Qualidade de Vida

08/03/2016 10:00 - Atualizado em 12/11/2016 02:22

Dia Internacional da Mulher homenageia luta pela igualdade

8 de março é uma data para celebrar as conquistas das mulheres na História.

POR

Redação

  • +A
  • -A

É difícil encontrar uma mulher, seja ela politizada, militante feminista ou alienada, que não veja valor na luta pela igualdade de direitos entre os gêneros. Por isso, quando chega 8 de março, o Dia Internacional da Mulher, não é momento apenas para dar carinho e homenagear quem amamos, mas, sim, para refletir.

Se a vida hoje está melhor para as mulheres, muito se deve às manifestações que começaram a ganhar força entre o final do século 19 e início do século 20. Por isso, o dia 8 de março é, primeiro, uma data para lembrar-se de reivindicar os direitos femininos sempre. Depois, um dia para celebrar as conquistas do passado.

dia internacional da mulher

Origem do Dia Internacional da Mulher

A história da escolha de 8 de março como Dia Internacional da Mulher é controversa. Muito já se creditou sua origem a um suposto episódio ocorrido em 1857, em Nova Iorque.

A história conta que houve, no dia 8 de março daquele ano, uma greve de operárias da indústria têxtil que foi reprimida com extrema crueldade: 130 trabalhadoras teriam sido trancadas em um prédio, que foi incendiado, e morreram.

Não há registros confiáveis de que esse episódio tenha realmente acontecido. Sua invenção provavelmente tem relação com dois episódios que realmente ocorreram em Nova Iorque. O primeiro, uma longa greve de costureiras que durou de novembro de 1909 a fevereiro de 1910.

O segundo, um incêndio em uma fábrica têxtil no dia 25 de março de 1911, causado por condições inadequadas de segurança, que levou à morte de 146 pessoas, entre as quais mais de 120 mulheres.

Na época, as reivindicações de trabalhadoras femininas afloravam nos Estados Unidos e na Europa, mas o Dia da Mulher era celebrado apenas em caráter local. Em Chicago, por exemplo, foi comemorado o Woman’s Day no dia 3 de maio de 1908.

Em 1914, a alemã Clara Zetkin, durante a 2ª Conferência Internacional de Mulheres Socialistas, sugeriu que o dia 8 de março fosse estabelecido como o Dia Internacional da Mulher. Não se sabe qual foi a motivação para a escolha do dia, mas a data só se popularizou a partir dos acontecimentos de 1917 na Rússia, que estava à beira da revolução comunista.

Foi exatamente no dia 8 de março daquele ano que quase 100 mil tecelãs se uniram em São Petersburgo, então Petrogrado, para protestar contra as más condições de trabalho. O episódio marcou o início da primeira fase da Revolução Russa e consolidou a data, oficializada em 1921, na Conferência das Mulheres Comunistas, como o Dia Internacional das Operárias.

Décadas depois, em 1955, um jornal comunista francês publicou a primeira menção conhecida ao suposto incêndio de 1857. A versão começou a ganhar popularidade até que, em 1977, o 8 de março deixou de ser uma data partidária para ser oficializado pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o Dia Internacional da Mulher.

dia internacional da mulher amordaçada

Conquistas das mulheres no Brasil

Há apenas 84 anos, em 1932, as mulheres adquiriram o direito ao voto no Brasil. Isso ajuda a perceber o quanto se avançou, mas também é fato que o machismo na nossa sociedade ainda se manifesta de várias maneiras. Pode ser nas sutilezas do tratamento que um chefe dá aos colaboradores, mas também exibindo sua faceta extremamente perversa, com violência explícita.

Confira uma lista com algumas das principais reivindicações dos movimentos feministas e com um panorama da realidade no Brasil.

Emancipação

Trata-se da independência da mulher e do seu direito a trabalhar fora do lar, vestir-se como quiser, evitar a gravidez, separar-se, não adotar o sobrenome do marido e, entre outras coisas, ganhar um salário compatível ao do homem.

De acordo com uma pesquisa da Catho divulgada em 2015, os homens ganham, em média, 30% a mais que as mulheres para desempenhar o mesmo cargo. A notícia boa é que a participação feminina nas lideranças das empresas aumentou 109,93% desde 2002.

Violência

É o principal problema das mulheres brasileiras. O número de estupros caiu 7% entre 2014 e 2015, mas ainda preocupa: é uma média de um caso a cada 11 minutos no país. Outro grande problema é o da violência doméstica, que vitimiza principalmente as mulheres.

Mas também tivemos conquistas na área. Em 1985 surgiu, em São Paulo, a primeira Delegacia de Atendimento Especializado à Mulher. Em 2005, foi criado o Ligue 180, para denunciar casos de violência. Em 2006, foi aprovada a Lei Maria da Penha.

Política

Nesse campo, as conquistas demoraram a vir, mas são cada vez mais evidentes. Em 1979, a suplente Eunice Michilles foi a primeira senadora mulher no Brasil, assumindo a vaga de um senador eleito que faleceu. Em 1990, Júnia Marise foi a primeira senadora eleita. A primeira governadora de um estado brasileiro foi Roseana Sarney, eleita em 1998, no Maranhão.

Em 2010, Dilma Rousseff foi a primeira presidenta da república, reeleita em 2014 - ano em que as eleições quase tiveram um segundo turno com duas mulheres, Dilma e Marina Silva.

Gostou do artigo? Então compartilhe o conteúdo com seus seguidores nas redes sociais! Se você tem dúvidas ou sugestões sobre o assunto, deixe um comentário abaixo. E aproveite para conferir as dicas de saúde e bem-estar do Vivo Mais Saudável.

TAGS
emancipação
direitos
feminismo
violência

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ