Qualidade de Vida

11/06/2014 09:00 - Atualizado em 08/12/2016 05:01

Perdoar é essencial para uma vida mais feliz

Perdoar outra pessoa pode fazer bem para a sua saúde mental.

POR

Redação

  • +A
  • -A

O perdão é um tema abordado por muitos pensadores, filósofos e teológos ao longo da história. Mais recentemente, psicólogos e psiquiatras têm mostrado o quanto o ato de perdoar pode fazer bem para a saúde mental.

Perdoar, um processo consciente

Independentemente do credo, da corrente filosófica ou da área de conhecimento envolvida, há uma coisa com a qual a maioria das pessoas concorda: perdoar não é fácil. O ato de perdoar pode significar, segundo a interpretação de algumas religiões, liberdade. Libertar o outro e ser libertado por si mesmo. Constitui-se de parte necessária da superação de uma experiência negativa com outra pessoa.

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Mas nem todos conseguem perdoar. Para alguns, o perdão seria um sinal de fraqueza. Para outros, o perdão se mistura com uma noção obtusa de vingança, e não perdoar se torna uma missão pessoal (e perigosa) que teria a função de proteger o indivíduo de futuras mágoas ou punir emocionalmente aquele que o magoou. 

Na verdade, não se perdoa sem algum esforço. Porque perdoar é um processo: exige-se que se aceite o fato e que se retire a culpa daquele que perpetrou o ato, seja quem for.

Perdoar é diferente de esquecer

Acima de tudo, o perdão não pode ser confundido com esquecimento. É necessário que se possa acessar aquela lembrança sem que ela fique vinculada a sentimentos rancorosos e doloridos. Quando se consegue dissociar a memória da culpa, pode-se usar essa experiência para o restante da jornada.

As reações ao que acontece em sua vida são as direções que você dá ao destino. Todo "sim", todo "não", todo ato de perdão, todo momento de ódio e todo momento de amor moldam o caminho que você segue. Ou seja, perdoar ou não perdoar é uma escolha que inevitavelmente vai conduzir você, de uma forma ou de outra, até o próximo momento de sua vida, até a próxima decisão.

Perdoar pode ser recompensador

Assim, abandonar sentimentos ruins e perdoar não diz respeito apenas ao próximo. Não é preciso coragem apenas para admitir um erro, mas também para reconhecer essa virtude em quem nos machucou e pede perdão.

E a recompensa é que pode ser muito mais satisfatório perdoar do que ser perdoado. Pelo menos a longo prazo: imagine quantas mágoas podemos acumular ao longo da vida e quanto de carga emocional será necessária para lidar com tantos assuntos mal resolvidos.

"O fraco jamais perdoa"

Recusar-se a perdoar e guardar rancores não nos deixa mais fortes - nos torna escravos das consequências dos erros de alguém. Pois quem não consegue perdoar ainda está preso a quem os feriu. Por isso, Gandhi muito sabiamente disse: “O fraco jamais perdoa; o perdão é uma das características do forte”.

Ser forte, então, pode libertar você de um fardo. E assim você perceberá, ao olhar para os lados sem o véu da rancor, que uma vida de possibilidades se descortina diantes de seus olhos. Perdoe, portanto, para se deixar disponível ao que a vida tem a oferecer. É difícil, mas acredite: a felicidade está ao alcance de quem consegue perdoar.

E você? Já passou por alguma situação em que teve que perdoar alguém ou precisou do perdão de outra pessoa? Conte-nos suas experiências!

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ