Qualidade de Vida

27/06/2014 09:00 - Atualizado em 02/12/2016 03:10

Luz no fim do túnel: 6 dicas para reduzir o estresse no trânsito

Se você não mudar a rota, estresse no trânsito pode tirar alguns anos de sua vida.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A irritabilidade de moradores da cidade grande se deve, em boa parte e na maioria das vezes, aos engarrafamentos monumentais. Parece impossível evitar o estresse no trânsito quando você está parado o tempo todo e vê os pedestres avançando mais rapidamente do que você. Mas não vale a pena ficar zangado por isso. Quando as tranqueiras são inevitáveis, prepare-se para elas.

Estresse no trânsito

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

O caminho de casa ao trabalho pode levar duas horas para muitos brasileiros que moram nas grandes metrópoles. Nesses casos, é difícil não se incomodar com o congestionamento. Parece que tudo está suspenso até que o sujeito da frente resolva se mexer. Mas calma: o estresse no trânsito faz mal. No fim das contas, a raiva que você sente em um congestionamento vai lhe tirar alguns anos de vida lá no fim do túnel.

Por isso, resolvemos reunir algumas dicas para reduzir o estresse no trânsito. Antes de listá-las, precisamos lembrá-lo para que você apenas as siga se estiver realmente parado no engarrafamento. Caso o trânsito apenas esteja lento, a sua atenção vai ser importante, mesmo que em menor quantidade. Nessa situação, não recomendamos distrações.

Como minimizar o estresse no trânsito

Siga nossas dicas para conviver melhor com engarrafamento:

Música

Tenha sempre consigo um pendrive ou CDs com as suas músicas preferidas. Feche os vidros, aumente o volume, solte os pulmões e cante junto. Quando você está envolvido com as canções que mais gosta, o tempo passa voando, pois além de você adorá-las, vai ocupar a memória tentando lembrar da letra inteira. Se você está em um ônibus, use os fones de ouvido e se transfira para um outro mundo – só evite cantar em voz alta para não pagar mico. 

Conforto

Se o seu carro é manual, você pode deixá-lo em ponto morto e tirar o pé da embreagem, para relaxar melhor e não ficar em uma posição antiergonômica. No caso do carro automático, o câmbio geralmente tem a opção N, de neutro, o que evita a necessidade de manter o pedal de freio pressionado. A perna no pedal por muito tempo sobrecarrega os músculos e pode comprometer as articulações do tornozelo, joelho, coxa e quadril. Botando a marcha em ponto morto você pode relaxar a perna e até mesmo fazer alongamentos, que vão diminuir a fadiga e o estresse físico. Alongue também os braços, o pescoço e punhos.

Leia

Como a sua atenção só é exigida nos raros momentos em que o trânsito anda, leve sempre no seu carro uma revista, jornal e livro para botar a sua leitura em dia durante o engarrafamento. Assim você aproveita esse tempo para se informar. Dê preferência a leituras menos densas e longas, pois o acelera e para, mesmo que não muito frequente, pode comprometer a concentração na sua leitura.

Companhia

Outra excelente dica para combater o estresse no trânsito é ter uma companhia. Procure dar carona para alguém, assim você tem com quem conversar nessa hora de tédio. Além disso, é menos provável que um carro com passageiros seja assaltado. Você ainda pode ter uma pessoa para se revezar no volante caso o trajeto seja muito longo. Mas não seja sacana: avise-a de que o percurso vai ter engarrafamento e pode demorar mais do que o previsto. Se você não tem nenhuma companhia física, pode a tranqueira para ligar para alguém e botar a conversa em dia.

Caminho

Um problema do trânsito nas grandes cidades é que as alternativas costumam ser poucas ou nulas. Ou seja, mesmo que você opte por um caminho diferente, ainda vai ficar parado. Mas variar pode ser uma boa ideia mesmo assim. Você pode aproveitar para desenvolver um novo caminho, observar novas particularidades da sua cidade, descobrir lojas, restaurantes e bares novos.

Horário de pico

Se você acha que nada disso vai fazer com que você não se irrite com o engarrafamento, tente evitá-lo voltando para casa mais tarde. Se não há nenhum compromisso urgente, estenda um pouco o retorno e convide seus colegas de trabalho para um happy hour em um café ou bar próximo. E se beber álcool, volte de táxi.

Gostou do artigo ? Deixe seu comentário! 

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ