Qualidade de Vida

17/05/2015 08:00 - Atualizado em 24/11/2016 05:45

Homofobia: Combate ao preconceito começa com pequenas atitudes

Quando cada um faz a sua parte, o respeito às diferenças passa a ser uma realidade.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A luta contra a homofobia vem ganhando força dentro e fora do Brasil. Cada vez mais, as pessoas estão levantando a bandeira por menos descriminação e por direitos igualitários.  A luta reforça a importância da conscientização pelo respeito às diferenças.

Essa 1990, nesta data, a Assembleia Mundial da Saúde, principal órgão controlador da Organização Mundial da Saúde (OMS), retirou a homossexualidade da Classificação Internacional de Doenças (CID). Esse foi um grande avanço para o reconhecimento da cidadania homossexual.

homofobia

Livre-se da homofobia no seu dia a dia

A homofobia pode ser classificada como medo, aversão ou ódio irracional aos homossexuais, pessoas que têm atração pelo mesmo sexo. A discriminação também ocorre contra gays, lésbicas, transexuais, travestis e bissexuais, ganhando nomes como lesbofobia e transfobia.

Um levantamento do Grupo Gay da Bahia (GGB) apontou que, somente em 2013, o Brasil registrou 312 mortes motivadas por homofobia. É uma média de um óbito a cada 28 horas.

Porém, ela não diz respeito apenas a atos violentos. Pequenas atitudes também estimulam o preconceito. Simples comentários pejorativos, piadas de mau gosto e outras formas de ridicularizar homossexuais podem ser classificadas como homofobia e devem ser extintas do nosso dia a dia.

Chamar alguém de “bicha”, “mariquinha” ou outro apelido pejorativo não é brincadeira. Afinal, quando usa o termo como ofensa, a pessoa denota que ser homossexual é ruim ou errado.  Isso contribui para que o pensamento homofóbico esteja constantemente presente na sociedade, estimulando outros indivíduos a terem esse mesmo comportamento.

Se você tem um colega de trabalho ou um vizinho homossexual, não se sinta desconfortável ou ofendido. Trate essa pessoa como qualquer outra, pois ela é um ser humano exatamente como você. A orientação sexual não faz ninguém ser melhor ou pior. O responsável por isso é o caráter de cada um.

A formação dessa atitude começa desde cedo. Pais que costumem fazer brincadeiras ou ter atitudes preconceituosas acabam passando isso para seus filhos. É muito importante que a educação social seja estabelecida já em casa, mostrando aos pequenos os primeiros passos para a cidadania.

É preciso que cada brasileiro tenha consciência que, independentemente de cor da pele, religião, classe social ou sexualidade, a igualdade é o que deve imperar.

Respeito é dever comum

A questão mais importante não é impor que gostem ou concordem com a homossexualidade, mas sim que o respeito é fundamental para uma sociedade pacífica e igualitária. Cada pessoa tem direito, assegurado pela Constituição, de ir e vir.  Essa liberdade possibilita que cada cidadão possa se relacionar com quem desejar.

Não adianta acusar, ofender ou mesmo ser violento se alguém não segue os mesmos princípios que você. A sociedade atual encara um momento de transição, em que diversos grupos vêm ganhando destaque e buscando seus direitos. É dever de todos saber conviver pacificamente com as diferenças.

Um longo caminho já foi percorrido na luta contra a homofobia, porém ainda há muito a ser feito. É imprescindível que cada um contribua para disseminar essa ideia de respeito e tolerância. Assim, juntos, todos criam uma sociedade melhor.

O que você faz para combater o preconceito? Conte para nós! E não esqueça que o Vivo Mais Saudável sempre traz novidades para o seu bem-estar.

TAGS
homossexualidade
preconceito
violência
respeito

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ