Qualidade de Vida

16/01/2016 02:00 - Atualizado em 10/12/2016 06:56

Liberdade de culto: Direito que faz bem para a saúde

Tratamentos médicos são mais eficazes quando pacientes seguem suas crenças religiosas.

POR

Redação

  • +A
  • -A

No Brasil, a liberdade de culto é assegurada na própria legislação. Em 7 de janeiro de 1890, o então presidente Marechal Deodoro da Fonseca assinou um decreto que, posteriormente, foi alterado de acordo com a época e as mudanças sociais. O princípio, porém, permanece o mesmo: garantir que as pessoas sejam livres para seguir suas próprias crenças religiosas.

Já diz a conhecida frase de Juvenal: “mente sã, corpo são”. Da filosofia, o ditado passou para a comprovação científica. São diversos os estudos assegurando que pessoas crentes em algum princípio religioso são mais saudáveis. Entenda a importância da espiritualidade no dia a dia.

mulher exercendo liberdade de culto na praia

Saúde fortalecida com a liberdade de culto

Preocupação com a mente é tão importante quanto o cuidado com o corpo. Um estudo da Universidade do Novo México, nos Estados Unidos, descobriu que pessoas que desenvolvem algum tipo de pensamento religioso conseguem se proteger contra doenças, fortalecendo o sistema imunológico.

O equilíbrio psicológico favorece o corpo, oferecendo mais disposição no combate a doenças. Dessa forma, segundo os pesquisadores, a mente que reconhece a religiosidade e desenvolve uma crença espiritual favorece o processo de cura, oferecendo resultados aos tratamentos médicos.

Em outra pesquisa, realizada na Universidade de Duke, também nos Estados Unidos, investigadores descobriram que pessoas com práticas religiosas ativas têm menores chances de desenvolver hipertensão.

Além disso, quem pratica algum tipo de culto é menos hospitalizado, sendo os casos de depressão mais raros entre esse público. Aliás, os depressivos conseguem se recuperar mais rapidamente após estabelecer vínculo com alguma crença espiritual.

Saiba Mais
Pensar positivo faz diferença na sua vida
Cuidar da saúde espiritual é pensar em qualidade de vida
Hospitais e plano com quarto privativo: veja seus direitos

Religiosidade auxilia no tratamento médico

Em 2004, pesquisadores da Universidade de Ohio, nos Estados Unidos, entrevistaram 798 pessoas para descobrir o quanto a fé era importante na relação com seus médicos. Aproximadamente 85% dos entrevistados responderam que gostariam de poder discutir a espiritualidade com aqueles que realizavam seu tratamento.

Além disso, 65% esperava que os médicos compreendessem a importância da sua fé religiosa para o processo de recuperação. Assim, é importante que a liberdade de culto seja respeitada e valorizada para que as pessoas se sintam mais confiantes em seus tratamentos.

Na Constituição brasileira de 1988, o artigo 5º determina que a liberdade de consciência e crença é inviolável, garantido também que ninguém poderá ser privado de seus direitos por motivos de religião ou de convicções políticas e filosóficas.

Por liberdade de culto, deve ser entendido o direito universal a seguir qualquer forma de religiosidade, seja ela baseada no Alcorão, na Bíblia, no Evangelho Segundo Espiritismo, nos fundamentos de matriz africana, na maçonaria, nos preceitos de Buda ou em qualquer outro tipo de princípio espiritual.

No entanto, apesar de a espiritualidade favorecer as condições de saúde, é necessário reconhecer também que nenhum tratamento de saúde é eficaz sem acompanhamento médico profissional. Mesmo que a religiosidade se mostre um apoio, ainda assim é necessário unir a crença com a medicina tradicional.

Todos são livres para acreditar naquilo que faz bem, vinculando-se ou não a um culto ou a uma doutrina. E para você, qual a importância da fé? Deixe um comentário! Aproveite também para conferir mais dicas de bem-estar aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
religiosidade
espiritualidade
cura

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ