Qualidade de Vida

01/07/2015 07:08 - Atualizado em 28/10/2016 11:05

Conheça o "manual" de um pai de primeira viagem

Pai de primeira viagem compartilha experiências e inseguranças com internautas de todo o país.

POR

Cláudia Giúza Mercier

  • +A
  • -A

Muitas pessoas afirmam que o “Dia das Mães” é todos os dias. Mas e o dos pais? Será que a data tem que ser comemorada somente no segundo domingo de cada agosto?

Pensando em exemplos de Pais que vivenciam e contribuem no desenvolvimento dos seus filhos, o Vivo Mais Saudável preparou um especial para mostrar o quanto é importante a presença paterna na vida de uma criança.

Conheça a história do publicitário Bruno Santiago, 34 anos, morador de Belo Horizonte. Pai de primeira viagem, ele conta que ainda solteiro sonhava em construir uma família, mas não imaginava que levaria o desejo tão ao pé da letra.

Bruno é marido da Tereza e pai de Samuel, de um ano e 10 meses. Ele dá banho, troca fraldas, prepara o prato predileto do filho e divide todas as tarefas com a esposa. “Considero o pai essencial na criação do filho, mas não de forma isolada, e sim em conjunto com a mãe. Mesmo se o casal estiver separado (não é o meu caso). A criança não tem culpa.”

Pai de primeira viagem, mas bem informado  

O publicitário criou um blog para dividir experiências, inseguranças e momentos especiais da rotina paterna. Segundo Bruno, o “Pai tem que fazer de tudo” surgiu após ele perceber que existiam muitas informações sobre a criação de filhos na internet, mas a maioria do conteúdo era destinada às mães.

“Quando estávamos grávidos, eu pesquisei muito. Isso me ajudou bastante porém, eu ficava bravo, pois tudo reforçava o papel errado do pai passivo e da mãe que tinha que fazer as coisas sozinhas. A ideia do meu blog é apresentar o papel do pai no processo. Somos importantes! Ressalto que tem muito pai cumprindo o seu papel. As coisas estão mudando”, pondera.

Pai presente gera filhos mais inteligentes e felizes

A teoria de Bruno é confirmada pelo relatório State of the World's Fathers 2015 ("O Estado dos Pais do Mundo", em tradução livre) que mostra que “pai que participa da criação gera filhos mais inteligentes e felizes.”

O estudo foi feito pela MenCare, entidade que em parceria com outras instituições defende junto aos governos e empresas privadas a elaboração e melhoria de políticas que visam promover práticas equitativas e saudáveis de cuidado e de paternidade.

Mas o pai de Samuel não precisou dos dados da pesquisa para comprovar que a paternidade carrega uma grande oportunidade de “ajudar uma pessoa a crescer e se transformar para encarar o mundo. É um amor gigantesco. Sua vida passa a ser de outra pessoa”, afirma Bruno.

Bruno afirma não ser um pai perfeito e admite ter errado, mas também acertado em muitas ocasiões. Ele aconselha aos pais a esquecerem as inseguranças e se abrirem para novas descobertas. “Aproveite o período da gravidez para aprender como dar banho no bebê, trocar fralda e como se portar em casos de engasgos. Tente buscar informações. Faça curso de gestante! Poderiam mudar esse nome para curso de pais.”

Já para os homens que, por algum motivo, não querem assumir a paternidade, Bruno é categórico ao dizer que “a criança vai perder uma grande base de amor e de segurança. Minimize o seu erro e vá agora procurar o seu filho. Você não tem este direito de prejudicar esta pessoa. O tempo passa rápido.”

Superpai!

Fizemos um “Teste rápido” com o Bruno para comprovar se ele é mesmo um "superpai". Mas combinamos com ele que a mamãe de Samuel não poderia ser consultada. Será que ele tirou nota máxima?

- Qual o prato predileto do Samuel?

Hoje é arroz, feijão, carne, cenoura cozida e batata frita. E muitas frutas. Cada época ele tem uma preferência diferente. 

- Ele falou primeiro “papai” ou “mamãe”?

Mamãe

- Com qual idade ele deu os primeiros passinhos?

Entre sete e nove meses

- Qual é a diversão predileta dele?
Ele adora ir à cozinha e pegar duas panelinhas (viram raquetes) para jogarmos tênis na sala de casa.

- Quem consegue dar um fim a um capricho dele mais rapidamente, você ou a mamãe?

Para ficar imparcial, confirmei com a minha esposa Tereza (rsrs) sou eu! Eu sou um babão, mas não tenho dó (pelo menos aparentemente) de dizer não

Bruno confirma que conhece bem o filho e conta que ele e a esposa planejam um irmãozinho para o Samuel. Sem receita de como criar bem um filho, a única certeza desse pai de primeira viagem é “pai tem que fazer de tudo. Tem que ser ativo nas rotinas diárias dos filhos: trocar fraldas, dar banho, cozinhar, fazer dormir, dar carinho e brincar. Demonstrar amor é isso. Não é comprando brinquedos ou somente colocando nas melhores escolas.”

Você também é um pai exemplar? Compartilhe a sua história com a gente e reforce o movimento de pais que não abrem mão de participar ativamente na criação dos filhos. E continue acompanhando o Vivo Mais Saudável para conhecer outros relatos.  

TAGS
pai de primeira viagem

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ