Dra. Giselle Mendonça

ESPECIALIDADE

Psicologia Clínica

ONDE ATENDE

São João Nepomuceno, MG

  • (32) 3261-4223

Dra. Giselle Mendonça

Apresentação

Dra. Giselle Mendonça é psicóloga clínica, atendendo crianças, adolescentes e adultos; e psicóloga escolar auxiliando alunos e professores em trabalho interdisciplinar.

O que Trata

Psicologia Clínica e Psicologia Escolar

Formação Acadêmica

Faculdade de Psicologia no Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora - CES/JF.

Cargos e Títulos

Psicóloga Clínica e Psicóloga Escolar no Colégio CEDI (Centro de Educação e Desenvolvimento Integrado) em São João Nepomuceno/MG.

Qualidade de Vida

04/08/2015 06:00 - Atualizado em 02/12/2016 07:02

Raiva no trânsito? Especialista ensina maneiras para dirigir com tranquilidade

Trânsito parado, pedestres irregulares, entre outros motivos geram estresse. A psicóloga Giselle Mendonça ensina como evitar a raiva na direção.

POR

Dra. Giselle Mendonça

  • +A
  • -A

Você é uma pessoa nervosa no trânsito? Certamente isso não faz bem para você. A psicóloga Gisele Mendonça explica como a raiva no trânsito pode ser destrutiva para você e dá dicas importantes para dirigir com tranquilidade. Fique ligado!

Como está seu equilíbrio pessoal e profissional? Faça o teste.

 

1. Quais são os principais fatores que geram raiva no trânsito?

O estresse no trânsito é muito comum, principalmente nas grandes cidades. A lentidão do tráfego acaba sendo um desencadeador de raiva, frustrações e estresse. Alguns fatores que levam à raiva são eventos negativos no trânsito, e o principal deles é a interpretação de que alguém te desrespeitou.

2. Qual é a maior incidência da raiva no trânsito: antes, durante ou depois de dirigir?

Na maioria das vezes, a raiva no trânsito acontece durante o momento em que o indivíduo está dirigindo. É nesse momento em que as situações negativas acontecem, desde xingamentos, freadas bruscas, clima ruim, obras nas ruas, entre outros. Por mais que o motorista seja uma pessoa calma no seu dia a dia, na direção, ele pode se tornar uma pessoa nervosa e ter ataques de fúria durante o momento em que está no trânsito.

3. Quem se estressa com mais facilidade? Homens ou mulheres? Jovens ou mais velhos?

Homens jovens têm baixo nível de tolerância em comparação a mulheres ou pessoas mais velhas. O homem se estressa mais no trânsito, mas as mulheres estão se estressando cada vez mais como consequência da sobrecarga de tarefas diárias que sofrem de acordo com o tempo e em decorrência do mundo moderno.

4. De que forma a raiva é expressada?

A raiva se expressa de várias formas. Algumas pessoas se irritam com mais facilidade do que outras. Alguns xingam, fazem gestos obscenos, saem do carro para brigar, fecham o cruzamento, buzinam com frequência, aumentam a velocidade, fecham os vidros e gritam o quanto podem, entre outras coisas.

Saiba Mais
Estresse: Saiba como ele age no corpo e diminua seu impacto
Luz no fim do túnel: 6 dicas para reduzir o estresse no trânsito
Estresse no trânsito: Veja como manter a calma

5. Existem grupos de autoajuda para tratamento de pessoas com raiva no trânsito?

Sim. Na maioria das vezes esses grupos são em grandes metrópoles e são regidos por um psicólogo. A psicoterapia individual também é uma boa opção para a pessoa que necessita de tratamento para controlar a raiva no trânsito.

6. Como você define a raiva no trânsito?

A raiva no trânsito se define como falta de tolerância e paciência causados pela correria do dia a dia. Essa raiva se desencadeia devido à frustração do motorista diante da falta de respeito do outro. O motorista tem a sensação de que o outro é sempre o culpado pelos erros que ele próprio comete no trânsito.

7. Você acha que a avaliação psicológica no momento de tirar a carteira é falha por não detectar pessoas com sintomas de raiva? 

A avaliação psicológica não consegue detectar em sua plenitude todos os sintomas de raiva presentes no motorista. Ela é apenas uma triagem e não garante um trânsito seguro. Porém a avaliação psicológica é necessária para analisar o perfil e algumas características presentes no motorista, tendo como objetivo colocar no trânsito pessoas em condições de conduzir de forma segura. O ideal é que o próprio condutor perceba se tem variações de humor ou atitudes e procurar ajuda caso seja necessário.

8. Você recomenda algum livro ou filme sobre a saúde emocional no trânsito?

Indico o livro Educação Emociona no Trânsito: o medo e a raiva dos condutores, do Rodrigo Ramalho, especialista em educação, inteligência emocional no trânsito e Segurança Viária. O livro fala sobre o comportamento dos condutores no trânsito.

Você é uma pessoa estressada? Avalie seu nível.

A psicóloga Giselle Mendonça cita algumas técnicas importantes para controlar a raiva no trânsito:

- Admitir seus erros: Sempre que você achar que está sendo agressivo e que fez algo errado, o primeiro passo é admitir: reconheça que errou e tente se desculpar; 

- Antecipar um evento estressor: Quando estiver no trânsito, pense que pode ocorrer algo que faça-o sentir raiva e prepare-se para isso pensando em como seria a melhor forma de não se estressar;

- Dar um tempo: Dê um tempo para você, no mínimo uns 5 minutinhos. O intervalo é utilizado para evitar situações em que a pessoa se sobrecarregue e se estresse. Fique esse tempo pensando em outras coisas ou somente refletindo;

- Evite discussões: Se um motorista começar uma discussão com você devido a uma falha sua ou dele mesmo, não prolongue o assunto. Fale somente o necessário e não dê importância para o que o motorista pensa sobre você.


Gostou das dicas da especialista? Então deixe seu comentário!

Curta o Vivo Mais Saudável no Facebook e receba informação que faz bem direito na sua timeline!

TAGS
raiva no trânsito
como lidar com o estresse no trânsito
psicóloga Giselle Mendonça

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ