Qualidade de Vida

26/08/2015 10:57 - Atualizado em 04/11/2016 06:41

Famosas alertam para violência contra a mulher

Campanha viralizou nas redes sociais com alerta escondido nas publicações.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A apresentadora Bela Gil e outras famosas se uniram nas redes sociais para alertar as pessoas sobre a violência contra a mulher. A campanha chamada de “Curiosidade Salva” viralizou e foi curtida, compartilhada e repostada milhares de vezes em pouquíssimo tempo.

Posts em um primeiro momento sem sentido, como "foi a maçaneta da porta" ou "foi a quina da mesa", chamaram a atenção dos internautas. Na realidade, a mensagem estava escondida no histórico de edições da postagem, alertando sobre a violência doméstica e a importância da intervenção por parte daqueles que desconfiam que há algo errado.

violencia contra a mulher punho em primeiro plano

Entenda a campanha das famosas

Além de Bela Gil, nomes como Deborah Secco, Luiza Possi e Marjorie Estiano também postaram as mensagens "cifradas" em suas páginas. Ao clicar no histórico, a mensagem de alerta dizia:

"É isso que você deve fazer sempre: reparou alguma coisa estranha, procure saber mais. Muitas vezes, uma maçaneta da porta é um marido agressivo e a vítima não tem coragem de dizer. Viu sinais de agressão? Denuncie. Faz um 180 e dê uma virada nessa realidade."

A mensagem diz respeito às “desculpas” encontradas pelas vítimas para explicarem hematomas ou outros machucados pelo corpo. A campanha as pessoas a buscarem saber mais e não apenas ignorar o fato.

Os seguidores das celebridades, ao descobrirem a mensagem, deixaram recados positivos sobre a iniciativa e elogiaram a ideia. Logo, os posts foram republicados em diversas outras páginas da rede, aumentando ainda mais o alerta contra a violência doméstica.

violencia contra a mulher post bela gil

A violência contra a mulher no Brasil

Desde que a Lei Maria da Penha foi sancionada, muitos avanços no combate à violência contra a mulher foram feitos. No entanto, ainda há um longo caminho a ser percorrido.

Saiba Mais
Mulheres no mercado de trabalho ainda enfrentam obstáculos
Violência obstétrica é assunto que assusta gestantes
Gaslighting: Proteja-se das relações abusivas

O dossiê Violência Contra as Mulheres, divulgado pelo Instituto Patrícia Galvão, em 2015, revelou que a cada duas horas uma brasileira é morta em situação violenta. Além disso, uma em cada cinco mulheres afirma ter sofrido algum tipo de agressão por parte de um homem.

Outros dados bastante preocupantes foram divulgados pela Central de Atendimento à Mulher - Ligue 180, da Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM). O balanço dos atendimentos realizados em 2014 revelou que 43% das mulheres em situações de risco sofrem agressões diariamente e 35%, semanalmente.

Apenas no ano de 2014, foram 52.957 denúncias de violência contra a mulher. Dessas, 51,68% correspondiam a denúncias de violência física, 31,81% de violência psicológica, 9,68% de violência moral, 2,86% de violência sexual, 1,94% de violência patrimonial e 1,76% de cárcere privado.

Já o último Mapa da Violência, também divulgado em 2015, mostrou que quase 70% dos casos de feminicídio (crime contra a mulher) ocorreram dentro de casa.

Não deixe que a vítima sofra sozinha. Colabore para acabar com essa realidade no país. A SPM recebe queixas anônimas de violência contra a mulher e conduz às autoridades. Ligar 180 é simples e pode ajudar a salvar um ser humano de uma situação de risco.

O que você achou dessa iniciativa? Deixe seu comentário! E aproveite para conferir dicas de saúde e bem-estar aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
violência doméstica
Lei Maria da Penha
Bela Gil
Curiosidade Salva

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ