Qualidade de Vida

06/06/2015 11:34 - Atualizado em 09/12/2016 11:03

Combata a autopiedade com 4 dicas

O transtorno emocional pode se agravar, contribuindo para quadros de depressão.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Sentir pena de si mesmo, não sabe lidar com emoções negativas ou qualquer dificuldade ser motivo de grande sofrimento podem ser sinais de autopiedade. Esse transtorno emocional pode ser passageiro, mas, quando se torna frequente, ou uma característica da pessoa, pode até se agravar para um quadro de depressão.

Alguém que sofra com esse problema se torna uma grande vítima e acaba prejudicando suas relações pessoais, profissionais e afetivas. Para aumentar a autoconfiança e reconquistar a qualidade de vida, é preciso reconhecer o transtorno e buscar ajuda.

Entenda o que é a autopiedade

Uma pessoa é considerada autopiedosa quando emoções e atitudes interferem no seu comportamento de forma que não é possível controlar. Quando o sentimento de pena de si mesmo se transforma num estilo de vida e prejudica as relações sociais, quer dizer que se tornou um transtorno emocional.

Todas as pessoas já sentiram ou vão sentir autopiedade, mas como uma emoção passageira, igual a tantas outras. Porém, em alguns casos, o sentimento pode se agravar, devido a fatores como dificuldades financeiras, doença ou desemprego. Com isso, qualquer emoção negativa causa um esgotamento emocional.

autopiedade

Os incômodos por fatores externos - como sentir frio, calor, fome ou desconforto - ficam com um peso muito maior. O autopiedoso se sente machucado e magoado pelas pessoas que não dão atenção para o seu sofrimento, suas frustrações, seus insucessos e seus medos.

O estado psicológico de autopiedade faz a pessoa não aceitar a situação, julgando não ter confiança nem competência para lidar com aquilo que enfrenta. Isso é manifestado através da pena de si mesmo e de chantagens emocionais, que são tentativas de chamar atenção para fortalecer o próprio ego.

O paciente age como se estivesse abandono e desprezado, fazendo-se de frágil e de vítima. Ele expressa sentimentos de incapacidade e impotência para resolver um problema, acreditando que alguém deveria resolver por ele, ou que é injusto passar por aquela situação dolorosa.

Muitas vezes, essa pessoa manifesta sentimentos de egoísmo e orgulho, chegando ao descontrole emocional e até mesmo a um quadro de depressão.

Veja dicas para tratar o problema

1. O primeiro passo é identificar o transtorno emocional. Para isso, a pessoa precisa parar e avaliar as próprias atitudes, a fim de perceber se elas estão fazendo bem para si próprio e também para os outros. A busca por tratamento deve partir do paciente.

2. Entender que a autopiedade é um problema sério e buscar ajuda é um passo importante e que exige coragem. Converse com pessoas próximas e de confiança, pois, com o apoio de amigos e familiares, torna-se mais fácil passar por esse momento.

3. Não espere que alguém resolva os problemas por você. Confie na sua capacidade e enfrente os desafios - todos passam por isso e faz parte da vida. Procure atividades de lazer ou até mesmo exercícios físicos que ajudem a aumentar sua autoconfiança.

4. Conte com ajuda profissional. Por mais difícil que uma situação pareça, sempre é possível passar por ela sem deixar a autopiedade assumir o controle. Existem terapias e tratamentos que ajudam a diminuir o egocentrismo e os pensamentos negativos. Com isso, o comportamento vai se modificando e eliminando o sentimento de vitimização.

Você se considera autopiedoso? Por quê? Deixe um comentário! E não esqueça que você sempre encontra novidades para sua qualidade de vida aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
depressão
autoestima
pessimismo
autocomiseração

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ