Qualidade de Vida

20/05/2015 12:58 - Atualizado em 24/10/2016 06:59

Realização profissional: dos tribunais ao coaching

Conheça a história da advogada Anna Agostini que deixou a carreira jurídica para ir em busca da satisfação pessoal.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Desiludida com a profissão, a ex-advogada Anna Agostini, 34 anos, decidiu deixar o trabalho na Procuradoria Geral do Estado de São Paulo para se especializar como coach.

Ela conta que seu desejo sempre foi usar o trabalho como ferramenta para ajudar as pessoas, mas descobriu que entre o direito e o cidadão existia um tortuoso caminho chamado burocracia.“ Me decepcionei muito com o sistema brasileiro judiciário. Minha motivação, ao entrar na faculdade, era fazer justiça. Infelizmente isso foi uma das poucas coisas que experimentei nessa área”, desabafa.

Assim como a ex-advogada, 72% dos brasileiros estão insatisfeitos com o trabalho, é o que mostra uma pesquisa divulgada neste ano pela Isma Brasil (International Stress Management Association). A entidade é voltada à pesquisa e ao desenvolvimento da prevenção e do tratamento de estresse no mundo.

Primeiros passos

Em 2003, Anna Agostini decidiu ir em busca de algo que a realizasse. “Foi aí que comecei minhas especializações em neuroaprendizagem, programação neurolinguística e procurar um propósito no que faço”, explica.

O conhecimento adiquirido com o curso de direito virou aliado na atuação como coach. “Saber fazer leitura de cenário, investigar mais a situação, deixar de pressupor, saber fazer as perguntas certas também saber ouvir, me ajudaram a ter um perfil mais consultivo. Isso é essencial para o meu trabalho hoje. Seja em sala de aula ou nas sessões de coaching. Tudo se torna aprendizado.”

Vida financeira

Durante essa transição, Anna Agostini diz ter passado por algumas adaptações financeiras. Ela relativisa as dificuldades argumentando que esse processo depende muito de como a pessoa administra os objetivos imediatos e planos futuros. “Costumo dizer que quando se é autônomo, você deve estar preparado para períodos de seca, garoa e chuvas torrenciais. Uma coisa eu asseguro, quando se faz o que ama, você deixa de ocupar o patamar medíocre e começa a se destacar pela sua entrega”, afirma a especialista.

Como um coach atua?

A especilista explica que o trabalho como coach permite diversas possibilidades de atuação no mercado. Além do coach com ênfase profissional, que consiste basicamente em ajudar profissionais a atingirem resultados de forma mais consciente e clara, é possível atuar também como palestrante e instrutora de treinamentos.

Em seu trabalho, Anna Agostini utiliza ferramentas e dinâmicas que permitem ao cliente vivenciar uma experiência que normalmente traduz um comportamento reproduzido no dia a dia. A partir de insights, o participante começa a estabelecer planos de ação que alteram o comportamento atual para uma forma desejada. A profissional explica que utiliza também a metodologia andragógica (ciência que estuda como o adulto aprende). 

Metas e plano de ação

Segundo a especialista, sua atuação consiste em “ajudar os profissionais a alcançarem suas metas, ou quem sabe descobrí-las, no mundo corporativo.” O trabalho de coaching é geralmente mensurado por 10 sessões de no máximo 1h30 cada. Em cada sessão o coachee (indivíduo que passa pelo processo de coaching) sai com um plano de ação que deverá ser executado dentro de sete dias (tempo entre uma sessão e outra).

Resultados alcançados

Existem inúmeras ferramentas que podem ser aplicadas num processo de coaching e não tem uma previsibilidade de trabalho, já que o andamento dependerá muito do comprometimento e desenvolvimento do coachee. Anna Agostini relata que as tomadas de decisão sempre passam por um processo de alinhamento entre a vida pessoal e profissional. “Mais de 70% dos meus coachees têm atingido suas metas antes mesmo que o processo acabe”, comemora a especialista.

Estratégias


Anna Agostini elenca alguns passos importantes para quem deseja mudar o rumo da vida profissional, como ela.

1- Ter claro onde se está e onde se quer chegar na vida profissional e pessoal. Somos integrados, por isso devemos tomar decisões olhando o todo.
2- Fazer uma análise crítica da profissão ou posição almejada. Quais são os prós e os contras? Sempre a grama do vizinho parece mais verde.
3- Fortalecer relacionamentos. 85% do seu sucesso profissional depende de network e relacionamento.

Você também passou por mudanças profissionais? Compartilhe a sua história com a gente! E continue acompanhando o Vivo Mais Saudável.

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ