Eduardo Molon

ESPECIALIDADE

Acupuntura

Tai Chi Chuan

ONDE ATENDE

Rua Visconde de Pirajá, 608/ sala 402 , Ipanema - Rio de Janeiro

Eduardo Molon

Apresentação

Acupunturista especializado em Acupuntura Japonesa, um estilo de Acupuntura totalmente indolor.  Após concluir seu treinamento formal, estudou Acupuntura de Nagano, Keiraku Chiryo, e Acupuntura pelo I Ching, seguindo aprendizado tradicional de mestre para discípulo. Residiu na China, Alemanha e Austrália para aperfeiçoar-se. Pratica Tai Chi Chuan da família Chen, desde 1998, e é aluno ‘a portas fechadas’ de Chen Yingjun, herdeiro da 20ª geração da família criadora desta arte no século XVII.

O que Trata

Através da Acupuntura, trata transtornos de ansiedade, desequilíbrios orgânicos e disfunções músculo-esqueléticas, como dores articulares e outras, sempre atuando no desequilíbrio energético que origina o problema. Através do Tai Chi Chuan, trata quaisquer disfunções de origem postural.

Formação Acadêmica

Acupunturista pela Academia Brasileira de Artes e Ciências Orientais. Graduado em Tai Chi Chuan no 5º Duanwei pela Chinese Wushu Association. Instrutor Sênior de Tai Chi Chuan pela World Chenxiaowang Taijiquan Association.

Cargos e Títulos

Acupunturista (ABACO), Instrutor Sênior de Chen Taijiquan pela World Chenxiaowang Taijiquan Association - Brasil, Secretário-Geral da World Chenxiaowang Taijiquan Association - Brasil

Qualidade de Vida

06/10/2014 06:00 - Atualizado em 27/11/2016 12:08

Conheça mais da Sabedoria Chinesa para o seu dia a dia

Especialista em Acupuntura e Tai Chi Chuan explica os princípios milenares da busca pelo equilíbrio.

POR

Eduardo Molon

  • +A
  • -A

Quer saber como os princípios da Sabedoria Chinesa podem te ajudar no dia a dia? Leia este artigo do especialista em Acupuntura e Tai Chi Chuan, Eduardo Molon, e coloque em prática esta técnica milenar na sua rotina.

Avalie agora o seu nível de Estresse e Ansiedade

A China ainda conserva, apesar do seu papel cada vez mais importante na economia mundial, e da presença crescente dos seus cidadãos pelo mundo todo, um certo ar de mistério. O que sabem os chineses? De onde vem a aura mística que cerca o conhecimento antigo produzido naquele país?

Observação da Natureza

Na verdade, é mais simples do que parece à pímeira vista. Numa época quando a tecnologia disponível era limitada, os chineses cultivaram uma forma peculiar de observação da natureza. Ao mesmo tempo em que olhavam para fora - para os fenômenos naturais ao seu redor, como a passagem das estações do ano, a revolução das estrelas no céu, e outros ciclos naturais - eles olhavam para dentro. Através da auto observação e da meditação, aqueles que hoje chamamos de sábios conseguiram distinguir correspondências entre o macrocosmo e o microcosmo, entre a natureza e o homem. Assim, eles puderam compreender certas leis naturais às quais todas as manifestações obedecem.


Yin e Yang


A formulação mais básica destas leis naturais é ilustrada pelo Taiji Tu, o diagrama que mostra o Yin e o Yang em interação. Mas o que quer dizer este diagrama? Ele condensa num só desenho as quatro características principais que regem todos os fenômenos:

  • Em qualquer situação ou evento, pode-se discernir duas forças opostas em interação;
  • Estas forças são complementares, ou seja, uma não existe sem a outra, não é possível isolá-las;
  • As duas forças alternam-se, com a passagem do tempo, crescendo e diminuindo uma após a outra;
  • Elas geram-se mutuamente, ou seja, quando uma delas chega ao seu ápice, dentro dela surge a semente da força oposta.


Há inúmeros exemplos à mão, onde podemos ver as duas forças em ação. O mais evidente deles é o passar do dia e da noite, e assim como destes, a passagem das estações, a nossa própria respiração, as marés, e tantos outros.

É claro que não é possível descrever tudo apenas com estas duas forças, neste grau de simplificação. Assim, pode-se dividir Yin e Yang em quatro aspectos: Yin jovem, Yin maduro, Yang jovem, e Yang maduro, que se sucedem nesta ordem.

Se subdividirmos ainda mais uma vez, chegaremos aos Oito Trigramas, que são a base do Yi Jing (ou I Ching), um antigo clássico da civilização chinesa às vezes usado como oráculo, mas que é uma verdadeira descrição das relações entre as forças naturais e suas transformações.


Naturalidade

Ao homem, dotado de vontade e arbítrio, apresenta-se uma escolha: seguir os seus desejos, ou seguir o caminho do Tao. O caminho do Tao, no sentido restrito que estamos abordando, trata-se de agir em conformidade com as leis da natureza, seguindo a alternância do Yin e do Yang.

O que isto quer dizer na prática? Por exemplo, para preservarmos nossa saúde, deveríamos ajustar nossos horários de dormir e de acordar de acordo com as estações, acordando mais cedo no verão, e mais tarde no inverno; repousando e recolhendo-nos mais no inverno, e menos no verão. Evidentemente isto não é tão fácil com a nossa atribulada vida moderna, mas se olharmos para os animais, alheios ao nosso mundo cada vez mais veloz, é exatamente isto que eles fazem.


Acupuntura e Tai Chi Chuan


A Acupuntura e o Tai Chi Chuan são governados exatamente por estes princípios. Os desequilíbrios do Yin e Yang são os fatos geradores dos sinais e sintomas de que os pacientes se queixam, e o trabalho do Acupunturista é estimular o corpo a recuperar este equilíbrio. No Tai Chi Chuan, a postura do corpo é ajustada para permitir o livre fluxo da energia no corpo, e os movimentos foram projetados para estimular este fluxo.
Pretendo compartilhar, nos próximos artigos, algumas orientações destas duas disciplinas sobre como seguir com mais serenidade este caminho natural, e permitir uma circulação mais harmoniosa da energia dentro do corpo e no seu ambiente.

Conheça o Vivo Espiritualidade e receba dicas diárias para renovar sua paz espiritual

Acesse à página do Vivo Mais Saudável no Facebook e fique ligado em todas as novidades do portal.

TAGS
sabedoria chinesa
ying yang
tai chi chuan
acupuntura

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ

Veja Também