Qualidade de Vida

18/02/2016 10:00 - Atualizado em 02/12/2016 03:16

Saiba como lidar com o alcoolismo na adolescência

Pais devem ter atenção ao comportamento dos filhos e buscar ajuda.

POR

Redação

  • +A
  • -A

O Dia Nacional do Combate ao Alcoolismo, lembrado em 18 de fevereiro, reforça a importância de discutir assuntos como o alcoolismo na adolescência. O problema é grave e cada vez mais recorrente entre os jovens brasileiros.

Dados levantados pelo jornal O Estado de São Paulo, no portal Datasus, em 2015, revelam que, a cada 36 horas, um jovem brasileiro morre de intoxicação aguda por álcool ou com alguma outra complicação relacionada ao consumo exagerado de bebidas.

alcoolismo na adolescência, jovem entre garrafas

Dados sobre alcoolismo na adolescência

A Pesquisa Nacional de Saúde Escolar (PeNSE), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2013, mostrou que 50,3% dos jovens já tomaram ao menos uma dose de bebida alcoólica, o que corresponde a uma lata de cerveja, uma taça de vinho ou uma dose de destilado.

A pesquisa entrevistou 109.104 estudantes do 9º ano do Ensino Fundamental, um grupo no qual 86% dos integrantes tinham entre 13 e 15 anos. Entre o público feminino, a taxa de consumo é maior: 51,7% frente a 48,7% entre os garotos.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o alcoolismo na adolescência está associado a "insucesso escolar, acidentes, violência e outros comportamentos de risco, como tabagismo, uso de drogas ilícitas e sexo desprotegido".

Além disso, pesquisadores da Universidade de Duke, nos Estados Unidos, confirmam que o alcoolismo na adolescência pode causar mudanças de longo prazo na região do cérebro que controla o aprendizado e a memória.

O estudo, publicado na revista Alcoholism: Clinical & Experimental Research, confirma outras pesquisas que já apontavam que a exposição ao álcool durante o período pode resultar em anormalidades, tendo efeitos prejudiciais e permanentes no futuro.

Precisamos falar sobre o assunto

Pressão dos amigos, baixa autoestima, medo de não ser aceito em algum grupo, relação conturbada com os pais ou depressão são alguns dos fatores que incentivam jovens a procurar bebidas alcoólicas.

A companhia cervejeira Ambev divulgou, em 2013, uma pesquisa que mostra que 33% dos pais brasileiros não conversam com seus filhos a respeito do consumo de álcool, embora 98% afirmem que essa é uma atitude importante. A recomendação é que os adultos estejam envolvidos na vida de seus filhos, conheçam suas amizades e saibam quais programas integram sua rotina.

Os pais têm o dever de orientar e estabelecer regras claras sobre o consumo das substâncias. Ter um diálogo honesto sobre os riscos das bebidas alcoólicas durante essa fase da vida é fundamental para que o jovem entenda a posição da família. Além disso, dar o exemplo é sempre importante.

Também é importante estar atento ao comportamento do adolescente. Desânimo, mudanças bruscas de humor ou piora no desempenho escolar podem ser sinais de que algo não está bem. Nesses casos, a busca por um psicólogo é recomendada.

Qual a sua opinião sobre o alcoolismo na adolescência? Você já discutiu o assunto com seu filho? Deixe um comentário! E aproveite para continuar de olho nas dicas de saúde e bem-estar do Vivo Mais Saudável.

TAGS
álcool
bebida alcoólica
vício
adolescentes

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ