade, é o motivo maior para isso. Afinal, a partir do nascimento daquele pequeno, você se torna a principal referência dele, o super-herói que ele mais admira e que vai querer ser igual quando crescer.

Mas é importante sempre mostrar ao filho que você também erra e que é capaz de consertar isso. Ensinar, desde os primeiros anos de vida dele, a fazer o certo, a ser educado com qualquer pessoa, a ser gentil com as mulheres e a respeitar as diferenças dos outros.

Essa é a verdadeira forma de ensiná-lo a ser homem, demonstrando que ele pode contar com o pai para o que precisar. A relação entre pai e filho é de uma amizade verdadeira, que deve ser praticada com atos de amor, respeito e educação, com foco no seu bem-estar. Ao construir essa ligação de cumplicidade, eles se tornam grandes parceiros.

Pronto para esse desafio? Deixe um comentário! E se mantenha ligado nas dicas e novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
paternidade
pai e filho
crianças
desenvolvimento infantil

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ